Auto aceitação: um fato ou demagogia?

postado em  •  31 comentários

Esse é um assunto que eu sempre quis tratar, mas eu não sabia como vocês iriam reagir, se iriam tacar pedras ou coisas do gênero. Até que essa semana, fui surpreendida por duas coisas que me fizeram recogitar a idéia de levantar a seguinte pergunta, bem polêmica: até que ponto o que revistas como Marie Claire e Nova pregam é real, de fato?

Acho tudo realmente lindo na teoria: se você é gordinha e é feliz da maneira que você é, ótimo; se você é nariguda mas você se sente exótica, bom pra você. Mas será que as coisas funcionam realmente assim? Será que a gordinha quando vai comprar uma roupa numa loja de marca sai feliz quando descobre que lá só tem calças até número 42? Será que a narigudinha engole os apelidos de uma maneira realmente “esportiva” e não cogita fazer uma plástica?

A culpada de tudo isso? Alguns veí­culos da mí­dia que pintam a mulher que exige um corpo perfeito, um rosto sem manchas e ainda por cima, bem resolvida no trabalho e principalmente na cama. Como eu disse ali, essa semana vi dois exemplos bem ní­tidos disso, mas um deles em particular me chamou muito a atenção: o tal projeto Cansei de Ser Gordinha da revista Marie Clarie, que gerou polêmica e revolta entre muitas meninas no Twitter. Se você ver com paciência o blog, assistir os ví­deos e ver as fotos da “personagem da história” verá que de gordinha, ela não tem absolutamente nada – e aliás, tenho certeza que você fez a mesma pergunta que eu e 99% das mulheres fizeram ao ver essa matéria: se ela é gordinha, eu sou o que? Obesa Mórbida?

O mais bizarro de tudo isso é que eu já li vááááááárias matérias nessa mesma revista sobre transtornos alimentares, mulheres que aceitavam o corpo da maneira que eram e outros assuntos que depois dessa, me pareceram um tanto quanto demagogos. A revista afirma que eles não tiveram a intenção de promover uma ditadura da magreza, mas covenhamos que foi bem perjorativo o tí­tulo dado para o blog e agora soa um tanto enquanto hipócrita esse pedido de desculpas.

Infelizmente não é só a Marie Clarie que pensa assim: maior parte das revistas femininas consideram uma mulher com formas mais volumosas gordinha. O mais contraditório é ás vezes na mesma edição, afirmarem que você precisa ter auto-estima – mas será que todo mundo consegue esse feito depois de ver uma revista recheada de corpos e rostos perfeitos?

í‰ por esses motivos que eu gosto do conceito da campanha da Real Beleza de Dove. A campanha é tão bem estruturada e bem feita que não dá margem a interpretação duvidosa como no caso da Marie Claire. O lema é simples: sinta-se linda, seja gordinha, magrinha, com cicatrizes ou manchas. Mas o mais importante da campanha é a idéia de se sentir melhor consigo mesmo, não deixar de viver os momentos por isso.

Quer um exemplo maior? Marilyn Monroe, uma das maiores sex symbols (se não for a maior) que a humanidade já viu usava manequim 46. Mas será que atualmente, em um mundo aonde a magreza berando a anorexia é o belo, ela continuaria sendo esse sí­mbolo de sensualidade extrema? Eu ainda prefiro acreditar na beleza exuberante e real de Marilyn…

O que vocês acham de tudo isso? Eu penso errado ou vivo numa realidade paralela? E se você quiser mais polêmica ainda, sugiro que leia este post sobre as pseudo mulheres-maravilhas da revista Nova.

31 comentários em “Auto aceitação: um fato ou demagogia?”

  1. Cica às 13:34

    Ameiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii o blog e principalmente este post! Concordo plenamente! e tmbm quero no meu blog fazer algum post que fale sobre esta perfeição de beleza imposta pela mídia. E convido vc para participar do meu blog ariane-odiriodeumaquasebridgetjones.blogspot.com
    Bjocas

  2. kelly às 09:32

    fico revoltada quando vejo alguém se achando gorda quando na realidade não é!

  3. Lilian às 09:07

    Well… Post maravilhoso…
    Eu, no alto dos meus 30 anos que nao deveria ser NADA influenciavel pela midia, mas sou…
    SEI das maravilhas do photoshop… SEI das belezas irreais e tals… Mas fico deprimida em não ter o TAMANHO perfeito, a BARRIGA da capa de boa FORMA, o CARAO de nova e tals…
    Sempre usei tamanhos maiores (sabe aquela mulher cavala?) hoje estou usando 44… Estaria usando 44, se houvesse um padrao de modelagem nas lojas né?
    Domingao fui comprar calcas e chorei de verdade na loja, porque algumas calcas 44 nao passavam nas minhas coxas… outras sim… Pior! As poucas que encontrei, porque o povo acha que mulher usa ate 42 e fim…
    Chorei oceanos, e peguei uma 46 (meu… é só quem ta experimentando pra saber o peso que esse numero 46 tem na gente…)
    Já me achei muito gorda e tals… Hoje eu me aceito…
    Tá! Me aceito de calca jeans… de biquine a gente conversa no verao depressivo…

    Se todo mundo tomassem essas iniciativas, todas as mulheres se sentiriam mais mulheres vendo tipos igual a gente nas passarelas…

    ps. Que adianta colocar a “normal” mulher melancia na playboy e SOCAR photoshop nela?

    1. Vivi às 11:02

      @Lilian exatamente isso: eu sei que eu não deveria me sentir assim, mas eu me sinto. Também sempre fui “cavala”, peitão/bundão e qnd eu tinha meus 12, 13 anos, era zuada HORRORES pelos colegas de sala, que preferiam as magrelas tábuas. Ontem mesmo experimentei 3 calças: uma 44 ficou perfeita, outra parou no quadril e a outra, ficou larga. TUDO NA MESMA LOJA!

      Peitão é outro problema. O mundo diz que peito grande é bonito, mas sempre que vc vai comprar uma roupa tipo camisa, ficam apertadas, vai entender.

  4. Vivi às 21:50

    @liaamordaminhavidaeváui!

    Eu acho as propagandas da DOVE incríveis, mesmo. Acho aquela do photoshop super mágica e tal e concordo com vc, que ver uma foto de uma pessoa feia é algo não muito agradável. O que eu quis dizer é uma coisa assim: a Britney apareceu 1kg mais gordinha do que o peso normal e o povo cai em cima. Mas aí a mesma revista que fala isso, lança uma matéria na semana seguinte falando sobre os perigos de transtornos alimentares ou ainda “você deve se amar acima de qualquer coisa”. Agora vai lá perguntar pra Britney como ela se sente toda vez que falam que ela engordou? É nesse sentido sabe?

    O lance da Marie Clarie foi um dos maiores fails q eu já vi exatamente por isso: a mesma revista que faz matérias com meninas realmente gordinhas *e eu falo de Betty Ditto pra cima* e a sua auto estima elevada, considera uma mulher normal também gordinha, tipo, cadê o parámetro? Mas o pior mesmo é elas quererem mudar o blog, justificando que não entendem o motivo de tanta revolta – é so ler as cartas das leitoras ué.

  5. Vivi às 21:19

    @Ivone Flor*=) então é mais ou menos isso sabe? Eu acredito que as pessoas não devem “se acomodar” se não aceitam como são. O que me irrita é pregarem um “não mude, se aceite como é” e no fundo, não seguirem isso a risca.

  6. Ivone Flor*=) às 19:41

    Eu luto pra não engordar demais, mas pq penso na minha saúde, muitas vezes a gosrdura não é só estética, mas sim saúde.
    E se a gente não se amar, e não nos gostar como somos, então o jeito é mudar. Se não quer ser gorda, emagreça, se for magra demais ( tenho uma amiga assim que diz que faz dieta de engorda, um absurdo, ela come demias e não engorda).Se a cor do cabelo, mude, se for querer alisar, Alise!
    Cada um deve saber seus limites e identificar o que não é pra sua realidade, pro seu biotipo, seu metabolismo. Não Somos Iguais.Oras!
    Mais uma coisa é realidade o que vemos na Tv e nas mídias não é a relaidade das ruas, as pessoas não são modelos e estão engordando, isso tb se dá pela industria alimenticia, mas isso dá outra discussão;

    Fica a dica: Se ame e seja feliz! Se não estiver feliz! Dê graças a Deus por estar feliz!

    1. Vivi às 21:20

      @Ivone Flor*=) então é mais ou menos isso sabe? Eu acredito que as pessoas não devem “se acomodar” se não aceitam como são. O que me irrita é pregarem um “não mude, se aceite como é” e no fundo, não seguirem isso a risca.

  7. Dani às 18:24

    Eu não sei ser gorda e feliz. Tenho 1.60 e peso 65kg.
    Quando mudei pra Holanda eu pesava 55kg, era magra e estava bem e super feliz com meu corpo. Toda roupa que vestia ficava bem.

    Não é legal ficar ouvindo as pessoas comentarem que vc está mais “cheinha” e até fazerem piadinhas.. Gordo é sempre motivo de piada, sempre! Como vc falou no post, quero ver engolir piadas/apelidos na esportiva.. no fundo faz a pessoa ficar pra baixo =/

    É chato provar roupas lindas e não servir. É chato ir a praia e não usar bikini pra não mostrar os pneuzinhos que fazem os aviões ficarem com inveja kkk.

    Não adianta falar que o importante é estar bem consigo mesma, porque pra mim isso não funciona.

  8. Livia às 17:35

    Nunca havia entrado no seu blog, entrei por acaso depois de ver um comentário seu no blog da Marie Claire. Gostei demais da forma que você abordou o assunto. Citei seu post no meu blog pq realmente achei inteligente.
    Bjs
    Livia

    1. Vivi às 21:34

      @livia obrigada =*

  9. Marina às 16:56

    Primeiramente, parabéns pelo post. Você fez as perguntas certas.
    E é por esse e outros motivos que não compro nenhuma revista do gênero. Elas nunca acrescentam nada, só nos fazem querer ser uma mulher que não existe, feita de maquiagem e photoshop.

    1. Vivi às 21:36

      Assim, eu AMO maquiagem, AMO me cuidar. Mas acho que tem um limite sabe? Acho que a partir do momento que a coisa extrapola e vc perde o controle da situação, é melhor desencanar.

  10. Dada às 15:52

    Ps: Fui lá ver esse tal blog…
    Aff revoltei.. a mulher lá vai trocar o nome.
    Acho q o nome do blog não é o motivo do bafafa né meu povo..
    Aff aff ela tem exatamente minha altura e quase meu peso…peso 59k mais do q ela..isso que dizer q to gorda???kkkk
    Sinceramente… eu não me acho gorda e ela muito menos … o imc é normal.. oq aquela doida ta qrendo…
    Acho q a proposta do blog deveria ser outra.. tipo modelar o corpo.. ganhar musculo e não “cansei de ser gorda”…

    1. Vivi às 21:37

      @Dada é exatamente esse o ponto. A idéia é boa, cagaram no maió com o nome do blog. Eles afirmaram que não tem nada de demais, MAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAS…

  11. Dada às 15:42

    Sempre visito seu blog e resolvi comentar hoje pela primeira vez.
    Eu concordo com vc q essas revistas são no minimo contraditorias… vira e meche tem uma materia de auto estima a blablabla mas na capa da revista só se ve aquelas mulheres esculturais quase q inatingiveis.. eu digo quase pq conseguir um corpo escultural é possivel… mas a maioria das pessoas esquecem q por tras daquela foto existiu produção, photoshop e etc… a metade daquela glamour sai com agua depois….
    Eu realmente gostei muito da campanha Dove… mulheres podem ser felizes como são sim… o problema e a midia q impõe esse padrão de beleza q se 1% das mulheres tiverem é muito…isso acaba com a auto estima de muitas mulheres.

  12. *Lusinha* às 15:06

    Nossa Vi, a Marilyn usava manequim 46?
    Acho essa ditadura da beleza algo real, existente e que as pessosa deveriam pensar melhor a respeito do que querem para si, de acordo com aquilo que acreditam e não com o que os outros esperam de você.
    Acho que é normal preocuparmos-nos com a opinião dos outros, mas o importante mesmo é sentirmo-nos bem com nós mesmas.
    Bjitos!

  13. Patrícia às 14:33

    Parabéns pelo blog, e pela linda foto da Marilyn Monroe que, para mim, só perde em quesito sex appeal para Brigitte Bardot e Catherine Deneuve.

    bem, nunca li Marie Claire nem nenhuma outra revista que aborde esse tema, quem sabe por isso o assunto do texto tenha parecido confuso para mim, e estou para achar beleza na Gisele Bundchen, tão proclamada por essas revista…

    1. Vivi às 21:41

      @Patricia acho natural que você não entenda e acredite, ás vezes esse post parece confuso pra mim rs. No fundo foi mais um desabafo de como a mesma mídia que fala pra vc se aceitar como é, diz em um outro momento que uma pessoa “normal” porém com um corpo diferente do que a gnt vê nas passarelas está acima do peso. Confuso demás.

  14. Rita às 13:18

    O fato é que por conta da mídia ngm, ou melhor, nenhuma das “mulheres reais”, vai estar satisfeita com o seu corpo. É impossivel ter auto-estima quando o tempo todo revistas, sites e tudo na televisão diz como vc tem que ser e como não pode ser! Isso é um mal que não cabe a nós combater! Concordo TOTAL com o que vc escreveu!

    Beeejs *

  15. Camila às 13:18

    é vivi… tem que ter muita cabeça pra não pirar que nem eu pirei. Sair da obesidade é fácil, difícil é curar o monstrinho da quase-anorexia. Hoje em dia eu nem pego em revistas, nem me apego em nada… Eu já vi MESMO o quanto tudo é montado para agradar os outros. Mas não posso falar muito auhauah Enfim, isso não vai acabar nunca e as mulheres não enxergarão nunca que a cada dia que passa só tentam ser uma cópia mal feita de uma capa de revista nojenta.

  16. Priscilla Rezende às 11:44

    Também fiz um post sobre esse assunto. Vivo mandando foto para participar daquele “Banho de Nova” para ver se operam um milagre em mim, mas acho que eles me acham muito “normal” para isso!Beijo!

  17. Suzana Bueno às 11:21

    A Revista NOVA tem uma aplicação muito importante quanto revista comportamental. Tudo parte do mesmo princípio das novelas: as pessoas querem um escapismo, saber que existe um mundo melhor e mais bonito que o delas.
    Os produtos que são mostrados na NOVA estão longe de ser produtos comuns da faixa de público alvo daquela revista; mostram-se produtos Givenchy mas a NOVA é revista que você na maioria das vezes só encontra em lugares onde as pessoas definitivamente não vão ter poder aquisitivo pra pagar 200 reais num rímel.
    Estudei na faculdade de comunicação social muita coisa a respeito desse “fetiche pelo astro”, que era chamado de Star System. Se mantém um sistema onde as pessoas vivem suas vidas péssiams e depois almejam o pão e o circo pra poder se sentirem melhor. E não é o circo que a NOVA representa tão bem?
    Nessas horas me lembro da minha mãe, que só assiste filme se tiver final feliz. “Minha vida é ruim o suficiente”, ela diz, e aposto que não é a única. A NOVA mostra um mundo de mulheres perfeitas, a mulher que todas as mulheres “gostariam” de ser. A NOVA tem um papel e um espaço definido, seu público alvo é forte e por isso ela vende bem.

    Não gosto da NOVA e concordo com tudo o que foi dito, não consumo a revista e a considero um artigo humorístico de péssimo gosto. Tenho 1,75m, peso 67kg e estou fazendo pilates sem o enfoque “preciso emagrecer”, mas sim porque estava totalmente sedentária há 7 anos. Acho importante ser saudável (e o tal “Cansei de ser Gordinha” tem esse enfoque também), e não vou emagrecer demais porque senão meu namorado não vai mais me achar gostosa. Jogo videogame como profissão e como vício, faço muito sexo mas não tenho paciência para transar horas e horas seguidas como a NOVA acha que deveria ser, escrevo pra vários blogs, cozinho, choro, brigo com o namorado e reato, sou suficiente sozinha e sou suficiente com ele, choro demais por ele e adoro! Não uso photoshop nas minhas fotos de orkut, tiro foto no espelho do banheiro mesmo, mas adoro soltar meu lado drag quando uso maquiagem. Sou de verdade, e todas que estão aqui também são! Qual o trunfo? Temos vidas de verdade… e homens de verdade. ^_^

  18. Ryvos às 10:54

    Vi!
    Adorei seu post. Vc simplismente falou algo que eu esperava durante muito tempo nos blogs que visito. Na minha opinião, Ser magro pq acham bonito é ridiculo. Eu falo isso pq tive um excesso de peso enorme, lutei muito pra ficar magro e hoje em dia vejo que o mais importante foi ter feito isso pela saúde e não pq iam me notar ou me achar mais bonito!
    Saudades,
    Volto a blogar em breve, viu diva? =*
    TE AMO!

  19. Bruna às 10:23

    Tenho 1,68m e estava pesando 59kg… para quem já pesou entre 50 e 55, era muito. Fui a nutricionista e ela olhou pra mim e disse: Você não veio pedir para emagrecer, né? Aí eu disse que sim. Ela me fez uma dieta,disse que eu poderia pesar ate 52kg, mas que de maneira alguma eu precisava emagrecer. E eu admito, me sinto pressionada pelos padrões de revista, qualquer coisa fora do lugar e ja fico meio deprimida. E pior, a idade vai chegar e vai cair tudo… ou vou viver obcecada por plásticas rs. Gostei do post. Por que não mostram as mulheres como elas são. Francine magra na Playboy? Todo mundo viu que ela é meio cheiinha…

    Gostei do post! Beijos!

  20. Ira @isydronio às 10:02

    Concordo com tudo, querida!
    Mas o que mais me preocupa é pensar que soltar frases prontas no meio da revista como “o importante é se gostar” remedia toda uma produção que estimula esse padrão de beleza irreal. É toda uma questão de responsabilidade na mensagem que se passa que, a mídia, parece ter esquecido.

    Aproveito e indico esse texto de uma grande amiga minha que é perfeito.
    http://www.revistaparadoxo.com/materia.php?ido=3773

  21. Mayra Salvador às 22:58

    E ainda falando sobre isso, mas em uma outra vertente. Cabelo. Quando era menor, eu era paranóica em relação ao cabelo. Insistia nele LISO. Fiz progressiva. Achei maravilhoso ficar com o meu cabelo liso sem muito esforço por um bom tempo. Um ano depois, cansei, resolvi voltar ao natural.
    Que problema.. enfrentei brincadeiras, enfrentei minha tia (dona de salão de beleza) reclamando do meu cabelo, enfrentei a mim mesma que por diversas vezes me via pensando em alisar novamente. Mas não porque eu não gostava do meu cabelo assim, do jeito que ele é (blackpower!) mas por estar cansada de tanto ouvir dos outros a respeito do mesmo.

    Hoje sou feliz sim com o meu cabelo.

  22. Paula às 21:53

    Há, até que enfim alguém se pronunciou sobre isso! Concordo plenamente que esse papo de beleza real é conversinha pra boi dormir!
    Agora essa da Marie Claire eu não tinha visto! Que absurdo, a menina se bobear é mais magra que eu! Pelo que eu vi no blog, ela é 2 cm mais alta e meio quilo mais gorda que eu, ou seja, devemos ter mais ou menos o mesmo corpo e eu uso 40, às vezes até um 38! Eles acham que manequim ideal é oq? 34?

  23. Sofia Scalopi às 20:44

    Adorei o post!!! Sério!!!
    Outro dia mesmo li num blog, que sinceramente non me lembro qualé, que quando compramos uma roupa, a numeração está na etiqueta… se jogarmos a etiqueta fora, a numeração estará no lixo!!!
    Por mais que eu saiba que fico melhor mais magra, nunca tive maiores problemas em me ver gorda… e muita gente diz que até me prefere assim, que fico mais bonita!!!
    Mas acima de tudo, o que deve contar é sim a SUA vontade. Ser gordo não significa que não se é saudável. Eu sou um exemplo disso.
    Acho que no dia que as mulheres curtirem muito mais o seu corpo, e não o corpo da moça photoshopada da revista, serão bem mais felizes. E acima de tudo, bem mais amadas!!!

Deixe seu comentário!