Faça o logout #2

postado em  •  6 comentários

As dicas do volume #1 da coluna Faça o Logout não agradaram. Eu sabia todo o tempo que isso iria acontecer porque já passei por diversas situaçíµes parecidas. Ao entregar o texto para a chefe, dona do blog e amiga, fui bem claro: este é o texto, faça o que bem entender. Edite ou até mesmo vete, porque é importante agradar a audiência. A bicha teimosa seguiu em frente e deu no que deu…


Alguns acharam o post chato, mas não é segredo nenhum que sou um verdadeiro mala desde 1979. Isso é o de menos, com o tempo todos se acostumam. Minha mãe se adaptou bem ao meu jeito morando em outro estado. Só ter paciência e km de distí¢ncia.

Falaram que Caim dá sono, mas isso deve ser trauma de catequese… Totalmente compreensí­vel. Já fiz a de católico, fui batizado em Aparecida do Norte, fiz a primeira comunhão com o plus de ler o evangelho no altar durante a celebração. Depois disso nunca mais sentei no banco duro da igreja. Sendo assim, não falo mais de temas religiosos, ok?

“AVATAR í‰ O FILME DO ANO!” Sim, eu disse isso no cinema logo que começou o filme – sou capaz de dizer qualquer coisa com um balde de coca aguada e pipoca – e logo em seguida tive um ataque epiléptico com tanta coisa piscado. James Cameron é bom em repetir clichês sem ninguém perceber e isso ninguém pode negar. Mérito dele. Admiro muito.

Comentaram que 2009 foi um ano difí­cil, cheio de tragédias e que ninguém quer saber de filme de guerra que não seja do James Cameron. í‰ isso ou interpretei mal? Anyway, nada de guerra!

Comentaram também que desvirtuei o blog, mas isso não é verdade. Acontece que comprei pop, mas deixei meu pop cair em algum lugar e não achei mais. Na falta, usei o que estava ao alcance: meu gosto pessoal, o que aprendi e minha vontade de apresentar coisas novas para quem tem curiosidade. Faça o logout volume #2, porque nem só de Retweet, BBB 10 e ví­deos bizarros do YouTube viverá o homem. Enjoy!

Puxaram o meu fio…

Sacanagem. Fui obrigado a fazer o logout porque fiquei sem internet durante o final de semana. Mentalizei o mantra “não vou me abalar” e aqui fiquei sem filme, sem ler notí­cias, artigos etc. O que me restou foi revirar o baú de músicas e aguardar pacientemente a boa vontade do suporte do provedor de acesso.

Dê uma chance para a música do…

Arthur Rubinstein. Consegui ouvir daqui você gritar “Quem!?”. Sim, Arthur Rubinstein. Estou certo de que você já deu chance para vários artistas, alguns com pouco talento, outros sem talento algum, então que tal colocar um pouco de música clássica em sua vida? Juro que não dói e se você usa o Last Fm nem é necessário desligar o plugin. O máximo que pode acontecer é um amigo seu comentar: nossa, fulano(a), você ouvindo isso!?

Apenas ignore e tente apreciar o álbum Arthur Rubinstein – Sergei Rachmaninoff Piano Concerto No. 2, Rhapsody on a theme of Paganini, Prelude op. 3-2 de 1956. Fácil de achar na web, basta recorrer a sites especializados em torrent como isohunt.com. Busque lá e tudo dá certo.

Conheça Arthur Rubinstein

Eno não é sal de fruta?

í‰ também, mas quero falar de outro: Brian Eno. Tenho aqui alguns álbuns do compositor. Confesso que não sou í­ntimo, mas gostei do trabalho. No momento estou ouvindo Ambient 1 – Music for Airports de 1978, velho pra c…, mais velho do que este humilde autor.

Como encontrei? Estava pesquisando e dei de cara com um arquivo dos 25 melhores álbuns de Ambient. A coletí¢nea também conta com Aphex Twin, Peter Gabriel e o cara que vou falar aí­ embaixo…

Conheça Brian Eno

Tão agradável quanto o silêncio…

Há ruido por toda parte e o logout é uma maneira de silenciar, deixar de lado a vigí­lia do próximo “vazamento espontí¢neo” da nova faixa de algum queridinho da música mundial ou do popular bafão.

Já que estamos exercitando o lance de conhecer coisas novas, recomendo abrir as portas para o jazz. í‰ cool, pode acreditar! Comece bem devagar com o Miles Davis – In A Silent Way de 1969. Deite em sua cama, apague a luz e deixe rolar o som.

Conheça Miles Davis

Vamos ver…

It Might Get Loud. Assisti no final do ano passado, pouco antes do Natal se não me falha a memória, e gostei muito. Me agradou porque adoro rock e se houver afinidade com minha declaração é bom assistir. Trata-se de um documentário sobre a toda poderosa guitarra e quem entende do assunto: Jack White, The Edge e Jimmy Page. Acredito que os nomes dispensam apresentaçíµes e por isso não vou me alongar.

O melhor é conhecer a influência dos caras: Jack White buscando o acorde perfeito na música de raiz e na cena underground do Rock; Edge é o cara que transforma algo simples e despretensioso em um som magní­fico utilizando aparelhos, além de experimentar coisas fora dos estúdios de gravação, ao ar livre; por fim, Jimmy Page que é o que podemos definir como talento da guitarra e ponto final.

Uma cena que me chamou a atenção foi Jack White sangrando em decorrência do atrito dos dedos com as cordas da guitarra durante uma apresentação com a banda The Raconteurs. Isso é o que eu chamo de Rock and Roll.

E o que você faz?

Quero recomendar coisas e dizer o que eu faço quando estou off, mas também estou ávido por novidades. Bem que vocês poderiam compartilhar comigo o que fazem quando chega a hora de fazer o logout. Comentário serve pra isso, portanto não deixe o @vilaoooo curioso. Não se acanhe. Fale mal, critique ou dê sugestíµes.

Xoxo -sempre quis dizer isso, mesmo sem saber o significado…

6 comentários em “Faça o logout #2”

  1. Ana Maria às 23:29

    AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH! AMEI O POST *O*

  2. May Salvador às 14:05

    xoxo se eu não me engano significa beijos e abraços (x = beijos o = abraços)

    E agora fiquei louca de vontade de assistir esse filme!

    Bom, sei lá se você vai curtir mas dê um ouvida em Mombojó (banda pernambucana http://www.mombojo.com.br)

    Continue com seus posts da maneira que são, eles têm seus leitores, pode ficar seguro disso haha

    PS: “A bicha teimosa…” – Adorey HAHA

  3. Vitória às 20:51

    Desculpa, masss… nemli.

  4. fran às 17:38

    Só corrigindo “Autor”! hahahaha

  5. Fran às 17:37

    Não tenho o que reclamar dos seus posts e com eles faz que o blog fique ainda melhor!

    A indicação sobre o livro do Saramago achei ótimo,tem gente que não gosta de Caim,mas há um conto dele que eu achei ótimo para quem não gosta de ficar em assuntos religiosos,o nome da história é o “O conto da ilha desconhecida”,há muitas coisa legais que surgem ao longo de história,tem um tiquinho de romance hahaha,e faz com que qualquer pessoa perca o medinho de falar que aquele tal ator não dá para ler hauaahua!

    Mais um vez o @vilão que não éé bem assim hahaha continua com ótimos post’s parabéns *-*

  6. Samara às 13:12

    Haha, adorei!
    Era isso que faltava nesse blog…

Deixe seu comentário!