Rock ‘n’ Roll Machine

postado em  •  14 comentários

Hoje é o Dia Mundial do Rock e nada mais justo do que um post especial sobre o tema. Afinal, moda e música andam tão juntas que é praticamente impossí­vel separá-las. E qual o gênero musical mais representativo para a moda? Arrisco dizer que seja o rock e a explicação é bem simples. O rock é criado por jovens para jovens e grande parte das revoluçíµes estéticas e comportamentais que o mundo sofre (e já sofreu) foram impulsionadas por esse grupo. A moda, por sua vez, passa pelo mesmo processo. A prova disso é o enorme número de blogueiros jovens que estão revolucionando o mundo da moda com uma nova forma de criar estilos, lançar tendências e porque não, de fazer jornalismo e moda. Então, juntei rock e moda e preparei um post bem legal cheio de referências para vocês.

Vem comigo!

Anos 50

Foi aqui que tudo começou. Influenciados pelo Blues – ritmos tocados pelos dos negros norte-americanos desde o final do século XIX ”“, o R&B ”“ gênero popular desde os anos 1940 ”“ e o country music, os brancos incluí­ram guitarras elétricas, baixo e bateria e criaram um som novo, feito para dançar, com uma linguagem e atitude sensual apurada e um ar de rebeldia sem causa: Nascia assim o Rock ”˜n”™ Roll. O boom mesmo aconteceu quando o grupo Billy Haley & the Comets lançou a música Rock Around The Clock que foi a primeira música que definiu claramente o novo gênero musical e atingiu rapidamente o sucesso. Mas, foi Elvis Presley quem melhor divulgou o estilo “rockabilly” e até hoje é referência do estilo. Além dele vale ainda lembrar de Jerry Lee Lewis com o seu inseparável piano e dos negros ”“ para o horror da sociedade norte-americana conservadora e preconceituosa da época ”“ ChuckBerry e Little Richard que também fizeram um sucesso absurdo na época.

Na moda surge o New Look da Dior e a volta da silhueta feminina e glamourosa nos anos pós guerra. Os vestidos eram amplos, com cintura marcada e saia rodada. Chapéus, luvas e jóias eram acessórios obrigatórios. Foi o perí­odo do apogeu da alta costura e Balenciaga, Givenchy, Balmain e o próprio Dior, por exemplo, viveram seus tempos de glória. No cinema atrizes como Audrey Hepburn, Grace Kelly e o sexy Rita Hayworth era siní´nimo de elegí¢ncia máxima. Os homens faziam um estilo rebelde com topetes í  base de brilhantina, jaquete de couro e motos envenenadas alí  Marlon Brando e James Dean.

O melhor de tudo? O estilo dessa época promete ser uma super tendência para as próximas estaçíµes. í‰ hora de tirar a saia godê do armário, marca a cinturinha, investir no rabo de cavelo com topetinho chique.

Para saber mais
Assista: O Selvagem (1953) por causa do figurino usado por Marlon Brando a jaqueta perfecto é o que é até hoje.
Ouça: O disco Elvis Presley, o primeiro disco do cantor homí´nimo, gravado em 1956.
Leia: O Apanhador no Campo de Centeio foi lançado em 1951 e até hoje é um clássico.


Anos 60

Os anos 60 foram um samba do criolo doido só (salve, Stanislaw Ponte Preta)! Aquela galera que fez sucesso dos anos anteriores ficou apagadinha porque a diferença do novo rock para o antigo era gritante. Saem de foco os saxofones e pianos e entram guitarras e baterias muito mais nervosas. Até o Elvis ficou perdeu um pouco de visibilizade na música e passou a se dedicar ao cinema e TV. Surgem os cantores lançados pela Motown com uma forte pegada soul e artí­stica como The Supremes, Aretha Franklin e James Brown.

O Californian sound se concretiza com bandas como The Mamas & The Papas e The Beach Boys. O folk ganha ares de sucesso com Simon & Garfunkel, Bob Dylan e Jethro Tull e os musicais como Hair, Tommy (do The Who) e Jesus Cristo Superstar fazem sucesso no teatro e depois no cinema.

Mas, o amor livre, os alucinógenos e as revoluçíµes foram mesmo marcados por uma outra galera: Janis Joplin e Jimi Hendrix foram consagrados pelos festivais de música e fizeram um Blues-Rock; Led Zeppelin, The Doors e The Who consolidaram o Hard Rock; Pink Floyd brilhou com o rock progressivo; Black Sabbath é uma das bandas percussoras de Heavy Metal.

No meio de toda essa loucura 4 meninos de Liverpool se destacam e ganho uma fama mundial jamais vista até hoje. Os Beatles a princí­pio faziam uma música bem pop-rock cheio de referências ao estilo dos anos 1950, mas depois o som dos caras evoluiu para algo mais maduro com um estilo mais psicodélico e até um pouco folk. A moda dos caras de terno e cabelo tijelinha se espalhou rapidamente e todas as meninas que enlouqueciam pelos membros da banda. Até hoje a banda é sensação, né?

Na moda o visual inocente das mulheres não é mais tão inocente assim. As saias dão lugares í s calças cigarrete. Foi um perí­odo de revoluçíµes comportamentais. Os jovens pregavam o sexo livre, a liberdade e iam contra a sociedade de consumo. Essas mudanças fizeram com que as pessoas não se vestissem mais como uma unidade… Aqui a cima de tudo valia a personalidade de cada um. A minissaia criada por Mary Quant foi um boom, as peças unissex também fizeram sucesso e Yves Saint Laurent lançou o icí´nico smoking para mulheres. Twiggy fez história com a sua magreza extrema, vestido trapézio, seu cabelo curto e cí­lios enormes de boneca. Em São Francisco surgiam movimentos de contracultura como flower power, black power, gay power e o women”™s lib. Lá os cabelos eram longos, as roupas coloridas e com influência oriental e as drogas rolavam soltas. Foi nessa época que a calça jeans deixou de ser peça do vestuário de operários e passou a atingir todas as classes sociais.

Para saber mais
Assista: Blow-up, filme do Antonioni que é cheio de referências de moda e beleza dessa década.
Ouça: Abbey Road (Beatles), Led Zeppelin II (Led Zeppelin) e Ummagumma (Pink Floyd).
Leia: On The Road (Jack Kerouac), muitos dizem que a biblí­a da geração beatnik.

Anos 70

Os anos 1970 foram marcados pela Era Disco. Muita gente diz que durante esse perí­odo o Rock ”˜n”™ Roll já estava morto e foi embora para nunca mais voltar. Verdade ou não o fato é que esse perí­odo é muito mais lembrado pelos Embalos de Sábado í€ Noite com John Travolta e por artistas como Donna Summer, Abba, Gloria Gaynor e os Bee Gees do que por qualquer outra coisa, né? í‰ a época das pantalonas, das meia patas e plataformas, dos brilhos do lamé… Luxo, poder e sedução.

Até mesmo o rock chega em uma versão mais, digamos, purpurinada. David Bowie e Kiss atacavam no glitter-rock com figurino e maquiagem extravagante; AC/DC e Aerosmith atacavam no Hard Rock cheios de estilo; Iron Maiden e o Heavy Metal; e o Queen aparecia com uma versão hard rock meio ópera e com figurinos igualmente trabalhados.

Se os anos 1970 foram importante isso deve ao surgimento do Punk! Com um visual para lá de agressivo e desafiador, os punks tomaram as ruas com jaquetas, coturnos, cintos e pulseiras de couro cheias de rebite e spikes, alfinetes nas orelhas e cabelos moicanos coloridos. Referências estéticas que são moda até hoje! Os primeiros a fazerem um super sucesso foram os Ramones e o mais legal é perceber que no meio de toda aquela barulheira que eles faziam, havia uma grande influência do rock”™n”™roll dos anos 1950. Isso ficava evidente até mesmo nas roupas: Como não lembrar da jaqueta perfecto de couro que foi imortalizada por Marlon Brando e que era uniforme dos Ramones? Mas é na Inglaterra que o punk-rock encontra o casamento perfeito com a moda. Depois de passar um perí­odo nos EUA presenciando o nascimento da música punk, o inglês Malcolm McLaren regressa í  Inglaterra e lança nada mais, nada menos do que os Sex Pistols. Malcolm era namorado de Vivienne Westwood, dona da famosa loja Sex e responsável pelo estilo dos Sex Pistols. Ela que montou todo o visual dos garotos. Até hoje Vivienne é vista como a “dama do punk”.

Para saber mais
Assista: Táxi Driver, Quase Famosos e Os Embalos de Sábado í  Noite.
Ouça: Never Mind The Bollocks, Here’s The Sex Pistols (Sex Pistols)
Leia: O livro Mate-me, por favor conta toda a trajetória da música punk. í‰ bem legal…

Anos 80

Esse é o perí­odo de metal farofa e assim como a moda do perí­odo, a música dessa época também não tem muito do que se orgulhar. Bon Jovi, Van Halen, Skid Row, Poison… Tudo naquela vibe de cabelos lindos, calça de couro apertadinha e cheios de letras sobre amor, dinheiro e sexo. A mulherada foi í  loucura!

A moda dessa época já estamos cansadas de conhecer, né? Afinal, vivemos o revival intenso do estilo dos anos 1980 nas últimas temporadas. Calça jeans de cintura alta, ombras marcados e poderosos, saia balonê, manga morcego, sandálias de plástico, calça baggy, scarpin, tons de neon, a roupa de academia invadindo o dia a dia…

Para saber mais
Assista: Os Goonies, Curtindo a vida Adoidado, Flashdance, A Garota de Rosa Choque e os Garotos Perdidos… Todos esses filmes mostram claramente a estética dos anos 80. Bem sessão da tarde mesmo.
Ouça: Slippery When Wet (Bon Jovi)
Leia: Psicopata Americano. Bom, esse livro foi lançado em 1991, mas a história se passa na década de 1980 e o autor – Bret Easton Ellis ”“ descreve minuciosamente as roupas e o estilo dessa época. Vale muito a leitura… O livro virou filme em 2000 estrelado por Christian Bale.

Anos 90

í‰ até estranho falar nos anos 1990 como algo tão distante porque foi nesse perí­odo que eu vivi minha infí¢ncia e parte da minha adolescência. Apesar do boom das boybands e das cantoras pops como Britney Spears, esse perí­odo é marcado pelo surgimento do grunge. Se no iní­cio da décado o Guns ”˜n”™ Roses ensaiavam a volta triunfal do Hard Rock, poucos anos depois o encanto de Axl Rose foi quebrado por uma galera de Seattle que ensaiva em garagem um som tão revolt quanto o dos punks, mas com um visual bem menos agressivo. Camisa xadrez, calça jeans rasgada, tênis converse… Nirvana, Soundgarden, Pearl Jam, Alice in Chains, todos se vestiam assim, mas não para fazer estilo, simplesmente porque era a roupa que tinham: A mais barata, a mais comum dentro do universo que habitavam. Acontece que esse universo virou moda e foi parar até mesmo na passarela da Perry Ellis em uma coleção criado por Marc Jacobs em 92 (o que, inclusive, causou a demissão do estilista).

Para saber mais
Assista: As Patricinhas de Beverly Hills é um retrato perfeito de como nos vestí­amos nessa época. A série Friends, Barados No Baile e as primeiras temporadas de Sex and The City também são um retrato bem legal do estilo 90”™s.
Ouça: Nevermind (Nirvana)
Leia: Mais pesado que o Céu. Biografia do Kurt Cobain, o livro trás fotos e desenhos que retatraram essa década.

Anos 2000

Atingimos um estado de pluralidade. Na moda e na música não há mais espaço para um único estilo. Tudo aqui é reinventado, misturado… Os looks e as cançíµes tem mil referências distintas. Não existe somente uma tendência, estamos cheios delas. A verdade é: A moda e a música nunca foram tão democráticas. Com tantas opçíµes, como definir um estilo? O segredo é juntar tudo o que te encanta e tem a ver com a sua personalidade e criar algo único, sem medo de ser feliz. Chegamos a um patamar onde quase nada mais choca e existe uma liberdade imensa na hora de se vestir. Ainda assim, a moda e a música não se separam: Não existe emo sem moda e sem música, não existe indie sem moda e sem música… E não esses, talvez, os dois grupos de rock mais influentes da atualidade? Seja na década que passou ou na que está para começando… Moda e música não se separam mesmo. E arrisco a dizer que, infelizmente, o rock nunca esteve tão pop.

Aiai, como eu queria ter nascido nos anos 1960… Boa música, boa moda, bom cinema, boa literatura… Tudo de bom!

14 comentários em “Rock ‘n’ Roll Machine”

  1. evenim às 10:25

    Van Halen Metal farofa??
    Não tem do que se orgulhar? AH VÁ. Van Halen é maravilhoso.

    Só vemos esses trecos ridiculos em site de gente que não entende de nada de rock.

    Aff.

  2. Juliane às 15:51

    Nossa, li meio atrazadinha, mas adorei o post! E viva ao Rock farofa, anos 80, os meus preferidos. Adoro as tendências da época, oncinha e muito couro. Acho o máximo!

  3. Juliane às 15:50

    Nossa, li meio atrazadinha, mas adorei o post! E viva ao Rock farofa, anos 80 os meuspreferidos!!! Parabéns Vicky!

  4. kikadelpiero às 00:48

    opa.. Faltou o filme icone do movimento Grunge: "Singles – Vida de Solteiro"

  5. Dakota Na Rede às 18:14

    Nossa! Que homenagem ao rock e à moda!

    Adoramos! E compatilhamos em nossas redes, olha lá, no Twitter, http://twitter.com/DakotaNaRede e no FaceBook, http://www.facebook.com/profile.php?id=1000010132

    Beijocas, Victoria!

    Dakota (na Rede).

  6. Teddy às 18:04

    Amei o blog, já to seguindo e adoraria se segui-se o meu tambem: http://enteddyada.blogspot.com
    Beijoos

  7. Dafne às 16:13

    Depois de ver TUDO isso, imagina como seria ridículo o mundo hoje se não existisse o Rock…
    Beijos

  8. licedoa às 10:49

    Queen, Nirvana, Janis Joplin, e os anos 90 são os altos desse post! Eu sou incondicionalmente apaixonada por Queen! rsrsrs…
    =1

  9. Geovanna às 02:09

    AHAZOU NESSE POST!
    muito boom!

  10. Jay às 23:37

    tudo lindo, tudo muito bem escrito, como sempre ♥
    e ue tbm queria ser dos anos 60 /cry

  11. Nessa às 22:35

    AMEI o post!
    Muito bem levantado!
    Só não considero muito o "rock" 2000… enfim… como vc disse, época boa eram os 60's!

    Beijão.

  12. B. Doce às 20:31

    viva the rock'rs

    trite é saber que há bancas que fazem essa tendencia decair nos dias de hj! =

    beijoss and rock roll all nigth! yes

  13. wendy às 19:21

    A-d-o-r-o os Anos 60.. essa roupas são perfeitas e a música então nem se fala!

    Me deu um medinho o 2000..
    ainda bem q hoje é democrático, dá pra misturar anos 60 com as peças atuais.

  14. tatagiglio às 18:50

    UOWWWWWWW!

    Vou ler com mais calma, mas posso adiantar? Sensacional… Acho que a música é a melhor referência para estilo. Confesso que vivo muito bem sem o estilo do ano 2000. Todos os outros tem um charme incrível e eu sou mega suspeita, acho que eu seria muito estilosa se vivesse nos 70 AHAHA!

    Adorei relembrar os 90's com as tendências dos Friends. Rachel Green é o retrato mais do que perfeito do estilo dessa década!

    Tá arrasando menina! Bjs

Deixe seu comentário!