Destino: Londres – Alimentação

postado em  •  28 comentários

Comer bem na terra da rainha é uma tarefa praticamente impossí­vel. Quer dizer, não tão impossí­vel assim, mas bem perto disso -e é por isso que ganhou um post especí­fico para compartilhar as dicas “cazamiga”.

A Inglaterra não é um paí­s de tradiçíµes gastroní´micas como seus vizinhos França e Itália. Com excessão do tradicional chá inglês (e a pausa da rainha í s 5 p.m para seu tradicional chá), não existe nenhum “alimento” tí­pico. Ou melhor tem: é Fish and Fries, ou seja, peixe frito e batata frita. Isso mesmo meus amigos, sem nenhum arroz, saladinha ou molho vinagretchen como acompanhamento. Fritura + fritura e só. Não sei vocês, mas por mais junkie way of life que eu seja, mas não sou muito chegada em fritura. O cheiro até dava uma vontadezinha, mas como sei que meu fí­gado não aguenta tanta emoção, passei. Além disso, morro de medo de comer coisas fora de casa e imagina isso num paí­s que você não conhece, com temperos e modos de preparo que você também desconhece?

Se alimentar bem em Londres foi definitivamente a parte mais chata e difí­cil da viagem. Não era tanto pelo preço, mas sim pelo medo de passar mal. No segundo dia, fomos jantar em um restaurante chinês: a comida era boa, precinho honesto mas algumas horas depois, 2 pessoas que estavam comigo passaram mega mal. A partir deste episódio, começamos a consumir mais comidas feitas por grandes redes por ser uma comida “padronizada” e mais dentro dos nossos padríµes como fast foods, pizzarias e ocasionamente, alguma cantina para comermos massas.

Conversando com alguns conhecidos que já moraram em Londres, a impressão que tanto eu quanto todo mundo que estava comigo teve não estava tão errada assim: as opçíµes de alimentação na cidade são limitadas, e se você quer fugir dos Fast Foods, o jeito é preparar você mesmo. Mas no caso dos turistas, isso torna-se uma tarefa impossí­vel. A solução é se virar como pode e apelar para comidas que nós estamos mais acostumados.

A quantidade de restaurantes do tipo fast food em Londres é absurda: numa mesma avenida, é possí­vel encontrar 2, 3 unidades da mesma rede. Starbucks por exemplo é uma praga, e sempre quando você pensar em dar uma pausa para tomar um café quentinho, pode ter certeza que no próximo quarteirão você encontrará uma. O mesmo vale para o KFC, o Burger King, o Subway e claro, o Mc Donalds.

Dentre todas as redes, uma em especial me conquistou e acho que vale a dica, principalmente para quem quer fugir do junkismo total ou enjoou dos hamburgueres. A Pret a Manger se destaca principalmente por oferecer opçíµes mais saudáveis (ou seriam menos junkies? rs) e lanchinhos deliciosos (amei um de atum, rúcula e pepino!) e sempre fresquinhos. Além disso, eles vendem sucos, bebidas enlatadas próprias, saladas (alí´ vegetarianos!) e até mesmo sushis!

Comida gostosa, limpinha e com preço honesto. Geralmente gastava £5 (mais ou menos R$14) com lanche e bebida, o mesmo preço que eu gastaria no Mc Donalds ou no Subway de lá. E é bem fácil de encontrar um restaurante da rede em qualquer ponto da cidade.

Depois de 2 dias comendo lanche, você começa a clamar por uma comida no melhor estilo arroz, feijão, bife e salada, vulgo comidinha da mamãe. Se você for ousado e não tem medo de arriscar (leia-se ter um piriri no meio da viagem), a cidade (principalmente a região do Soho) é cheia de restaurantes especializados em cozinha tailandesa (é o que mais tem, juro!), indiana, italiana e claro, oriental. Entre as poucas (leia-se 2) vezes que arriscamos comer em restaurantes off-redes, escolhemos cantinas e ainda assim foi dificil nos habituarmos ao paladar dos ingleses: a massa é deliciosa, mas com uma quantidade exagerada de molho. O mesmo vale para as saladas. A Rapha já esteve lá e comentou comigo que os ingleses adoram comida bem temperada e com bastante molho. A dica dela é na hora do pedido, explicar que você quer mais ou menos 1/4 ou 1/2 (se você preferir) do molho para ficar equivalente ao que nós estamos acostumados.


Cupcakes lindos, fofos e gostosos numa doceria na Baker Street Station


Outra opção é comprar coisinhas nos mercados e consumir durante o passeio ou ainda, levar para o hotel. A rede de lojas de departamento Mark & Spencer tem várias conveniências espalhadas por toda a cidade e lá é possí­vel comprar desde lanches naturais, quentes (estilo Hotpocket), frutas, bebidas, iogurtes, bolachas, nuts e afins. Outras lojas de departamento como a Harrods e a Selfrigdes contam com uma área de alimentação com restaurantes, lanchonetes e cafés. Na única vez que tentamos ter um jantar digno na Harrods, sentamos e o atendente disse que o restaurante estava fechando (8 p.m gente, OITO HORAS DA NOITE). Quer dizer, VDM.

Se você gosta de frutas vermelhas como eu, se prepare para uma overdose delas: tudo feito por eles é feito de amora, framboesa, blueberry ou cereja… é uma verdadeira overdose de frutinhas meigas.
Tem até refrigerante de cereja, o Tango Cherry, que virou meu ví­cio londrino. í‰ uma bebida não tão gaseificada tipo Soda Italiana, mas sem aquele gosto artificial de cereja, ou seja, é o puro creme do amor não alcoolico <3

Outra bebida que fez sucesso entre a nós na viagem foi a Vitamin Water, uma espécie de beautydrink (pausa para o auto-jabá) da Inglaterra. Como nós também estranhamos a água de lá (por conter mais minerais, ela é mais pesada e tem um gosto levemente diferente), o jeito era tomar águas saborizadas com vitaminas.

Sobre os preços, ao contrário do que muitos me diziam, não achei que comer na Inglaterra fosse caro, no fundo achei equivalente ao preço que nós pagamos aqui. Tanto nos Fast Foods quanto nos restaurantes, paguei o equivalente a média que eu gastaria em um Mc Donalds da vida ou um restaurante OK de SP. Em termos de valores, vamos chutar uma média de £5 (R$ 14) nos Fast Foods e £10 (R$ 28) nos restaurantes incluindo bebida. A média dos refrigerantes de 500ml e água é de £1,50 (R$ 4), Vitamin Water £2,80 (R$ 8) e Starbucks varia entre £0,70 (R$ 2) o café expresso simples a £3,80 (R$ 11) frapuccinos e cafés mais elaborados.

Por fim, se for você for do mais ousados ou que não tem medo de arriscar comer algo diferente, o London Eating e o Visit London são ótimas opçíµes para quem precisa de dicas de onde comer na cidade.

E apesar de eu ter feito esse post falando relativamente mal da comida londrina, a cidade não deixa de ser a materialização da magia e do amor <3

Primeiro post da série: Os primeiros passos: passaporte, visto, libras e embarque
Segundo post: Chegando lá: imigração, transporte, temperatura e fuso horário.
Próximo post: Guia de Compras de Londres Parte I: as liquidaçíµes, os preços e (tcharãn!) como receber até 15% do valor das suas compras de volta!

28 comentários em “Destino: Londres – Alimentação”

  1. Halini às 23:36

    Amei os posts sobre tudoooo… faço meu segundo desembarque la em Abril deste ano e mal vejo a hora!!
    ano passado voltei uns 3kg mais gorda e com total AGONIIIA e PANICOO de Mc e BK prq foi só isso que eu comi hahahahaha! é a vida de turista de primeira viagem né, mas agora com suas dicas já foi saber comer um pouco melhor
    E ….apesar destes apesares alimentícios e do meu fígado e estomago odiarem essa cidade devido a primeira experiencia ,meu coração ama com toda a força *-*
    Love London <3

  2. bruunaduarte às 15:36

    Ai que deliciiiia esse post! haha nao vejo a hora de experimentar tudooo!
    vou para oxford em janeiro, ficarei lá 40 dias! veja meu blog http://www.brunaduarte.com.br
    Bjs

  3. Luiza às 11:49

    A inglaterra não é um país e sim uma nação, ou pais é Reino Unido ou Grã-Bretanha

  4. Marianne Rangel às 14:35

    Outra dica para os lanchinhos estilo Pret a Manger e Mark & Spencer é a rede de mercados Tesco. Oferecem vários sanduiches deliciosos, Salada de frutas, etc… E em alguns ainda tem uma prateleira com produtos que estão pra vencer pela metade do preço! Sempre comprava um saco de Donuts com 8 donuts deliciosos por 0,50libras!

  5. @elfinha às 21:52

    Acho que qualquer lugar do mundo que vc vá passar mais de uma semana irá enjoar das comidas e suplicar pelo arroz com feijão e bife! Não tem jeito, essa nossa comidinha é muito gostosa e completa e não existe em nenhum outro lugar.
    Nos EUA tb tem muito fast food, mas se vc vai a um restaurante e quer fugir do fast ood vc come salada, legumes e um bifão ou frango… Nunca tem arroz e quando existe a opção é ruim e diferente do nosso.
    La tb é valido comprar coisas no mercadinho para cafe da manhã, lanchinhos fora de época etc! =)))

    Adorei o post! =D
    Beijossss

    1. Victoria Siqueira às 09:05

      Ai Daf, nem fala… mas acho que o pior mesmo é que não tinha opção sabe? Como disse minha amiga, é igual ou pior que os EUA. Chegou um ponto que até o tal lanchinho de atum com rúcula e pepino me fazia mega feliz sabe? E olha que eu não sou a pessoa mais "saudável" do mundo, e ficava td feliz pq tava comendo verdura haahahaa… desesperador!

  6. Nicole às 01:28

    sou meio fresca com comida, principalmente tratando-se de junkie food, da qual não sou muito fã… dificilmente troco uma bela refeição por lanche.
    poxa, acho que me daria mal por lá! é estranho estar nesses países com água salobra, né?
    Tô amaaaando as dicas!

  7. Julie Duarte às 23:14

    Eu sou >>LOUCA<< pra visitar Londres! Um dia ainda vou lá, juro! E vou seguir todas as suas dicas haha;
    Te linkei lá no meu blog.

  8. Nina Mello às 23:06

    Tô adorando acompanhar sua viagem por Londres, e louca de vontade de poder ir um dia também.
    Aliás, adorei o BG novo do site. Está lindo. =)

  9. Iara às 21:36

    Muito bom o post! Pretendo ir para Londres (e de quebra, conhecer Liverpool – beatlemaniac detected) no final desse ano, lá por dezembro, está ajudando muito! :)
    ps: Em Londres as pessoas tem sotaque muito forte? Pq nos filmes britânicos que eu vejo, o sotaque é beeem puxado haha eu acho LINDO sotaque britânico, mas difícil de entender!
    beijos

    1. Victoria Siqueira às 23:16

      Oi Iara! Então, eu queria ter ido pra Liverpool, mas não deu tempo. Quero voltar pra conhecer o que ñ deu tempo em LDN e dar um pulo em Liverpool também \o/ Fico feliz em saber que os posts estão te ajudando, ainda mais pq eu tb fui nessa época.

      Então, o sotaque é bem carregado e lindo, MAS dá pra entender tranquilamente. Quando eles percebem que vc é de fora, principalmente funcionários dos serviços públicos e vendedores de lojas, eles falam mais pausado, sem carregar tanto no sotaque, pra vc entender mesmo. São mega fofos :D

  10. Thiago às 19:41

    Eu acho que também teria "medo" de comer fora do país, não tanto por passar mal, mas também pelo fato de que eu sou SUPER enjoado com comida. Mas se tem Starbucks e McDonalds podemos dar um jeito, hahaha!
    Victoria você não se lembra de algum doce gostoso que você comeu por lá, sei lá, acho que poderia ter alguma dica de guloseimas também…
    Ah, adorei a embalagem de Tango Cherry, ok, eu meio que acho muito legal embalagens, então acho que compraria várias comidas "bonitinhas", hahaha.
    Os posts da viagem estão ficando demais!

    ;*

    1. Victoria Siqueira às 20:04

      Oi Thiago!

      Eu nem sou enjoada pra comer, mas é que eu sou alérgica e tenho algumas limitações alimentares como leite e óleo de soja. Então o medo de passar mal é tão grande que sei lá né :(

      Na verdade meu consumo de doces se limitou a KIT KAT! Como eu sou louca por eles e lá era super fácil de achar, foi o que eu mais comi de doce. Outro dia achei uma lojinha LINDA de Cupcakes e eu comprei um, que por sinal, era delicioso. O mais engraçado é que depois que eu peguei, eu reparei que tinha um BRIGADEIRO (ou melhor, um wannabe) decorando o cupcake HAHAHA… na vdd era uma massa durinha, mas em formato de bolinha e com granulado :D

  11. Thiago às 19:40

    Eu acho que também teria “medo” de comer fora do país, não tanto por passar mal, mas também pelo fato de que eu sou SUPER enjoado com comida. Mas se tem Starbucks e McDonalds podemos dar um jeito, hahaha!
    Victoria você não se lembra de algum doce gostoso que você comeu por lá, sei lá, acho que poderia ter alguma dica de guloseimas também…
    Ah, adorei a embalagem de Tango Cherry, ok, eu meio que acho muito legal embalagens, então acho que compraria várias comidas “bonitinhas”, hahaha.
    Os posts da viagem estão ficando demais!

    ;*

  12. loma às 19:17

    delícia de post! jamais imaginei ser tão dificil comer por lá.. como meu estômago é fresco, teria q sobreviver de sobway até enjoar. mas vale o sacrifício! <3

  13. Elcio Fernando às 19:17

    Vick, excelente post.
    A alimentação fora do país deve sempre ter um cuidado maior, afim de evitar transtornos que prejudiquem o passeio ou estadia. Lembro a todos tbém a importância de se levar na bagagem medicamentos de uso frequente.
    Abração.

  14. Helo Inoue às 18:11

    Nem todo mundo é rycoh e phyno pra comer nos restaurantes do Jamie Oliver, né? hahahah
    Entretanto, ele não tem uns restaurantes das ongs que ele cuida? Meio Jovem Aprendiz? bom, péssimo ter pensado nisso só agora!

    Minha prof de francês que tem uma filha que mora perto de Londres (gente chique) adorou um restaurante de tapas, e ela adorou ainda mais o preço!

    Ai Vicky! estou me sentindo mal agora! super esqueci de te contar essas coisinhas! #BadHelo
    bjoo

  15. Luly às 15:21

    ahco que comer fora do próprio país é seeeempre um assunto delicado, sempre!! O mais viciado em comida japonesa vai estrar comer no Japão, com certeza!!
    Tão bom ler posts falando da "minha cidade", hihi

  16. yasnaya às 14:39

    Bom quase traumatizada com seu post kkkkkkkkkkkk mas legal gostei de saber da Pret a Manger acho que sobreviveria………..vale a pena neh hehe

  17. Paula às 14:06

    Huahua então não vá nunca pro Mexico! Ainda bem que eu não tenho esse problema, como de tudo em qualquer lugar (que seja limpo, claro!)… engordei 5 kg em 2 semanas de viagem!

    1. Victoria Siqueira às 14:15

      Tia, eu nem tenho tantas frescuras, só vejo se o lugar é limpinho e tal (HAHAHA), mas é que a comida era MUITO RUIM mesmo e entre td mundo que eu conversei que já foi pra lá, comentou isso mesmo. Acho que no México eu seria feliz, pq eu amo a comida deles HAHAHA

  18. @natymartimiano às 11:17

    Ótimo post, parabéns! Até que as opções pra comer não são tão ruins assim… me interessaram mto 3 coisas: Pret a Manger, o Tango Cherry e a Vitamin Water rsrs
    Bjo

  19. Natália às 11:12

    Mto bom não dá pra saber qual dos posts é o melhor. Parabéns viu? Ah… até q as opções pra comer não são tão ruins assim. Curti! Deu vontade d experimentar o refri e as aguas hehehe
    Bjoooo
    @natymartimiano

    1. Victoria Siqueira às 13:47

      Ah o problema não são as opções, mas assim, comer 1 dia, 2 até vai. O problema é que vc chega no 6.o dia você não aguenta mais ver lanche HAHAHAHHAHAHA! Mas no Mc por exemplo, ao invês do lanche, comecei a pedir salada, enfim… é o jeito. Mas que dá saudades da comidinha de casa, isso dá!

  20. Chris às 10:50

    Só ver aquela foto do KFC humm crueldade! * desejo*

    Hahaha e medo dessa embalagem do Tango Cherry! hahah Vc viu cherry coke por aquelas bandas???

    bjj

    1. Victoria Siqueira às 10:56

      Chris, o Marco (irmão da Cami, meninasdosite) que foi com a gente andou pelo Soho e disse que encontrou tanto a Cherry quanto a Vanilla. INVEJEI. Eu só fiquei na Tango Cherry e na Diet Coke, pq achar a Zero era uma luta :/

  21. Sara às 09:47

    Não sou muito fã de cereja sabe? Só a fruta mesmo, mas derivados de cereja são enjoativos, APESAR disso, fiquei curiosa para experimentar o refri ;~ onde importa gente? HUAHUAHAUHAU

    To adorando os posts Vi!

  22. Amanda às 09:23

    Tá arrasando a série de posts, Vivi!
    Morri de vontade de provar esse Tango Cherry! ADORO CEREJA! *-*

Deixe seu comentário!