Mentiras que aprendemos com as comédias românticas.

postado em  •  13 comentários

í€s vezes e só í s vezes, não há nada melhor do que se desligar do mundo ”“ parcialmente- e curtir um tempo sozinha. Quando eu quero fazer isso eu geralmente compro cerveja, pipoca e passo o sábado í  noite em casa debaixo das cobertas assistindo comédia romí¢ntica. Mas ultimamente eu tenho perdido a paciência, afinal, todas elas parecem ser exatamente iguais. A receita é bem fácil e muito usada ultimamente. Uma moça e um moço que se odeiam e descobrem no fim que foram destinados um ao outro, como o caso de Life as we know, que assisti recentemente e quase dormi no meio, confesso. Isso depois de ter quase dormido em Coincidências do Amor (The Switch), que faz a linha melhor amigo e melhor amiga que teoricamente não funcionam como casal, mas no fim acabam juntos. Gente, hoje em dia não fazem mais filmes como “O casamento do melhor amigo” em que a gente fica meio confuso e não sabe exatamente para quem torce?  Tem que ser tão óbvio? Será que ele reflete mais ou menos as coisas que nós mulheres acreditamos ou queremos acreditar?

Dá uma olhada nas boas mentiras que a gente pode tirar de comédias romí¢nticas. E nos clichês que insistem em aparecer, se você pretende escrever uma, não pode esquecer destes itens. A ideia do post veio do “The Frisky”.

A mocinha é capaz de ter um orgasmo em 45 segundos ou menos. Resumindo, sexo é deliciosamente fácil.


Em “No Strings Attached”, o filme com Natalie Portman (aquela linda) e Ashton Kutcher que fala sobre amizades com benefí­cios, a primeiras vez que os dois fazem sexo, Emma diz a ele que deve ser rápido por que tem que estar no trabalho em 45 segundos. Eles começam e ela logo chega ao orgasmo. Oi? Primeiro, sabemos que nem todo ato sexual termina em orgasmo, não para a mulher, e ainda que terminasse, 45 segundos? Minha nossa!

Duas pessoas que não se gostam estão predestinadas a ficarem juntas.


Quantas comédias romí¢nticas você já viu com este enredo? Além de “A verdade nua e crua”, poderia citar “Life as we know”, também com Katherine Heigl em que os dois protagonistas não se suportam e acabam apaixonados no final. E aquele em que ela – de novo- fica grávida após fazer sexo bêbada com um tipinho com o qual ela jamais ficaria se estivesse sã. Será que é isso mesmo? Será que aquele cara insuportável que você sempre achou que não valia nem um centavo furado é o mesmo cara para quem você dirá sim no altar? Espero que não.

Voltar e perdoar é super fácil.


Claro, toda comédia romí¢ntica passa por esse meio. Os dois brigam por mil motivos e depois o mocinho vai pedir perdão para a mocinha e os dois voltam na maior facilidade. A moça derruba duas ou três lágrimas, anda sozinha ao som de uma música por alguns minutos e depois vai í  procura do mocinho. Ah, se perdoar fosse fácil assim! No filme “Quero ficar com Polly”, Reuben (Ben Stiller) perde Polly (Jennifer Aniston) quando ela descobre que ele usou o trabalho, algo como analista de riscos, para decidir quem seria a melhor opção para ele, ela ou a ex namorada. Para provar que ele a amava ele faz uma coisa bem ridí­cula como comer uma comida que ele odiava e ela decide não ir embora. Oi?

Você vai encontrar alguém de um jeito bem improvável.


Esqueça fila de padaria, mercados e afins. Esqueça baladas, bares e academias. Você vai encontrar seu grande amor de uma forma bem antinatural. Como fazendo uma viagem para encontrar seu noivo. Imagina só, você faz uma viagem surpresa para encontrar seu noivo e acaba presa com um homem que você não suporta ”“ de novo- e quando finalmente encontra seu noivo descobre que se apaixonou pelo estranho insuportável. Esse é o enredo de “Leap Year”. Mas confesso que amei e torci para que ela ficasse com o estranho. Ninguém é perfeito.

Você vai ficar com seu melhor amigo.


Esse é bem fácil, a mocinha sofre o filme inteiro pelo bad boy, desabafa com o mocinho e lá no fim do filme descobre que o mocinho a amava o tempo todo enquanto ela buscava pelo amor em outro lugar. Este roteiro foi usado em muitos filmes na verdade e olha a Katherine ai de novo!

E não podemos esquecer de “Ele não está tão afim de vocꔝ a comédia romí¢ntica que tem todos esses elementos de uma vez só. E você ainda torce pela Gigi. Por que no fim das contas todo mundo gostaria que o amor fosse fácil como um grande clichê. Não é não?

Para não nos sentirmos tão azaradas assim, conta para gente se algo parecido já aconteceu com você!

13 comentários em “Mentiras que aprendemos com as comédias românticas.”

  1. Amy às 12:41

    Já aconteceu algo comigo no "Duas pessoas que não se gostam estão predestinadas a ficarem juntas."
    eu e meu namorado começamos a conversar pela internet, e eu achava ele muito chato apesar de gatinho, ele ficava no meu pé pra conhecer ele pra ele poder ir na minha escola me encontrar e eu vivia dando não's e a gente vivia discutindo, porém um dia de chuva estava eu na minha escola e e advinha quem foi me buscar? ele. Conversamos muito, e ele e eu nos beijamos, fiquei estressada pra caracas, no outro dia ele disse pra mim q tava apaixonado, me pediu em namoro uma semana depois com aliança e tudo, e eu meia lok resolvi aceitar começamos a nos amar e estamos hoje completando 2 anos juntos *-* bjos.

  2. Camilla Ivy às 17:44

    Essa de "você vai ficar com seu melhor amigo" aconteceu exatamente do mesmo modo que o meu.
    Eu era (sou!) apaixonada por o meu único melhor amigo. Sempre corri atrás dele, mas desisti depois de 3 anos (!!!) isso mesmo 3 anos, e ai fui dar chance para outra pessoa, mas o meu melhor amigo odiava a pessoa com quem eu comecei a namorar, e ficava com ciúmes quando eu falava e estava com essa outra pessoa.
    Durou 9 meses, posso dizer que não foi ruim, mas tive que aprender a amar alguém que eu realmente não amava.
    Mas, passou algum tempo, e nas nossas saídas com os amigos e talls, íamos beber alguma coisa, só eu e ele não tomamos nada, estávamos sóbreos, e depois de conversar, nos beijamos *-*
    Foi aquela coisa inesperada, do tipo que estava afim de beijá-lo e ele também, nada foi programado…
    Foi lindo… e desde aquele dia estamos namorando… até hj (1 ano e 8 meses, dia 06) :D
    Vai dizer que não é uma história de filme mesmo?!
    Beijos :*

  3. bellaabreubh às 01:12

    Eu e ele estudávamos na mesma faculdade, no mesmo andar, em salas vizinhas. Isso em 2006. Não nos conhecíamos. Ele casado, eu apaixonadinha por um cara que não dava a mínima para mim. O tempo passou, eu comecei a namorar, ele seguia com seu casamento. Ele terminou em junho e eu em outubro. Estava de saco cheio do meu dedo podre pra escolher homem e resolvi me dar de presente um período sabatico. Nada de ficantes, beijinhos, nem namoricos. Um belo dia no twitter, eis que alguém joga uma indireta para mim… milagrosamente, neste dia, eu estava com um bom humor infinito e resolvi dar papo. Ficamos conversando, trocamos MSN e nos falamos pro lá mais ou menos ums duas ou três semanas. Ele me chamou pra sair umas duas vezes e eu fiz a difícil e não aceitei… um belo dia, num tédio total, resolvi eu chamá-lo para sair. Ele não podia, mas marcamos para o dia seguinte. Foi amor a primeira vista. Eu estava nervosa como nunca, meio porque estava me achando uma louca por sair com um desconhecido e meio porque meu coração estava aos pulos e eu não entendia o porque. Pois bem, sentamos, conversamos (eu falei umas 3h na cabeça dele… ahahah) e uma hora ele me beijou. Faltou só os sininhos. Começamos a namorar 2 dias depois e com menos de 2 meses de namoro, em uma viagem para a Argentina, ele me pediu em casamento.
    Tudo ser fácil e perfeitinho como nos filmes, realmente não existe. Mas todo mundo tem uma histórinha fofa pra contar! E se não tem, ainda vai ter!!!
    Beijoooo

  4. My name is às 18:53

    Ele não está tão a fim de você eu achei bem verdadeiro, tirando o final.

  5. Brenda às 11:02

    É… eu tinha um amigo, estava apaixonada por outro e num sábado a tarde, num inocente convite pro cinema, descobri esse amigo interessado por mim. Cinco minutos depois estávamos namorando! Ficamos juntos e felizes por 4 anos! Acho que as melhores coisas acontecem sem que a gente esteja esperando……

  6. Kiany às 10:19

    Na verdade, eu passei por uma dessas! Eu era aquela que tinha um melhor amigo, e desabafava toda minha tragédia amorosa com ele. Eu era totalmente apaixonada pelo tipo bad boy, enquanto meu amigo só me ouvia e me consolava. Até que um dia eu me descobri apaixonada pelo meu amigo, e ele revelou ser apaixonada por mim há muuuuuuuuuuuuito tempo, tipo anos. E hoje a gente namora há mais de 1 ano, e suuper felizes!

  7. Samira às 08:47

    Toda a minha vida eu odiei comédias românticas e novelas mexicanas porque além de super previsíveis, eu achava super irreais também. Mas, apesar de tudo isso, na minha vida aconteceram 4 das 5 coisas que vc listou acima, sem falar de outros inúmeros clichês típicos de uma novela mexicana ou uma comédia romântica: conheci um MEXICANO (que tem nome duplo, como nas novelas) em uma viagem, justamente na França, foi paixão à 1a vista, somos opostos completos e odiamos quase tudo que o outro faz, a ex dele é uma megera e se chama Paulina, superamos barreiras (viver em países diferentes, planos de vida diferentes, visões de mundo diferentes, etc), entre outras coisas ridiculamente incríveis (não de bom, incrível de não dar pra acreditar MESMO!) que aconteceram na minha vida desde que eu conheci ele.

    Estamos juntos à dois anos (voltando e perdoando), mas te garanto: eu daria qualquer coisa pra ter uma relação normal. Hoje eu odeio ainda mais as comédias românticas não por falar de coisas impossíveis, mas por fazer todas essas coisas supostamente impossíveis parecerem super fáceis – e ainda chamam de comédia.

  8. Luly às 01:01

    Se minha vida fosse uma comédia romântica deveria ter 5 horas de duração e as pessoas iam querer me bater antes d final, mas chorar quando ele chegasse.
    Mesm com esse tanto de clichê é legal assistir essas comedinhas mamão com açúcar. Mas esperando que não vai acontecer com a gente, haha

  9. Fernanda às 22:37

    Escrevi hoje mesmo um post sobre clichês nas comédias românticas! E, mesmo vendo que é tudo sempre igual, tudo completamente fora do mundo real, a gente continua assistindo e adorando esses filmes, né! haha ;)

  10. Anna às 22:20

    Infelizmente nada disso aconteceu comigo, começar a namorar o cara que conheceu na net e acaba tudo em desalinho, conta como cena de filme? srsr

  11. Jeane às 22:12

    kkk!! Concordo com vc!! eh tudo clichê!! Soh existe em filmes mela cueca!! Na vida real nada eh tão florido!!! O Post ficou ótimo!! PARABÉNS

  12. Gustavo Jreige às 21:35

    Ótimo post. Dava pra virar sketch de TV, pela linguagem que foi (bem) escrito.

    :D

    1. JackelineAguiar às 22:10

      o/ Obrigadaa! ;-)

Deixe seu comentário!