Oi meu nome é Victoria e hoje eu não comprei

postado em  •  61 comentários

Antes de começar a descorrer este post, gostaria de fazer uma confissão: sou uma pessoa assumidamente consumista. Sim, consumista e sem freios, impulsiva, principalmente com coisas que eu sei que eu sequer usarei. Ao longo do último ano (mais precisamente depois disso aqui) tenho tentado me controlar e pensar mil vezes antes de comprar e já adianto que não é fácil, é quase uma luta diária. E sei que não estou sozinha nessa e por isso, resolvi fazer um post sobre este assunto aqui no blog porque tenho certeza que uma grande parte das minhas leitoras vão se identificar comigo.


Cher, minha musa inspiradora na arte do consumo desde 1996

Umas semanas atrás, eu e meus amigos do trabalho saí­mos para almoçar quando surgiu o assunto cosméticos e consumo. Conversa vai, conversa vem, caí­mos no assunto produtos que efetivamente usamos e os outros que ficam jogados ali no fundo do organizador de maquiagem, esperando apenas chegarem no prazo de validade para serem jogados direto no lixo, muitas vezes sem qualquer indí­cio de uso. Foi ali que eu comecei a realmente pensar na quantidade de maquigem que eu compro e em paralelo, o que eu efetivamente uso. Quem convive ou já encontrou comigo em algum momento deve ter reparado que em 99% das situaçíµes eu estou com a pele feita (corretivo, base, pó, blush e bronzer), delineador preto, máscaras de cí­lios e batom rosado (aka Pink Plaid da M.A.C.)- o outro 1% é quando eu troco o Pink Plaid pelo Ruby Woo e deixo o traço do delineador mais fino ou faço um smokey eye preto com batom nude tipo Hue. Essa é minha maquiagem básica, que eu uso todos os dias para trabalhar ou quando emendo um Happy Hour ou até mesmo uma balada com os amigos. Por mais que eu AME maquiagem e ache incrí­veis os looks que a Andreza por exemplo faz, você dificilmente verá eu usando uma proposta mais ousada, com cor. í‰ quase uma zona de conforto, um piloto automático da maquiagem: levo os itens pro banheiro e 10 minutos depois, a “mágica” foi feita.

Nesse mesmo dia, vim para casa pensando no quanto eu já havia gastado com maquiagem e o que eu realmente havia usado. Chegando, resolvi mexer nas minhas maquiagens e para minha surpresa, encontrei coisas que eu simplesmente havia “esquecido” que eu tinha: batons de cores que eu sei que eu nunca usaria, vários tubinhos de gloss (gente, não uso gloss há anos!), sombras e palletes coloridas, delineadores e lápis coloridos e muitas, mas muitas coisas repetidas -e quase tudo intacto e relativamente novo, maior parte comprada nos últimos 2 anos. Olhei um pouco mais para o lado e vi a quantidade de perfumes que eu vim acumulando ao longo dos últimos 3 anos (fora os que eu trouxe da viagem) e percebi que só o Fantasy, Play Intense e o Womanity estão com os frascos usados, os demais, intactos. Os esmaltes foram pelo mesmo caminho: comprava 2, 3 da mesma cor com medo de sairem de linha e hoje voltei a usar só os tons avermelhados que devem se limitar a 2 ou 3 cores em meio uma caixinha de 200 esmaltes. Olhei para tudo aquilo e pensei: porque eu acumulei tudo isso se o que eu preciso e uso de verdade se resume a no máximo 10 itens de maquiagem, 3 perfumes e 1 cor de esmalte? E isso sem dizer nos 3849559 produtos de cabelo parados há tempos no banheiro porque eu sempre caia no conto das vendedoras “solí­citas” das perfumarias que tinham sempre a solução milagrosa para meu cabelo loiro.

Desde que eu pratiquei o desapego no meu guarda-roupa, tenho tentado ver com outros olhos a maneira que eu consumo. Como eu disse na ocasião, ver meu guarda-roupa “vazio”, com as peças que condiziam com meu estilo hoje e aqueles sacos intermináveis de roupa para doação foi libertador por inúmeros motivos -e ainda fiz o bem, passando o que não me interessava mais para alguém que realmente precisasse. Esse acúmulo de cosméticos foi um resquí­cio do que sobrou de uma mania minha de querer comprar tudo que eu via pela frente com um misto de euforia (juro que eu ficava ansiosa!) e aquela sensação de “eu preciso”, mesmo que eu não soubesse para que exatamente eu queria. Hoje eu vejo que não é porque é barato que você tem que sair comprando aos montes: custando R$1 ou R$1000, compro o essencial, o que vai me fazer feliz, o que eu efetivamente usarei. Afinal, de que adianta comprar 10 batons de R$10 reais se eu usarei apenas 1 deles? Serão R$90 jogados literalmente fora. Não é só uma questão de valor financeiro, mas de consumo consciente, de que eu vou realmente usar e valorizar aquilo que eu tenho em mãos, seja ele barato ou caro. Agora prefiro parar e pensar inúmeras vezes antes de comprar. Não é fácil, muitas vezes você volta para casa com a sensação de “porque eu não gastei” mas uma hora tudo começa a fazer sentido, e você aprenderá a valorizar não só suas coisas como seu dinheiro. Ao invês de deixar me levar pelo impulso, estou tentando me reeducar a consumir, a priorizar a qualidade ao invês da quantidade (lembram deste post? logo mais vem uma versão 2.0 dele!) mesmo que eu precise pagar mais caro por isso. Não me importo por exemplo, de pagar caro numa base de qualidade, porque afinal, é uma coisa que eu uso todo santo dia. O mesmo vale para um batom de uma cor que eu quero, uma boa máscara de cí­lios, um shampoo que deixe meu cabelo bonito. E vale também para os produtos mais baratos. Compro agora o que atende minha necessidade real, e não a de consumir, o que vale a pena de verdade. São valores que a gente vai aprendendo com o tempo, com as experiências e por isso, não condeno quem compra demais, porque eu era assim e hoje sei medir o que eu realmente preciso. í‰ questão de tempo, de feeling.

Esses dias passei por uma prova de fogo que talvez tenha mostrado que eu estou aprendendo a controlar meus impulsos consumistas. Passei numa perfumaria dessas cheias de tranqueiras para comprar algodão e advinhem? Saí­ Sí“ com o algodão e em tempo recorde. Se fosse em outros tempos, certamente ficaria rodando por lá até achar alguma novidade e trazer para casa. Pode parecer um exemplo bobo, mas foi o suficiente para sentir orgulho de mim mesma. E eu sei que é um longo caminho, mas já dei o meu primeiro passo.

Quanto ao que eu não uso, estou pensando no que eu vou fazer. Existem coisas que pode ser que em alguma ocasião eu precise então manterei, outras talvez darei para alguma amiga louca por maquiagem. Os esmaltes provavelmente se dividirão entre minha manicure e minhas amigas loucas por esmaltes. Já os perfumes, bem, esses eu confesso que tenho apego e até um certo ciuminho, então eles podem até estragar, mas vão continuar abrigando um lugarzinho do coração na minha penteadeira <3 HAHAHA.

E como diriam num desses grupos de ajuda, “um dia de cada vez”. Meu nome é Victoria e eu estou há 3 dias sem gastar. TODAS AZAMIGA BATE PALMA (sic)

PS: obrigada a Camies por ter me encorajado a confessar meus pecados consumistas depois deste post aqui.

61 comentários em “Oi meu nome é Victoria e hoje eu não comprei”

  1. Janaína Martha às 13:09

    Nossa, me vi nesse post… Comprar por comprar, nunca usar e depois ter que jogar fora! Complexo…
    A sensação é maravilhosa na hora, mas depois que voce chega em casa olha o que comprou por impulso, seja pelo preço baixo (na maioria das vezes) ou por que alguem falou, pensa… "onde é que vou usar isso?"… De que me adianta um Ruby Woo se não uso batom vermelho nunca? Essas coisas a gente nem pensa na hora, mas depois todos os porém ficam martelando em sua cabeça e bate a deprê! Gosto muito de compras, especialmente online, mas para ajudar um pouco no meu consumo desnecessários e desenfreado comecei a vender as coisas que comprava e sabia que nunca ia usar… Está dando certo, porque assim pelo menos posso ficar comprando umas coisinhas… hehehe
    Fiz até um post sobre conseguir passar por uma coisa que amei e não comprei, pois não teria utilidade nenhuma… :) http://bugigangolandia.blogspot.com/2011/04/quase

    Beijinhos e parabéns pela sinceridade!

    Janaína

  2. Natt às 11:52

    Sei muito bem como vc se sente e eu me sinto igual. Muitas vezes fiz promessas de que ia passar um mês sem comprar nada. Até conseguia, mas no segundo mês comprava tudo que tinha direito.
    Vira uma espécie de vício. Estava vendo o documentário da MTV chamado True Life sobre umas garotas shopaholics e vi que estou no mesmo caminho. Minto para as pessoas o quanto gasto, escondo minhas compras, na hora de pagar peço para passarem o valor em diferentes cartões…isso é realmente uma loucura!
    O meu maior vício é maquiagem e cosméticos, tanto é que fiz um blog dedicado a eles http://www.beautyforlovers.com e eu escolhi enchergar esse meu vício como um hobby e não como uma coisa ruim.
    Mas se eu comprasse só isso tava bom né??
    Eu acabo comprando um monte de coisas…eu uso tudo que compro, nunca me arrependo, mas ninguém precisa comprar 4 sapatilhas por vez né?
    Gostei muito do post, quero fazer um no meu blog abordando esse assunto!
    Beijos Vic!

  3. Anna às 00:07

    Vic, adorei sua confissão! Sempre fiquei pensando no tanto de coisa que vocês, blogueiras de moda e maquiagem, devem ter acumuladas em casa, porque não adianta, por mais que a gente seja eclética e multi-estilos, existem coisas que ficam de lado MESMO.
    Convivo com uma consumista dessas frenéticas, que é minha mãe, e era de assustar a facilidade que ela tinha de entrar numa loja e sair com uns 5 pares de sapato que não tinham nada a ver com ela, que ela usaria uma vez e nunca mais, só porque na hora parecia imperdível ou que ela precisava ter. Ou melhor, era de assustar a dificuldade que ela tinha de não fazer isso.
    Acho que é por isso que eu segui o caminho inverso e sou totalmente mão de vaca, por ter em casa um exemplo – agora mais controlado – de total euforia consumista e ver o resultado disso. Minha mãe faz limpa no armário de 6 em 6 meses e sempre saem de lá sacolas lotadas, com coisas que as vezes ela nem usou. Tem um lado bom, porque eu aproveito bastaaaaante coisa, mas realmente, essa falta de freios é prejudicial, pouco consciente, sem falar que uma hora a carteira grita, né?
    E agora fui parar pra pensar bem e até mesmo eu, mega pão dura, cometo meus excessos. Não tenho 200 esmaltes, mas tenho lá uns 20, 30 vidrinhos e ao menos 7 são em tons de azul esverdeado "a la Sereia" e o incrível é que compro todo esmalte com esse tom que vejo na frente, mas na hora de usar, sempre vai o Sereia.
    Acho que falei demais, mas curti o post.
    Beijo!

  4. Camies às 23:52

    EMOCIONEI!

    Vicky, a primeira prova de fogo da perfumaria vc já passou. Ir em uma Lojas Americanas e sair sem um DVD dez reais é OSSO, viu. Gente, eu sou dessas que NÃO usa maquiagem. Nem BATOM. Minha mãe montou uma caixinha esses dias das maquiagens que eu tenho. FAZ SENTIDO?

    A gente compra pq as coisas são bonitas, acha que vai precisar e talls. SÓ EU SEI, o dia que a fatura chegou em mil reais e o meu vale era de R$ 470 bateu o desespero, viu. Mas a gente tem que passar apertos (eu pelo menos) pra né, cair a ficha. Tem uns 3 anos e pouco esse episódio, mas parece que foi ontem.

    Tô numa vibe economia e olha, esses seus posts de Londres e toda essa coisa do Rock in Rio (quero ir pela bagunça haha) me inspirou. Porra, to com 24 anos na cara e tdo que eu gastei em tranqueira já poderia ir ido pra Londres hahaha

    Tamo aqui pra ajudar azamiga nessa vibe xô becky bloom. Já fui pior, viu. Comprando menos esmaltes, passando longe de revistinha da avon hahaha.

    Bjs ;*

    PS: mas olha, se vc quiser me dar um perfume HAHAHAHA #tiposdeleitora

    1. Victoria Siqueira às 00:04

      HAHAAHAHAHAH vou começar a comentar debaixo pra cima pq já comecei rindo com o #tiposdeleitora HAHHAHAHAAHAHAHAHAHAHA

      Mas voltando ao foco. Depois que eu fechei a viagem para Londres (presente da minha mãe pq né, ou guardava dinheiro pra gastar ou eu pagava a viagem, sente o drama) cortei todos os gastos inúteis (leia-se esmaltes, maquiagem, perfume e roupas que eu sabia que não iria usar). Comecei a gastar só o que eu fazia de freelas para pagar as contas do dia e deixava o salário para levar na viagem. Em 3 meses, percebi que se eu fizesse uma forcinha eu poderia viajar com mais frequencia, comprar coisas mais legais, enfim… são coisas que a gente aprende mais na prática, na hora que a coisa aperta.
      A
      Me abraça Camies. Estamos partindo para uma nova dimensão consumista. Vamos nos tornar pessoas melhores depois disso HAHAHAHAH

  5. Simone C. às 04:09

    VIc,

    Acho que você sabe que eu sempre passo aqui e não comento né? Shame on me!
    Realmente, o post da Camies provavelmente foi o melhor post dela no MF, adorei com todas as forças!
    Adorei tudo o que você escreveu, me identifiquei com a maioria das coisas em um grau um pouco menor e acho que logo vou escrever o meu post sobre isso também.
    Cada dia sem gastar é uma vitória mesmo, não importa se é um ou cem reais.
    Aprendi também que qualidade custa caro mas vale mais investir nisso do que em dez coisas de valor menor e menos qualidade também…

    beijos coisa linda!!

  6. Agislânia às 23:10

    Sei bem como é; no finzinho de 2009 eu cheguei ao meu pico consumista e fiquei no aperto por um bom tempo e apesar de ter dado uma ‘escorregada’ ano passado, não foi tão grave. O bom é que agora eu cheguei em um ponto que eu considero positivo… eu me sinto culpada agora quando compro algo que não PRECISO. Não seria tão saudável também chegar à esse ponto se eu gastasse MEU dinheiro, mas como estou desempregada, o dinheiro em questão é da minha mãe; o ponto é que fui eu que me coloquei esse limite e não ela. Me sinto bem sempre que desisto de comprar alguma coisa, mesmo quando a mão coça muito ou o cartão de crédito grita. =D

  7. Reciclothes às 18:17

    Olá! Adorei o post! Tem tudo a ver com o meu blog, que trata justamente disso: reciclagem de armário!

    Dá uma passadinha lá!

    Obrigada!
    Bjs!

  8. bellaabreubh às 00:29

    Confesso que sou bem assim também… vivia comprando coisas que sei que nunca vou usar, apenas pelo prazer de comprar. Ainda faço isso uma vez ou outra, mas depois que demorei quase 3 anos e meio para pagar uma dívida de cartão de crédito e cheque especial por causa de gastos inúteis, confesso que hoje penso 5x antes de comprar qualquer coisa. E se quero alguma coisa muito cara, procuro versões mais baratas e de qualidade semelhante, para só então comprar… E só compro aquilo que quero muito e que sei que vou realmente usar.
    E olha, é muito difícil resistir aos milhões de produtinhos e etc que andam aparecendo nos blogs por aí. Tem que ter muitaaaaaaaa força de vontade pra não pegar o cartão de crédito e sair comprando tudo! ahahaha

    Beijãoooo… que vc consiga seguir os "12 passos" e continue contando tudo pra gente! =)

    1. Victoria Siqueira às 21:35

      É aquela coisa do "errando é que se aprende". Agora eu aprendi a lição e penso muito antes de comprar, e na maioria das vezes vejo como um investimento: seja uma base, seja um batom, um perfume ou uma viagem. E sobre os blogs tb… se bem q eu já quebrei tanto a cara com resenha que nem compro mais nada, a não ser q eu encontre em vááários hahaha

      =*

  9. Rê às 23:35

    Super me identifiquei com o post! Acho que realmente chega uma hora que você se dá conta disso e começa a refletir sobre os seus atos. Passei por uma fase de mudanças que me forçaram a parar de consumir também e o importante foi ver que dá para sobreviver numa boa sem isso hehhee
    Hoje também só compro o que eu realmente vou usar. Promoções continuam chamando a atenção (sempre, né?), mas não é só pq está barato que eu vou comprar, não! Só compro o que eu quero, preciso e com certeza vou usar!

    Beijão e sucesso no caminho :)

    1. Victoria Siqueira às 21:21

      Eu acho que é uma questão de costume mesmo, de reeducação. Mas fiquei feliz que eu não sou a única :DDDDDDDDDDD

      =*

  10. @zoombia às 14:19

    ahahah, adorei o post. qdo vi no twitter vc falando post até pensei: "Nossa, mas a Vic parece ser uma verdadeira Becky Bloom, será que é verdade?" Mas tô vendo que foi, hein!
    Ah adoro essa ideia do desapego. Depois que descobri os brechós daqui de Brasília passei a vender TUDO que não usava. No quesito cosméticos nunca fui de gastar muito, mas as vezes eu estrapolo nos esmaltes, eles acabam secando e indo pro lixo :/
    Mas acho que seria legal vc tentar vender alguns cosméticos que estejam novos. Faz uma promoção no site e doe seus esmaltes extras! ahahah
    bjs :*

    1. Victoria Siqueira às 21:23

      HAHAHAHA Bia! Eu sempre fui MEGA consumista, daí fui mudando e agora to comprando o essencial, preferindo pagar mais caro de uma vez no que eu quero/preciso do que sair comprando tudo que eu vejo pela frente só "pq é baratinho". Esmalte eu to com tantos, tantos, tantos que nem sei mais o que fazer com eles. Vms ver se rola um pacotão da alegria pra sortear hahahaa

      =*

  11. Nary às 10:27

    Eu to ficando tão consumista quanto, mas depois que comecei a usar umas coisas de qualidade superior, aprendi o real valor do custo benefício e que vale mais a pena pagar um pouco mais caro por uma coisa realmente boa.
    Engraçado que saí comprando um monte de batom por aí e depois que comprei os da mac e nyx so uso eles, ou seja, um bocado de batom encostado na gaveta.
    E já decidi parar de comprar sombras e afins pq apesar de usar eu tenho demais e não faz sentido se eu só uso no fds e muito mal porque me apeguei ao batom vermelho + delineador (culpa sua alías).

    Agora estou na ansia pela minha base da Dior e meu pote de creme da Loreal, duas compras que espero não me arrepender porque não custaram baratíssimo né, mas considerei como investimento.
    E de novo, a culpa é sua por ficar falando da base da dior tá.
    kkkkkkkk

    bjjj

    1. Victoria Siqueira às 10:50

      HAHAHAHAHAHAHA tudo culpa minha!

      Mas é assim Nary. A gente sai comprando tudo que vê pela frente pq acha que é barato, que não vai pesar no bolso, mas daí você vê, sai mega caro no final das contas. Agora prefiro pagar mais caro, mas pelo menos sei que é bom e vai rolar sempre a pressão do "vou ter que usar". HAHAHAHA

      =*

  12. belezamulher.net às 09:50

    Haha.. Ainda bem que você é consumista assumida! Caso nao fosse os seus posts nao seriam tao ótimos! Aposto que sua criatividade vem parte do "colocar energia consumista pra fora".. rs.. e vamos que vamos no !um dia de cada vez". dou todo apoio, mas por favor, quero recaídas! beijinhos

    1. Victoria Siqueira às 21:24

      HAHAHAA vixe, tem tanta coisa pra falar aqui mesmo sem comprar nada =~~~~ to devendo mil resenhas já! HAHAHA

      =*

  13. Miiiih às 22:10

    Oi, flor.. Eu sou muito compulsiva e impulsiva, compro tudo que vejo e gosto, sem ligar para o preço! Mais nesse último mês, parei para pensar.. eu gastava cerca de R$600 ;x por mês, só com besteiras, coisas que eu nem lembrava mais no mês seguinte, que eu nunca usei e por assim vai! E na hora que eu realmente precisava ou queria comprar algo mais caro, não conseguia pois já tinha gastado muito dinheiro.. Esse mês foi bem tenso, NÃO COMPREI NADA -uhull Õ/ NADA mesmo, e estou muito feliz com isso. vi que se querermos algo, conseguimos.. Aprendi que deixar o cartão de lado não dói (:

    beeeeeeeijos, Michelle

    1. Victoria Siqueira às 21:26

      Eu tava na mesma, nunca liguei, nunca fiz cálculo pq no fim do mes sempre sobrava algum dinheirinho pq apesar de consumista, mantenho meus gastos em dia. Maasssss eu queria começar a juntar dinheiro para a próxima viagem ou trocar meu carro, mas o que sobrava tb não era suficiente pra isso né? Ai fui parando pra pensar em tudo e vi o quanto eu gastava por mês. ASSUSTADOR.

      O melhor de tudo é a gente descobrir que dá sim, pra viver e ser sem gastar rios td mês :D

      =*

  14. Isabelle Ferreira às 19:35

    Eu estou passando por uma fase de reeducação do meu consumo. Faz uns 3 meses que voltei a trabalhar (depois de quase 2 anos desempregada) e eu pensei que fosse sair fazendo aloca do cartão de crédito sempre que pudesse. Mas felizmente, deixar de usar o cartão de crédito não está sendo assim tão doloroso. Estou aprendendo a dividir o meu salário, e colocar prioridades na hora da compra e comprar aquilo que realmente preciso e que meu $ consegue pagar à vista. É um exercício difícil, mas só de pensar que o $ que vou economizar pode se transformar em uma viagem bacana, junto mais força de vontade para seguir assim.

    1. Victoria Siqueira às 21:28

      Acho que a idade também conta né? Noção de responsabilidade, em pensar em prioridades… eu tb prefiro muitas vezes pagar a vista do me arriscar a ter surpresas no cartão. Na viagem por exemplo, juntei meu salário e gastei só o que eu recebia de freelas durante 3 meses para pagar tudo o que eu precisava na viagem a vista, nada de cartão. No fim, me dei bem pq voltei pra casa sem dívidas e ainda sobrou :D

      =*

  15. Ariane Miola às 16:55

    Linda! Até chorei de emocao ao ver nossa musa Cher na foto! Ando meio sumidinha, mas saiba que vc é minha melhor amiga ever e fico muito feliz com o seu sucesso
    Logico que eu super me identifiquei com o post, afinal, nós iniciamos nossos primeiros passos consumistas juntas!
    Um beijo
    Ariane Miola (Campinas)

    1. Victoria Siqueira às 21:30

      Me abraaaaaça! Nossa musa inspiradora, ídola, diva master da nossa adolecência. E vc, minha melhor amiga para todo o sempre, tantas tantas tantas saudades dos nossos delírios de consumo <33333333333

  16. Bianca às 11:16

    é um pouco triste ter que consumir pra ser feliz…mas se todos comprassem somente o que precisam ,o mundo nao estaria tao podre como esta hoje,cheio de gente nojenta,gosto do seu blog e te acho super fofa vicky,mas acho que talvez voce podia falar um pouco mais sobre isso,sobre o buraco que o consumismo faz na cabeça das pessoas e no planeta!

    1. Victoria Siqueira às 11:30

      Oi Bianca! Então, acho que não dá pra generalizar tb… eu comprava por impulso, não bem pq me faria mais feliz sabe? Acho que no meu caso era mais aquela coisa do "ah é baratinho, vou levar mais". Mas tem gente que precisa comprar para preencher um vazio, e aí acho que é um pouco mais delicado.

      De fato acho que as pessoas consomem demais e nem sabem bem pq consomem rs… e isso vale pra qq caso hehehe.

      =*

  17. Luly às 02:12

    Vivi, eu me identifico muito!!
    Vejo nos 13 meses de estágio que fiz o que comprei para mim… Tanta coisa que já tinha!!
    "Ah, mas essa sombra é tão bonita!!" – Sim. E eu tinha 3 sombras em casa e são elas que uso, as outras 15 ficam jogadas como sei que essa ficaria. Mas ia lá e comprava.
    E Ela tá até hoje lá.
    Depois que parei de trabalhar passei a dar MAIS VALOR AINDA pro meu dinheiro, agora qu enão tenho. E vi quanta coisa devo parar de comprar, quanta coisa preciso comprar e que não comprei em troca daquilo que não precisava.
    Parabéns pelos 3 dias sem gastar e que venham outros!!

    1. Victoria Siqueira às 11:32

      Luly, eu gastava bastante da minha mesada e piorou dps que eu comecei a trabalhar. Mas dps que eu fui trabalhar na Cris, aprendi a gastar com coisas que valiam realmente a pena e largar esse lance de quantidade. Mas é complicado né? To tentando controlar pq quero juntar dinheiro, e do jeito que tava, era cada vez mais difícil :(

  18. Victoria Siqueira às 00:55

    EXATAMENTE! Acho que a culpa é do signo hein? HAHAHAHA…. aqui é a mesma coisa. Acho (acho nada, tenho certeza rs) que os blogs influenciam bastante essa coisa de compra, principalmente pq boa parte são influenciados por experiências reais, que acabam despertando mais esse desejo. Hj fui no shopping e acabei comprando, mas comprei coisas que realmente precisava tipo 2 calças jeans e um sapato novo. Foi dificil, mas consegui controlar o desejo de comprar coisas aleatórias. Agora meu próximo passo é zerar os cartões de crédito e de lojas. Vamos ver se eu consigo! hehehehe

    =******

  19. Eliana às 22:59

    Descobri que tenho o mesmo "defeito de fábrica", rs, li os outros posts e descobri que vc tasmbém como eu é uma sagitariana com ascendente em sagitário! Fogo consome tudo! haha só isso esplica. Também estou em processo de reeducação. Hoje saí e só comprei um presente pra uma amiguinha do meu filho que faz aniversário. E nada pra mim. Passei batida pelas lojas que gosto e tenho achado tudo muito "brega" e "feio" para ajudar. Tirei os cartões da carteira.Fiz uma lista dos itens de farmácia essenciais e só.Os blogs também nos levam a consumir mais, mostrando as novodades que "tem que ter". Em relação às maquiagens estou me livrando do entulho, o que não uso estou doando e o que gosto estou usando até acabar.Também estou investindo em qualidade: perfumes, shampoos e bases só as melhores, duram mais e valem o custo benefício.Como ninguém acerta me dar roupa, sempre ganho muitos cremes, e passo o ano sem comprar hidratante, rs.Adorei conhecer o seu blog e espero que possamos sempre trocar idéias. bjs mil.

  20. licedoa às 20:11

    Eu sou a consumista imaginária. Fico fazendo listas de coisas pra comprar. Desde maquiagem até roupas e eletrônicos…rsrsrs…Acho que se eu tivesse dinheiro pra comprar tudo eu provavelmente estaria com o cartão queimado de tanto passar na maquininha..Hehe…Graças à Deus eu me controlo! Gasto apenas o que posso. Tento gastar primeiro com as coisas mais importantes. Mas fico feliz em saber que você está conseguindo se controlar!
    =1

    1. Victoria Siqueira às 01:02

      Owwwwn tks <333

  21. Natalie às 19:30

    Aiiiiiiiiii jezuiis

    Eu sou super apegada com os meus perfumes, até os que eu não uso. Mesmo sabendo que nunca mais vou usá-los não consigo me livrar deles. Já combinei com o Fred para ele jogar fora num dia que eu não estiver em casa, assim eu não sofro muito.

    Eu também sou mega básica com os makes, mas geralmente compro mais do que preciso e ainda uso a desculpa que uso muita maquiagem nas apresentações de ballet (o que não deixa de ser verdade… você não imagina o kit perua que eu carrego em dias de apresentação. É muito glamour hahahaha)

    Mas as vezes eu dou uma descontrolada e compro coisas que não preciso e bate aquele peso na consciência, dá vontade de voltar correndo na loja e pedir pra devolver o dinheirinho ;/

    Ainda bem que nós temos um grupo de apoio, né?

    Beijos!

    1. Victoria Siqueira às 01:02

      Eu tb. Tinha uma época que eu comprava perfumes sem nem saber o cheiro, super as cegas, algumas vezes acertei outras errei bonito, mas msm assim, 0 coragem de me livrar deles. Sou SUUUUUUPER CIUMENTA, não deixo nem encostarem neles HAHAAHAHAHAHAHAHAHAHA.

      Vamos marcar nosso happy hour (ele TEM QUE SAIR) e vms fazer nosso grupo de auto ajuda HAHAHAHA

      =********

  22. Glaucia às 19:00

    Victoria, eu AMEI este post!
    Eu tb sou assim, tenho q comprar todos os dias! Q inferno! Quero me livrar disso. Seu post me deu um ânimo, tipo AA mesmo rs… "Só por hoje não vou comprar"…
    Afinal, se eu morrer e nascer de novo, não vou dar conta de usar todos os meus batons, cremes, perfumes, maquiagens, esmaltes….
    HELP!

    1. Victoria Siqueira às 00:59

      Afinal, se eu morrer e nascer de novo, não vou dar conta de usar todos os meus batons, cremes, perfumes, maquiagens, esmaltes…. [2]

      ME ABRAÇAAAAAA! HAHAHAHAHAHAHA

      1. Glaucia às 09:39

        rsrs… sua louca!! Adoro seu blog e seu twitter!
        Bjs!

  23. Vone Flor - PG21 às 17:12

    Oi Vic,
    Adorei o post com certeza muita gente está nessa mesma situação, eu já me controlei bem quanto a isso, estava comprando muitos esmaltes, pq são baratinhos e tal, mas na hora de escolher entre tantas cores e afins sempre ficava com 4 ou 5 tons que eu realmente posso usar. Quanto a maquiagem já fiz uma boa limpeza, mas ainda tenho algumas coisas que ganhei para testar por conta do blog, mas não combinam comigo, enfim! Boa sorte para vc, assumir isso e o mais importante dar um passo e ter atitude para fazer diferente é essencial em todas as situações da vida!
    Beijos da Flor
    http://www.paginavinteum.com

    1. Victoria Siqueira às 01:08

      É, tem isso tb. Ganhei tanta coisa que eu nunca usei :( E olha que já distribui bastante coisa mas a caixinha ainda tá cheia :/

      =*

  24. Sara às 09:59

    Oi meu nome é Sara e não consigo parar de comprar dvds de filmes ;~
    HAHAHAHAHAH
    Ok, brincadeiras a parte… apesar da minha pessoinha ter um prazer de comprar, aliás quem não tem? Parece que é algo mágico… eu só tenho esse problema com filmes, mas sou meio mão de vaca então, se estiver caro espero baixar o preço para comprar, rs.
    Mas sabe que você me deu uma idéia com o post das roupas? Muito em breve farei isso… preciso de espaço e novos ares.

    Adorei o post Vi!
    Bjs

    1. Victoria Siqueira às 01:10

      Aeeeeeeeeeeeeee sua linda \o/

      =* <3

    2. Natt às 11:59

      Também adoro comprar dvds!! a única coisa q eu deixei de comprar na vida foi CDs e ás vezes bate uma vontade…mas seria absurdo, porque eu só ouço Ipod, nem toca-CD eu tenho mais!
      Aliás, eu adoro comprar tudo…seriados, coisinhas pra casa, pro quarto, pra cozinha…eu sou daquelas que vai numa lojinha de conveniência do posto e vou arranjar alguma coisa pra comprar, sabe?
      É um horror…outro dia gastei mais de 200 reais em divisores de gavetas e cestinhas porta-coisas na Tok Stok…tudo bem que é necessário para a organização, mas você acha esse tipo de coisa muito mais barata em lojinhas de 1,99 e etc.
      É uma luta diária mesmo para não estourar o cartão!

  25. Tereza às 23:31

    Vic, sorteia as coisas q vc nao usa aqui no blog.
    Eu tb tenho um monte d coisa q nao uso.. cremes, batons, esmaltes…
    E essa de ir na perfumaria e sair só com o algodao… PARABENS!!! É uma vitoria mesmo pq é cheio d bugiganguinha q a gente adora.

    Beijos

    1. Victoria Siqueira às 23:47

      HAHAHA ah não, tem coisa que tá semi-usada :( Mas vou ver o que tá novo e vê o que dá pra sortear, quem sabe? Eu sei que esmalte deve ter uma penca sem nenhum uso, principalmente os que eu comprei na Beauty Fair \o/

      EU SOU UMA VENCEDORA! Juro que eu só sai com os algodões e só fui pq era caso de necessidade mesmo, senão nem teria entrado… HAHAHA

      =*

  26. Tieli às 23:10

    Vic, eu aceito algumas maquiagens nesse seu desapego aí tá? Obrigada!
    ahahahahha!

    Agora falando sério: Eu nunca fui muito consumista – sempre fui muito mão de vaca! Depois de conhecer o Cherry Culture eu dei uma leve surtadinha, mas consciente: comprei umas coisas que era mais pra experimentar e ver se ficavam boas do que por impulso mesmo de "OMG EU PRECISO TER ISSO!" – tipo um delineador lavanda da NYX (que não usei mais pq é super fraco) que custou 1 dólar ou um lápis azul claro tbm da NYX (que é lindo de viver e eu uso sempre que estou com roupa azul rs), que custou 4 dólares. São coisas baratinhas, que eu uso e me fazem feliz. Acho que o segredo não é cortar tudo pela raiz… às vezes comprar uma "besteirinha" faz a gente feliz, é uma coisa legal… só tem que ser consciente.

    1. Victoria Siqueira às 23:39

      É, eu falo isso pq eu to tentando mudar, e acho que to conseguindo. Hoje ao invês de comprar 1020230349 coisas baratas, compro a que eu quero de uma vez, mesmo que seja mais cara. Foi o jeito que eu encontrei.

      Vc é meu lado mais contido, gemea <3

  27. Bruna Alencar às 22:55

    Vicky,

    Depois que eu me dei conta de que era (ou estava, sei lá…) uma consumista louca-descontrolada, decidi tirar um mês sabático e passei um mês sem comprar nada relacionado a cosméticos e afins… Meu dinheiro só poderia ser gasto com itens básicos como alimentação e transporte! No segundo mês, depois que eu percebi que tinha sobrevivido, resolvi cancelar meus cartões de crédito! Só escapou o cartão da Renner, pq sei lá, me apeguei… kkkkkk

    Agora, quando compro alguma coisa, pago à vista. Mesmo que a compra tenha que esperar 2 ou 3 meses.

    Estou tentando controlar o monstrinho do consumismo que habita o meu ser. Agora, dou mais valor à qualidade, sem dúvida.

    Parabéns pelo post!

    Beijos :*

    1. Victoria Siqueira às 23:40

      Bru, tô na mesma. Agora meu próximo passo é acabar com as dívidas do cartão, pagar o que tem lá e não gastar, deixar para parcelar coisas uteis tipo viagens. Eu sinceramente gosto de pagar td a vista, e sempre que posso faço isso. Pelo menos é um jeito de me controlar e não gastar mais do que eu tenho.

      E VEM PRA SP. hunfp

      =*

  28. Jay às 22:54

    Primeiro, parabéns. Eu venho fazendo a mesma coisa, a diferença é que com makes e afins eu sempre pensei bem se iria usar. E segundo, eu queria ser sua amiga agora (não só agora…) :)

    1. Victoria Siqueira às 23:41

      Owwwwwwwwwwn fofa <333333333333

  29. gianna às 22:47

    A propósito, a moça da foto é Meg Ryan, não Cher.

    1. Victoria Siqueira às 22:51

      Oi Gianna! Então, a personagem do filme Patricinhas de Bervelly Hills chama CHER, e a atriz é a Alicia Silverstone :)

      1. Luciane às 13:38

        Lição pra vida, muito maior que repensar o consumismo: só corrija uma afirmação alheia quando tiver 150% de certeza de que está errada …

  30. @BlogBFFs às 22:47

    Adorei o post, o post da Camies também me fez pensar muito e a partir disso resolvi traçar um desafio para mim mesma, de ficar 200 dias sem comprar nada, a não ser os itens de higiene básica. Assim quero exatamente me forçar a usar tudo que está encostado, tanta coisa que comprei, muitas vezes com o dinheirinnho que deveria estar na poupança e não dentro do guarda roupa em forma de um baotm empoierado!! Espero também com isso dar os meus passinhos e aprender a priorizar aquilo que realmente importa! Bom, super te apóio nessa, justamente por estar passando por uma situação similar!!
    Boa sorte para nós!!
    Bjs!

    1. Victoria Siqueira às 23:42

      Ai eu li seu post! Eu tb to pensando em seguir isso pq eu tenho TANTA, MAS TANTA COISA que acho que poderia passar o resto da vida sem comprar mais nada hahaaha. TAMO JUNTO NO DESAFIO!

      =*

  31. gianna às 22:46

    Leia o meu post sobre consumo e meio ambiente. Acho que encontrará mais um reforço positivo na sua batalha. Brava! Avanti!

  32. PaulaQ às 22:45

    Nossa, ótimo post!
    Ok, eu sempre fui contida (menos em algumas ocasiões, tipos esmaltemaislindodaterra mesmo depois de ganhar mais de 20 por promo, ou Melissas com 50% off…) mas eu pondero.
    Mas de make eu nunca nem ponderei, pelo simples fato de se deixar ganhar, e bom que minhas fornecedoras presentísticas de make sempre acertaram, única coisa q eu tenho demais é máscara. Que faz assim, que faz assado, que é graduada…insano.

    Desapego, aí sim, é que a coisa pega. Fico pensando: 'ah, mas vou usar' e passam se ANOS desde qeu ganhei/adquiri uma peça, e ou ela tá grande, ou pequena ou não combina com as outras peças/idade/estilo e Foin, passam umas 3 peneiras até a peça ir embora. Acho que é questão de se acostumar com a idéia de que ela vai pra outro lar, outra pessoa. Mania de posse haha

    Boa sorte na sua empreitada desapeguística! Falam que sempre vem novidades quando a gente deixa o antigo ir…

    1. Victoria Siqueira às 23:44

      Nossa, máscara é uma coisa que eu tenho muito tb, mas essas eu tb não me desfaço. Aliás: perfumes, máscaras e meus batons da MAC, até as cores que eu não uso. O resto pode levar rs…

      Eu sou muito apegada nas minhas coisas, e isso é meio ruim né? Me sinto mal de ser tão apegada assim :( Queria ser mais desencanada, mas tenho essa mania de ter ciumes das minhas coisas :/ Tamo junto, vc me entenderia! HAHAHA

      =*

  33. Helo Inoue às 22:43

    Viicky!

    Desde o post da Fefeh Beraldo (http://www.pimentarosa.net/?p=4097) tenho pensado nesse assunto…..
    Porque sempre achei que me controlasse bem no quesito compras, mas parei pra pensar se sou mesmo.

    Isso porque não sou do tipo que diz q não tem roupa pra usar mesmo tendo o guarda roupa cheio. Entretanto comecei a analisar as pequenas compras que faço, seriam elas úteis mesmo?
    Infelizmente não são extremamente úteis, mas já tenho conseguido voltar pra casa sem vidrinhos de esmalte

    Entretanto, esses dias comprei 4. Entretanto….. só depois de ver como eles eram realmente (Obrigada sempre, Dani do UnhaBonita).

    Ou seja, fiz como faço com compras mais caras, "realmente preciso disso" "realmente quero isso" "realmente vale isso"

    bjossss

    1. Victoria Siqueira às 22:58

      Eu li esse post da Feh e confesso que ele me encorajou a escrever o que eu já queria compartilhar a tempos, mas faltava coragem. Pq né… hahahaha

      Mas eu sou do tipo de pessoa que acha q nunca tem o bastante. Td festa é uma tortura, pq eu sempre acho q não tenho roupas. Tem dia que eu abro o guarda roupa e acho que eu não tenho roupa pra ir trabalhar -mesmo ele sendo abarrotado de coisas. Maquiagem sempre foi diferente, entrava nas perfumarias, ia ver o que tinha de novo e levava pra casa msm sabendo q meu negócio é um bom olho preto ou delineador e batom rosa, nude ou vermelho.

      :(

Deixe seu comentário!