Da série shows dos sonhos: U2

postado em  •  7 comentários

U2: amor verdadeiro, amor eterno

U2 foi uma das primeiras bandas de rock que eu comecei a ouvir saindo da infí¢ncia e indo para a pré-adolecência. Lembro que foi mais ou menos na época da PopMart Tour, fiquei facinada com a estrutura do palco e do show, transmitido pela TV, e lembro como se fosse hoje que eu adorava assistir o clipe de Discotheque na MTV. Alguns anos depois, veio Sweetest Thing e Bono e sua banda ganharam oficialmente meu coração.

Ver o U2 de perto sempre esteve na lista de shows dos sonhos, daqueles que eu tenho que ver antes de morrer. Depois da PopMart que eu não fui por motivos óbvios (10 anos, oi?), veio a Vertigo Tour em 2005 e não fui novamente, dessa vez porque não consegui comprar ingressos muito menos, uma companhia para ir comigo.

Quando anunciaram que a 360º passaria pelo Brasil, não hesitei. Primeiro porque consegui companhia (yeah!) e segundo, porque traria também o Muse, uma das minhas bandas favoritas (alí´ Bellamy, seu lindo!). Duas tentativas de comprar ingressos nos shows do dia 09 e 10 e nada. Para o show do dia 13, eu e a Sara fizemos uma perigrinação on-line, deixando o site da T4F logado bem antes do horário da abertura de vendas, dando F5 freneticamente. Até que eu finalmente, depois de inúmeras tentativas, consegui comprar meu ingresso.

Da compra do ingresso ao grande dia, foram 4 meses de espera, ansiedade e curiosidade para conferir de perto a maior turnê da história e realizar o tal desejo -isso sem contar os 14 anos esperando a oportunidade de ver tio Bono ao vivo. E confesso que toda a espera valeu e muito a pena!

Já fui em outros shows grandes shows internacionais e posso garantir que essa foi uma experiência absolutamente diferente das demais. E não é só pela estrutura do palco, efeitos especiais ou qualquer outra coisa visual ou sonora que esses eventos podem proporcionar: eu gosto é de ver a energia, a presença de palco, sentir o carisma do artista ali na minha frente. Já sai de show com cara de “nhê” porque apesar de gostar da banda/artista, rolava uma decepção ao vivo. Esse foi o caso do Kings Of Leon no SWU ano passado, que eu decidi ir exclusivamente para vê-los ao vivo e por mais que eu tenha cantado minhas músicas favoritas, sai um pouco decepcionada porque achei que Cabeb e sua banda deixaram um pouco a desejar no quesito presença de palco: versíµes das músicas idênticas ao cd, poucos diálogos com o público, uma postura fria e um pouco diferente das outras bandas e artistas que passaram pelo festival, como a Joss Stone, que mesmo não conhecendo quase nada (para não dizer nada, só Super Duper Love) do repertório dela, fiquei bem entusiasmada. Em compensação no show da Madonna em 2008 por exemplo, sai impressionada com a energia que a rainha é capaz de transmitir e mesmo odiando a era Hard Candy mas amando a artista, acabei até gostando de algumas músicas do álbum depois de assistir as performances ao vivo.

A história da Joss Stone e da Madonna se repetiu com tanto com o Muse quanto o U2: ambas conseguiram transmitir essa energia positiva para o público e levantaram o Morumbi inteiro. No caso de Bono, The Edge, Adam e Larry mostram que muito mais do que ser uma banda bem sucedida, com grandes hits e a tantos anos na estrada, o carisma e a presença de palco são essenciais. Sabe quando você sente que o artista está feliz de estar ali em cima do palco? í‰ disso que eu gosto. A estrutura do palco em 360º e que mais parecia uma nave espacial, as passarelas que se moviam, o jogo de luzes e o telão que mudava de forma são lindos, de encher os olhos, mas nada disso adiantaria se a banda não mandasse bem ali. E talvez isso justifique o porque a banda está a tantos anos na estrada, arrastando uma legião de fãs de todas as idades e cada vez mais fiéis.

í‰ Bono, você defintivamente proporcionou um Beautiful Day não só para mim, mas para todos as quase 300 mil pessoas que foram ao Morumbi para te ver de perto nesses 3 dias de show.

Obrigada, Bono. Seu lindo <3 PS1: fiz uns ví­deos do show do Muse e do U2 e subi lá no Youtube. Quem quiser assistir, clica aqui. Não são os melhores ví­deos do mundo, mas o que vale é a intenção né pessoal? HAHAHA

7 comentários em “Da série shows dos sonhos: U2”

  1. Ana Paula Reis às 12:21

    Eu também tive o meu Beautiful Day!! Show perfeito!

    Bjs.

  2. Thais às 19:58

    Ai, deve ter sido magico demais esse show! Queria muito ter ido nele, mas no meio da semana é complicado, tenho que trabalhar e ainda tem faculdade! Tenho certeza de que o Bono lindo ainda vai voltar e eu vou realizar esse sonho!
    Beijos

    1. Victoria Siqueira às 22:55

      Tha, eu sempre furo qnd o show é de semana, mas do U2 não teve como dizer não. Td bem que eu teria gostado mais se fosse no sábado, fui trabalhar no dia seguinte podre, mas valeu a pena! hahhaa

      =*

  3. Nicas às 15:30

    Dinda, que feio! Sempre que for por falta de compania: eu sou aloka dos shows! Só gritar e a gente dá um jeito, sua linda!

    Também postei U2, adorei, tive altas aventuras, mas achei o show um pouquinho técnico demais, faltou naturalidade. :/

    Saudades, dinda!

  4. Lari às 09:53

    aww que super que você foi no show deles *-* eu não gosto de U2 pra falar a verdade, mas admirei o gesto do vocalista, quando ele fez a homenagem para as crianças que morreram no RJ :(
    aah, é super bom quando parece que o artista está se divertindo no palco, porque aleatoriamente tudo fica mais animado *-*
    E awn, eu amo Muse <3
    :*

  5. Sara às 09:09

    Awn.. eu cheguei em casa escutando Beautiful Day pq moro relativamente perto do Morumbi né, mas apesar de eu não ter ido tenho certeza que você aproveitou o show muito bem por mim então tudo bem ♥

    Dai tu comentou da energia que a banda passa e talz… shows inesqueciveis para mim que a banda passou isso e eu sai ainda mais apaixonada pela banda: 30stm e Killers… e olha que na época do Killers eu só gostava, passei a amar depois do show HUAHUAHAUAHU
    Muse em 2008 me marcou muito, primeiro show internacional e logo da minha banda linda e perfeita… dai fui em outros shows e hoje eu penso que o Bellamy não estava muito a vontade sabe? Coisa que com certeza deve ter mudado 3 anos depois tocando no Morumbi… logo, espero logo um show deles para me re-apaixonar por Muse *-*

    Bjs Vi <3

  6. Patrícia às 20:14

    Apesar não ser super fã da banda adoraria ir ao show deles, só não entendo qual o problema deles com o Rio de Janeiro. Eles nunca vem pra cá! Minha irmã fica p*ta da vida com isso. rs
    Fico imaginando como foi um show desses, cheio de efeitos especiais, deve ter sido um sonho pra você né. Adorei seu post, vê se não some. Beijoss

Deixe seu comentário!