Bem vinda, Lilly

postado em  •  34 comentários

Há pouco mais de 2 meses eu vivia um dos dias mais tristes da minha vida e contava aqui no blog. Quando a Jully morreu nos meus braços, perdi completamente o rumo de tudo e sem nenhum exagero, era uma parte de mim que estava indo embora naquele momento. Jully foi a minha grande companheira no final da minha infí¢ncia, começo da adolescência e viu eu me tornar adulta. Enxugou minhas lágrimas das minhas brigas com meus pais, relacionamentos frustrados, amores não correspondidos. E também era minha companheira nos momentos de alegria ou do absoluto nada para fazer: a presença dela já era o suficiente para me fazer uma pessoa mais feliz.

Jully foi muito especial não só para mim, quanto para a minha famí­lia inteira. Desde de sua partida, o comentário mais comum da famí­lia era “que saudades daquela cachorra”. E o que era dor, virou saudades e com ela, um vazio. Um vazio que só quem sempre conviveu com bichos sabe o que é. Logo nos primeiros dias, alguns amigos me recomendaram a adoção de outra cadelinha, mas eu preferi esperar. Queria que a dor passasse, que a saudade ficasse e que meu coração estivesse livre para me apaixonar por outro bichinho da forma que ele fosse, não como um “tapa-buraco”. E assim como a Belly e a Jully, queria que a paixão fosse a primeira vista sabe? Então.

Há umas 3 semanas, mais conformada, decidi que era a hora de procurar um cãozinho para adotar. Comecei a saga avisando alguns amigos protetores independentes (eles resgatam, tratam e encaminham para adoção) e visitando sites de ONGs para ver datas de feiras de adoção e fotos de possí­veis candidatos. Nesse meio tempo, foram 5 tentativas e todas sem qualquer sucesso. Até que na segunda-feira, minha tia que também adora cachorros e conhece muitos protetores, me liga falando que havia uma cachorrinha mais ou menos nas caracterí­sticas que eu procurava para adoção: fêmea, porte pequeno, SRD e muito carinhosa. Marquei de visitar a protetora na quarta e foi amor instantí¢neo, a primeira vista. Só conseguia olhar para ela e dizer: filha, filha, filha :D

Foi assim que Lilly surgiu na minha vida: de uma forma inesperada mas instantí¢nea, intensa, como os amores devem ser. Só sei que peguei a pequena no colo e alguns minutos depois, voltava com a minha nova companhia para casa.

Assim como grande parte (para dizer todos) os animais a espera de um lar, a história da Lilly (que antes chamava Bolinha) não é das melhores. Apesar de ter apenas 8 meses, ela já passou por 2 casas. A primeira dona, que cuidava direitinho dela, era uma senhorinha que faleceu algumas semanas depois do nascimento dela. O segundo dono foi o genro desta senhorinha, que a deixava acorrentada durante todo o dia e não dava água nem comida para ela. Foi graças a uma denúncia que esta protetora resgatou a Lilly. Mas como já diria Florence, “dog days are over” (#trocadalhos) e ela enfim poderá ter uma vida digna e cheia de amor e carinho.

Apesar do trauma anterior, a Lilly tem se adaptado super bem a nova famí­lia e rotina. Ela é extremamente carinhosa, daquelas que pulam no sofá e deitam no colo sem que você peça (amo!), de fazer festa quando você chega em casa a ponto de até ir se rastejando te encontrar, depois sair rolando no chão e por fim, pular pedindo colo. Desde quarta não consigo fazer outra coisa nas horas de folga que não seja estar com ela.

 

 

 

 

 

 

Só sei de uma coisa: tí´ apaixonada por ela, Brasyl. Sou definitivamente uma pessoa completa novamente. Tô muito muito muito muito feliz mesmo! E tenhocerteza que a Jully e a Belly estão felizes também, mandando muita energia boa para a Lilly de alguma nuvem fofinha do céu dos animais :D

E se você está a procura de uma companhia, seja um cachorro ou um gatinho, pense 2x antes de comprar um animal. Existem muitos bichinhos lindos (a Jully e a Lilly tão aí­ para provar isso!), fofos e muito carinhosos a espera de um lar em ONGs e CCZ municipais. Além de você garantir uma companhia fiel par a sua vida, você ainda salva uma vida -como já diria Selune e Giu, duas grandes amigas e alocas dos bichos, sobre a adoção de animais!

Pense nisso :)

34 comentários em “Bem vinda, Lilly”

  1. Nicole às 02:14

    Que linda sua história, Vicky! Quando li sobre a Jully, confesso que chorei…
    acho que meu amor por animais, especialmente cães, é coisa hereditária, sabe?
    minha mãe tem uma ONG, eles sempre resgatam cãezinhos apesar de não termos abrigo. Semanas atrás o Stevie ficou aqui em casa, um poodle resgatado da rua, ele é cego, surdo, tem problemas cardíacos, não tem todos os dentinhos e tem vários tumores. Aí cuidamos dele até terminar a dosagem de remédios. No começo foi meio difícil, porque ele esbarra em tudo por não enxergar, dá um aperto no coração!
    Nós achamos que ele deve ter sofrido muito, porque ele é bem arisco e não aceita carinho. Enfim, ele está à procura de um lar definitivo, não estamos com ele aqui em casa porque temos outros cães.
    Esse é o site da ONG – J'adore Mes Amis: http://jmabr.com.br/
    Admiro muito seu amor pelos animais! Me identifico muito com o seu blog, posts, músicas… aliás, sou casperiana também! hehehe

    Beijo

    1. Victoria Siqueira às 22:22

      Oi Nicole! Só vi seu comentário… hoje! Mas achei tão fofo que mesmo dps de mais de 1 ano, resolvi agradecer pelos elogios e dizer que adorei visitar o site da ong. Bom saber que existe gente maravilhosa assim no mundo :*

  2. Lec às 20:56

    Lilly tem jeito de que não pára um minuto hein hahahha nem dá pra tirar foto =~ Mas ela é a sua cara!!! =P Muitos momentos felizes pra vcs duas =)

  3. lalanapoli às 14:26

    Perdi minha cachorrinha em março desse ano, mas não sei se estou pronta pra ter outra tão cedo. Sem contar que os meus pais não querem outro cachorro…
    Mas fico feliz que tenha superado e que tenha adotado a Lilly! Ela é super fofinha!

    Beijos ;*

  4. Ildete Pereira às 11:00

    Oi linda,

    Antes quando eu via alguém amar tanto um bichinho eu pensava, mas como assim.. hoje apenas uns 2 meses após ganhar Amy minha linda porquinha-da-índia sinto que se acontecesse algo a ela eu ia ficar muito mal.

    Ildete

  5. Patrícia às 13:38

    Parabéns pela atitude! Comprar um cão só pela sua aparência, qdo há milhões aí nas ruas sofrendo horrores, é futilidade demais. E SRD são lindos também, todos os cães são maravilhosos.

  6. Kelly às 20:24

    Já fiquei fã dela!

  7. I LOVE PINK às 20:23

    Ela é linda! Que Deus te abençoe!

  8. Lucinha às 20:10

    Vicky, nunca comentei no seu blog, mas venho parabenizá-la pelo ato de amor. Tenho dois gatos adotados também (Raul e Catarina) que resgatei da rua, a Cat eu achei no lixo do meu trabalho três meses atrás, ela tinha dias de nascida e é uma pretinha magricela e falante. Ter um animalzinho que nos dá tanto amor de forma tão gratuita é a maior recompensa. Muito bom chegar em casa e encontrá-los correndo para me encontrar e pedindo atenção. Felicidades para vc e sua nova amiguinha.

  9. Ba Moretti às 15:33

    Mas que fofura! E, sim, nada melhor que a adoção :)

  10. Helo Inoue às 14:01

    Ai Viicky!!!!!!!! tô mto contente por vc Aquela dorzinha sempre vai existir, mas momentos memoráveis novos virão !!! bjossssss pra Lilly!!!!!!

  11. Vívian Freitas (@vihfreitas) às 13:59

    Aww que coisa fofa! Eu não entendia essa coisa de perder o rumo por causa de “bicho”, até que minha calopsita morreu na minha frente. É a coisa mais terrível do mundo, um sentimento de impotência… Boa sorte com essa nova fofurinha, flor! :*

  12. Mylla às 11:30

    Ah, que linda ela! Queria que minha mãe deixasse meu cachorro ficar dentro de casa, ele viveria na minha cama e servindo de modelo pra fotos, haha. <3

    Aqui em casa tá rolando uma experiência animal, atualmente. Uma gata linda teve filhotinhos no nosso quintal e nós estamos cuidado deles por enquanto. Acho que vai ser difícil encontrar donos, mas espero que dê tudo certo. E tomara que eu consiga ficar com um também. Aí sim eu finalmente crio um bichinho dentro do meu quarto, HAHAHA.

    :*

  13. Fernanda às 11:22

    Acho lindo pessoas que adotam animais *—* porque eles merecem todo o amor do mundo! rs e tudo de bom pra vc com a sua nova filhota! Porque né, não sei como alguém tem coragem de maltratar essas coisinhas fofas <3 são muito apaixonantes <3<3 amei o post!

    Beijos

  14. Selune às 11:14

    Eu ja te disse várias coisas sobre isso, mas nao podia deixar de comentar aqui tbm.

    Salvou uma vida!!

    Todos os meus bichinhos foram adotados. Minhas 3 gatinhas e minha cachorra. Agora mesmo, tem dois caras aqui em casa instalando redes de proteçao, pra eu poder dar mais liberdade e segurança pra minha gatinha (a cachorra e a outra gata moram com minha mae) e tenho planos de adotar mais uma gatinha. Se pudesse, adotava ainda mais. Voce faz um bem e eles retribuem da melhor forma possivel: com amor.

    <3

  15. babi às 10:32

    to aqui no trabalho lendo isso e chorando (#alokadosdogs) adotei meu dog tbm e só eu sei o qto amo e o qto ele é especial na minha vida há mais de 8 anos já… Que essa linda viva mto feliz e que vc seja mto abençoada por essa atitude linda! ;)

    1. Victoria Siqueira às 10:36

      Babi, olha, confesso que eu olho pra Lilly e choro de emoção e principalmente por saber que eu estou a ajudando a superar o trauma dando amor, carinho e devida atenção. E confesso que choro mais ainda quando conheço outras histórias de pessoas que adotaram animais. Se eu pudesse, a casa seria cheia deles, mas tenho o quesito mamys que sempre veta minhas adoções e também espaço, que só deve dar pra mais uns 2 cachorros, um pouco maiores do que a Lilly.

      Essa é minha terceira adoção. Minhas 2 outras cachorras que já foram pro céu também foram adotadas. E a alegria que eles nos dão, não tem dinheiro que pague :D

      =****

  16. Paula às 10:31

    Owwn ela é uma gracinha!

    1. Victoria Siqueira às 10:37

      É minha filha, é minha filha, é minha filha!

  17. Loma Sernaiotto às 10:27

    Linda e chique, que nem vc!! Parabéns pela filha nova e pelo ato de amor e caridade <3333

  18. Saula às 10:18

    Own, que linda… tem até roupinha! <3

    1. Victoria Siqueira às 10:25

      Musa e diva minha pequena <3 HAHAHA

      =*

  19. Vivi às 10:18

    awn, que coisa fofa! E achei super legal sua iniciativa de adotar, ao invés de compra. Acho isso super importante, porque como você falou, com tanto cachorro abandonado por aí, tem gente que ainda compra? Parabéns pela atitude! E ela é uma gracinha <3

    1. Victoria Siqueira às 10:28

      Oi Vivi!

      Eu sou super defensora da adoção de animais, tanto que no Twitter sempre ajudo alguns amigos protetores a divulgarem alguns bichinhos que precisam de um lar. Minhas 2 cachorras antes da Lilly também foram adotadas e espero em breve adotar mais uma :D E fico feliz em saber que você também acredita nessa causa :D

      =****

  20. Tay às 09:33

    Aiiii que lindaa!! Agora Vic ta feliz de novo !!! Wew!!! E ela ja ta cheia de tendencias de moda!!

    1. Victoria Siqueira às 10:29

      Você não viu nada gêmula, vou comprar um vestidinho MARA pra ela que eu vi na netchy hahahaha

      =*

  21. Tieli às 02:48

    Fofa fofa fofa fofa!!!!!!!! Já de roupinha, posando pras fotos, coisinha mais linda!!! Tem o amor da mãe e já tem o carinho da “tia” aqui!! Fico muito feliz de vc estar feliz, amora!!!! Ih, fico até emocionada! É, o amor tem dessas: demonstrações incondicionais da sua existência! :D Beijos pra você, e pro novo membro da família! Seja muito bem vinda, Lilly!

    1. Victoria Siqueira às 10:29

      Owwwwwwn!

      Agora Lilly tá feliz na casinha nova e eu mais ainda, por ter uma companhia e poder dar amor e o carinho que ela merece \o/ to feliz mesmo, não consigo desgrudar dela hahahah

      =* amora

  22. Angélica às 00:19

    Ah! Fico feliz por ti Vivi… A Lilly é tão linda, tão fofa! Tem cara de ser mesmo carinhosa e super apegada a mamis dela! =]
    Acho legal você ter adotado em vez de comprar um cãozinho. A Sissa agente comprou ela, mas foi amor a primeira vista, tinha que ser ela! Acho que te contei a historia né? Nós não tínhamos planejado nada, foi do nada. hehehehehe Hoje em dia não me vejo mais sem a minha picaretinha…. rss

    Parabéns pela Lilly viu? Ela é linda e tenho certeza que te trará muitas e muitas felicidades!
    Beijokaaas!

    1. Victoria Siqueira às 10:30

      Eu acho que o importante mesmo é a companhia. Quem tem a companhia de um bicho torna-se definitivamente uma pessoa melhor. Fiquei 2 meses sem e foi torturante :((((( mimimi

      =*** sua linda

  23. Adrika às 00:05

    Primeiramente, parabéns Vivi! Adotar é um gesto lindo de amor :) Sou TOTALMENTE contra quem compra… Só quem visita os CCZ municipais sabe o que ter vários bichinhos carentes e sem lar, é de cortar o coração! Toda felicidade do mundo pra você e Lilly :D

    1. Victoria Siqueira às 10:31

      Owwwwn Dri! Tô tão feliz, mas tão feliz :~~~~~~~~~~~~~~~~

  24. @Nandamenegolo às 00:02

    A história de vcs é linda…seu amor por ela é lindo..e o dela por vc será eterno…Mais um anjinho de 4 patas que terá a família amada que merece…Tmb tenho 4 adotas…e não tem amor e felicidade maior no mundo do que esses animais nos dão…

    Graças a eles somos completos!!!
    Parabéns pela nova filhota..ela é maravilhooosaaa e já demonstra o brilho no olhar de um ser amado incondicionalmente!!!

    Bjo grande

    1. Victoria Siqueira às 10:32

      Oi Nanda!

      Não existe mesmo felicidade maior do que ter a dádiva de conviver com animais. Só quem tem um bichinho em casa sabe o que é um amor cego e incondicional: ele tá pouco ligando como vc é fisicamente, se é rico, pobre… ele vai te amar de todos os jeitos! A convivência com animais ajudou a formar a pessoa que eu sou hoje. Não sei como eu seria sem eles…

      =****

Deixe seu comentário!