A little less conversation, a little more action. Please!

postado em  •  89 comentários

Este ano completo 10 anos que eu blogo, sendo 6 deles aqui no Borboletando. O que começou como uma brincadeira de adolescente influenciada pelas minhas duas melhores amigas da época e meu ex, foi ganhando forma e virando coisa séria ”“ou melhor, em partes. Quando me refiro a uma coisa séria, não estou falando que o blog é profissa ou que eu tenha algum objetivo puramente financeiro com ele, mas é porque ele virou parte da minha vida, quase tão importante e necessário como estudar, trabalhar e arrumar tempo pra me divertir. O blog definitivamente é minha extensão minha vida, do que eu sou e do que eu acredito. Minha paixão pela blogosfera é tão grande que é o objeto de estudo da minha pós graduação em Relaçíµes Públicas e foi tema do meu artigo do semestre passado. í‰ algo que eu não só gosto, mas de fato me interesso, me dedico, leio e estudo.

Nesses 10 anos blogando, passei por todas as fases que vocês podem imaginar. Do blog bobinho e cheio de gifs e imagens engraçadinhas mais ou menos como vocês fazem hoje no Feicetruque ao diário do que eu fazia da minha rotina na escola e como vestibulanda, seguido pela minha vida na faculdade, as primeiras baladas na cidade grande e minhas desilusíµes da vida. Com o tempo, além de achar que eu estava me expondo demais, comecei a entrar em crise porque eu achava que o blog não tinha um estilo, uma identidade, um assunto único e passei a deixá-lo cada vez mais impessoal e centralizado nos assuntos que eu sempre me interessei como moda e beleza. í“bvio que essa fase não durou muito porque a minha motivação é outra, sou filha da blogosfera old school e preciso olhar para meu blog e me enxergar, me identificar.

Na mesma fase que eu comecei a me auto-bodiar do meu próprio blog, comecei a pegar bode da blogosfera. Além de blogueira e leitora, trabalho com relacionamento e social media e dentre minhas inúmeras tarefas da minha rotina de trabalho, faz parte ler blogs e também analisar os vários pedidos que chegam todos os dias na caixa de entrada do e-mail da firma. Dentre eles, pouquí­ssimos estão interessados em conhecer a marca e o conceito dos produtos: a maioria mesmo, só está interessada no jabá. E aí­ eu me pergunto: oferecer uma resenha em troca de um produto é mesmo válido? Eu particularmente acredito que na grande maioria dos casos, a opinião fica sugestionada, porque infelizmente a maioria tem medo de se queimar com as empresas. Não, não estou criticando o envio de jabás e a publicidade, quero mais é que quem faça um trabalho bacana, digno e honesto se dê bem. Mas o que me preocupa é a venda de opinião desenfreada e sem critério em troca de um brinde, o publieditorial velado sem identificação. E antes que me apontem o dedo e me chamem de hipócrita, sim, vou em eventos, recebo jabás pelas assessorias e agências e faço publieditoriais, mas faço tudo com o mí­nimo de bom senso e consciência. Eventos raramente eu vou porque confesso ter preguicinha, deixo para ir das marcas que eu gosto ou lançamentos que me interessam; jabás recebo muitos e quase nenhum vira post no blog ”“a maioria das resenhas publicadas aqui são de produtos que eu pago com meu rico dinheirinho e as poucas vezes que eu falo sobre algo que eu ganho, deixo claro que o produto foi enviado por uma agência/assessoria e sim, só falo quando eu gosto muito, a ponto de continuar comprando/usando, como foi o caso do Fiberceutic. Já sobre os polêmicos publieditoriais, só faço com as marcas que eu acredito, gosto e uso ”“e sempre etiquetados com o selo da campanha do Papo de Homem da transparência on-line. Por que todas essas precauçíµes? Porque eu tenho o mí­nimo de respeito por vocês, leitores. Porque tenho plena noção que muitos de vocês compram coisas influenciados por algo que eu disse e indiquei.

COMO ESTAMOS BLOGANDO? POR UMA AUTO-ANíLISE E UMA BLOGOSFERA MELHOR

E o que dizer do conteúdo? Cada vez mais do mesmo, repetido a todo instante exaustivamente e muitas vezes, sem nenhum critério e responsabilidade. No desespero de fazer algo diferente, começaram a inventar moda: receita de escova progressiva em casa combinando formol e queratina, silicone e desodorante roll-on na cara como primer, lápis de cor 36 cores substituindo a famosa paleta de 192303048 cores são alguns dos absurdos que chegaram até nós há pouco tempo, mas que estão rolando a meses/anos na web. Mas cadê a responsabilidade com o leitor? Desodorante Roll On por exemplo, tem álcool. Aí­ você sai na rua nesse calor senegalês que anda fazendo no Brasil e corre o risco de queimar seu lindo rostinho porque não quis desembolsar alguns dinheiros para comprar um produto decente. Não entendo a necessidade que as pessoas insistem em criar para coisas que vivemos tanto tempo sem, como o primer. Não tem dinheiro pra comprar o da MAC? Tem o da Koloss, da Avon. Não tem dinheiro pra nenhum dos 2? Não use, não invente receitas caseiras irresponsáveis. Sua vó, sua mãe e até você viveu tanto tempo sem, qual o problema de continuar sem usar primer?

Mas enfim, cruzar os braços e reclamar não adianta nada né? Por isso, comecei a olhar meu próprio umbigo e cortar da minha própria carne afinal, eu também havia esquecido a essência do que era ser um blog de verdade, aquele que os livros de social media e web 2.0 dizem, aquele blog maroto que eu e muitos de vocês faziam alguns anos atrás. Eu havia esquecido que o blog antes de mais nada, era meu espaço e que eu deveria impor ali minha opinião. Ter o blog atualizado 2, 3 vezes por dia rendia audiência, rendia pageviews mas bobagem… eram só números. Eu sentia falta mesmo era de olhar o blog e ver que ele tinha a minha cara, o meu jeito, a minha essência. Sentia falta de mim. Cortar a própria carne e admitir que você errou e se precipitou por um medo de se expor é um processo dolorido mas ainda assim, quis fazer o caminho de volta para casa. Parei de me cobrar, de me auto-exigir, de respeitar meus momentos de crise e inspiração zero para escrever, como eu já disse aqui. Comecei a priorizar a qualidade e não a quantidade do conteúdo não por preguiça de escrever, mas por respeito aos meus leitores, que merecem ler posts bacanas, interessantes e de qualidade, seja de moda, beleza, música, cinema, fotografia, alguma experiência bacana minha ou até mesmo um desabafo meu como esse que vocês estão lendo. Estou satisfeita porque consegui enfim encontrar um meio termo: não preciso expor minha vida ou falar sobre a minha rotina diária para ser pessoal, mas também não preciso eximir minha opinião e deixá-lo imparcial. Um ano e pouco depois da minha decisão, acho que fiz a lição de casa e estou retomando o caminho que eu queria trilhar.

Contei um pouco da minha história e um pouco de como eu me sinto perante a blogosfera porque nos últimos tempos o que eu mais tenho lido e visto são blogueiras reclamando dos blogs, do conteúdo, da forma com que as empresas se relacionam e também sobre as crí­ticas pesadas e nada generosas dos jornalistas, que quase sempre são interpretadas como “recalque”. Ao mesmo tempo que eu vejo tudo isso, são poucos que eu vejo de fato colocarem a mão na massa, mudarem aquilo que as incomodam. Todo muito quer progredir, quer se reconhecido, mas não fazem por onde: preferem apontar o dedo para a colega ao olhar o próprio umbigo e fazerem uma auto-crí­tica para saberem o que podem contribuir para uma blogosfera melhor. Mas sabe como é, o comodismo é sempre a melhor escolha para a maioria das pessoas. Falar mal também. Aliás, falar mal de quem conseguiu se dar bem também é bem presente, mas poucos estão mexendo a bunda e os dedinhos no teclado para fazer por merecer. Pra mim isso sim é recalque, mesmo que muitas vezes velado.

Um blog só é blog quando ele tem, de alguma forma, o ponto de vista do autor, não é imparcial. Porém, todos querem ser formadores de opinião mas poucos se preocupam em de fato formar opinião. Falta critério e responsabilidade no que será publicado, medir as conseqí¼ências do impacto que aquela informação vai ter para o leitor. Querem ser tratados e respeitados como imprensa, mas não se comportam com o mí­nimo ética e comprometimento. Falta bom senso, falta boa vontade e falta principalmente amor, dedicação e respeito. E falta também se acreditarem menos, se levarem menos í  sério. A gente tem tantas obrigaçíµes, tanta coisa pra fazer, tanta coisa pra se preocupar, pra que levar tudo tão a sério?

POR UMA BLOGOSFERA MAIS DIVERTIDA, LEVE E MENOS BITOLADA

A blogosfera mudou, cresceu, ganhou proporçíµes inimagináveis. Os blogs ganharam status, notoriedade e lugar de destaque dentro da web, mas precisa encontrar um ponto equilibrio. Nem tanto o céu, nem tanto o mar. Menos deslumbre com semanas de moda, eventos de marcas regados a champagnhe e cupcake e talifãs, mais pé em terra firme.

Como já diria Elvis: “menos conversa, um pouco mais de ação, por favor”. E um pouco de amor também não faz mal a ninguém.

OBS: Este post não é nenhuma indireta e nem tem o objetivo de ser. í‰ desabafo do que eu penso e sinto também conversando com outros amigos blogueiros, social medias e leitores, e também um convite para que todo mundo reflita, tome uma atitude e faça de verdade o que gosta, sem pensar nos benefí­cios e consequências do que isso trará.

89 comentários em “A little less conversation, a little more action. Please!”

  1. Aline Cr às 20:51

    Eu li seu texto inteiro e concordo com cada palavra. Eu sou nova por aqui, mas sigo desde muito tempo o Papo de homem e acho incrível a maneira que eles colocam a propaganda dentro do blog. Acho que com essa onde de ganhar dinheiro com blog, a coisa foi ficando sem alma. E é muito legal ver o respeito pelo leitor que eu vejo no papo de homem e estou vendo aqui agora. Já ganhou uma leitora diária :)

  2. Allysson Oliveira às 02:52

    Victoria,

    você não acha que os blogs de uma forma geral tem atraído menos leitores atualmente?

    Tenho notado isso nos meus blogs favoritos e em conversas com amigos.

    Tenho a impressão que o Facebook tem tomado o espaço, de certa forma, dos blogs. Mesmo sendo uma ferramenta que ainda não se definiu, a meu ver…

    Adoro blogs, sempre quis ter o meu, sempre adiei por causa do excesso de trabalho. Quem sabe um dia crio o meu, e sem dúvida será bem classic… old school mesmo…

    Abraços

  3. Jussy Maciel às 02:49

    Maravilhosa como sempre!

  4. Dani Rocha às 15:33

    Olá Vic
    Comecei meu blog a pouquíssimo tempo porém como leitora de blogs já tenho alguns aninhos e acho que de tudo que li na net sobre a situação dos blogs nos tempos atuais, você foi quem expressou melhor meus pensamentos kkkk. Concordo quando você diz que falta amor…Blogs surgem todos os dias porém são sempre mais do mesmo "Fulano se deu bem fazendo assim então farei igual" e esse tipo de coisa. A também de se notar que muitas blogueiras por ai "de sucesso" não passam de umas deslumbradas e afinal é esse tipo de conteúdo que é mais valorizado infelizmente. Eu faço o esforço de postar no meu blog tudo aquilo que sinto falta nos outros blog´s hoje em dia tão iguais.Esse foi o meu jeito encontrado de "colocar a mão na massa" e mudar aquilo que já não me agradava…olhei pro meu umbigo como você diz no texto e juntei uma vontade enorme de ser diferente com a fascinação que eu sempre tive pelo ato de se expressar através da escrita.Se estou fazendo um trabalho bom?…eu não sei,mas toda vez que olho meu post pronto e fico satisfeita me sinto muito bem :)

    Bjs

  5. Tainara Costa às 16:29

    Parabéns, é bom ver que ainda existe blogueiras como vc! Ótimo texto e sim vc me conquistou como leitora pela qualidade dos seus post e não pela quantidade de post e visitas. Continue assim e verá um caminho muito bom para vc.

  6. Ana Carla às 15:27

    Adorei o texto. Esse é um ponto que eu venho notando a muito tempo e que me fez abandonar muitos blogs ou simplesmente passar batido pelo conteúdo de tantos outros, acompanho blogs a anos, e o que realmente me interessa neles é a visão do autor sobre o mundo, o que ele pode compartilhar com os outros, informar, inspirar, ajudar, pra mim essa é a função do blog. Não quero saber se o novo creme de marca tal faz milagres, não vou comprar. Quero saber o que as outras pessoas pensam e sabem, é isso que muda meu mundo.

  7. Rachel Dias às 20:10

    Arrazou, Vivi! Super concordo com tudo. Inclusive tem gente que enxerga seu próprio blog de uma forma bastante informal, como eu. Aquilo lá é mais pra mim do que pros outros, ainda que eu me preocupe com o que tô passando. Continua sendo como sempre foi: um hobby sem maiores pretensões. Costumo dizer que é uma extensão de mim. Um beijo, gatz!

  8. thingsweletinthefire às 13:50

    Adorei o texto!!Me identifiquei muito pois me lembro de como era a 5 anos atrás,quando não havia twitter nem smartphones e os blogs eram bem menos formadores de opnião do que hoje.Todas as ferramentas que existem hoje valorizaram muito a blogosfera,mas de um jeito que parece que muita gente entrou nela de carona no sucesso,só pra lucrar,perdendo o verdadeiro feeling da coisa,de expor sua opnião e falar um pouco sobre si mesma sem estar bitolada em conseguir comentários e seguidores.Amei o post e você me inspirou a fazer um relato meu sobre o assunto no meu blog também!Beijos e continue com o blog assim!!

  9. Luks Vieira às 10:35

    Gostei muito do post, confesso que ainda estou verde quando se trata do assunto blogosfera… mas com as devidas proporções, concordo com o que você escreveu. Acho que quando o sucesso de alguns blogueiros começaram a serem divulgados pelas mídias acabou sendo vendida uma imagem mais comercial do que realmente é a blogosfera.
    Também estou estudando o assunto, pois irei abordá-lo na meu TCC… seu post está sendo muito útil para confirmar algumas considerações que já tenho formado como opinião…
    Att.,
    Luks

    1. Victoria Siqueira às 10:39

      Oi Luks! Fico feliz que vc tenha entendido a proposta do post e que ele também ajudará vc no seu TCC. Se precisar de ajuda, conta comigo, já que a blogosfera é também objeto de estudo na minha pós graduação :))))

      Bj

  10. marythestranger às 23:24

    Concordo com muitas questões do texto. Também estou aqui online a tempos, fazendo sites, blogando… e vendo as fases por quais a internet passa. Acho que tem sim muita gente interesseira só pensando em ser da bem mesmo que para isso tenha que enganar os outros, sou contra isso e a favor da tansparência nos blogs de beleza e moda, principalmente. Bjo!

  11. Ananda às 20:44

    Muito legal esse post! As vezes ficava triste de você não postar diariamente, mas concordo, vale mais a qualidade do que a quantidade! Parabéns… ;D

    1. Victoria Siqueira às 22:52

      Pois é Ananda, e eu ficava triste pq me cobravam posts todos os dias e eu não queria entregar textos ruins e rasos :( mas agora prometo me esforçar para estar mais presente e com coisas legais!

      :*

  12. Lari às 18:52

    Que post excelente, Vic! Tudo bem que a gente sente falta da blogosfera de 2002, 2006. Mas não dá pra ficar preso a isso, e querer que tudo volte. Está todo mundo reclamando, julgando o outro, mas não movem uma palha pra mudar algo. Os blogs estão bem repetitivos mesmo, e é difícil algum se destacar em meio a tantos blogs iguais. Amei teu desabafo, guria. Beijos.

    1. Victoria Siqueira às 22:51

      Pois é Lari! Eu não quero de volta, mas acho que fomos de um extremo a outro e o que precisamos é de um ponto de equilibrio. Voltar para os primórdios não dá, mas fomos a um extremo aonde as coisas estão perdendo o sentido. Todo mundo aponta o dedo, ve os erros, mas ninguém se propõe a mudar. Todo mundo copia a receita do bolo e se pergunta pq não deu certo. Ou seja…

      :*

  13. Camila Janine às 17:55

    Falou e disse.. nem tudo o que se quer se consegue. Se vc faz porque gosta e não porque quer grana (que se vier será lucro), terá sucesso. Sem jabás galera. Beijos Beijos Camila Janine

  14. Tânia às 17:24

    Não via um post com uma opinião tão forte e com que concordasse tanto há demasiado tempo!
    Victoria, lembro-me perfeitamente de ver nascer o Borboletando, confesso que não foi um dos blogs que consegui seguir durante todos estes anos, mas lembro-me bem dele que crescer. Gostei mesmo de ver a tua opinião e de te ver confessar-nos o que sentes em relação ao teu blog e as voltas que deste em relação ao conteúdo dele, acho que todos nós acabamos por passar por uma fase dessas. Foi realmente interessante ver-te falar sobre isso. E em relação a tudo, concordo perfeitamente!
    Um beijo.

    1. Victoria Siqueira às 22:50

      Ai que fofa vc Tânia! Que linda que linda!

      Então, acho que eu dei minha cara a tapa mesmo, mas foi de coração e sinceridade. Acho que a blogosfera sente muita falta disso e de conteúdo de verdade. E to feliz que todo mundo está nessa mesma vibe que eu <3

      bj

  15. Arte da critica construtive às 14:00

    Ah.. Como fico feliz em ver gente que quer fazer um blog de verdade novamente. Acho que estamos precisando de mais conteudo e menos propaganda!

  16. Nana às 13:31

    É Vivi..faz um tempo que não venho aqui, mas gostei desse post. Nós, da blogosfera "old school" vimos d eperto toda a mudança acontecer e coisa toda sair do controle.
    Bom post, parabéns, concordo com você, em tudo o que disse.

    1. Victoria Siqueira às 22:49

      Oi Ju! Fico feliz que vc gostou do post :))))))))

      bj

  17. Ira às 13:24

    Já conversamos um monte sobre essas coisas e participei do período de bodiação com vc.. só ñ concordo com vc achando que errou por querer experimentar um estilo/modo de blogar. Afinal, o que está sendo feito hoje nas novas mídias, tudo veio de experimentações… e vc, como eu, q tá nessa desde 2000, somos as cobais que experimentam e testam o que aparece (assim como acabam virando referência e influênciando o modo de fazer a coisa). E, como cobais, estamos aí na vitrininha para sermos analisadas, cobradas, apontadas.. nem que seja por nós mesmas.

    1. Victoria Siqueira às 22:48

      Você acho que mais do que ninguém sabe do meu bode e dos meus desabafos né Ira? HAHAHA

      Mas então, eu me arrependo mas ao mesmo tempo não, até pq foi um aprendizado e hoje sei que não funciona, é tipo cobaia mesmo. O que importa de verdade é que eu tô feliz e realizada de novo.

      E ah, to com saudades :*

      1. Ira às 13:53

        biritagens please? :***

  18. Nati às 13:00

    Palmas pra ti, um ótimo texto sobre um assunto muito importante pra nós que fazemos parte da blogosfera. Tomara que alguma coisa mude. Mas é que nem tu disse, todo mundo quer a melhora, mas ninguém se mexe. Beijo

    1. Victoria Siqueira às 22:47

      Estamos na torcida Nati <3

      bj

  19. Daniele Leal às 12:38

    PALMAS para esse post e para você! Adorei!
    Nós que somos "tias" na blogosfera (lol) podemos dizer o quanto muitos blogs por ai mudaram de rumo. Eu também parei de falar da minha vida pessoal no meu blog pelo mesmo motivo, tinha gente que sabia mais da minha vida do que minha mãe o.O Alguns dos posts pessoais do meu blog são de fotos de lugares, de coisas que comprei, presentes..
    Mas nunca deixei de postar o que EU gosto e quando EU tenho vontade. Quando escrevo alguma resenha *até agora escrevi poucas* foram de coisas que eu mesma comprei com meu dinheirinho ou presente de amigas. Não acredito em resenhas de produtos que foram "ganhados", a maioria que posta sobre o produto, só fala bem :(
    É lamentável essa ambição de certas blogueiras em querer crescer pra aparecer –'

    1. Victoria Siqueira às 22:47

      Danny, a gente é muito pré histórica né? HAHAHAHA estamos praticamente criando raiz na web! HAHAHAH

      Mas acho que a gente falava muito da gente por inocência mesmo. Pensa: em 2004, 2005, a gente não tinha noção do que era um Analytics ou contador de visita, contavamos acesso pelo número de comentários no post. Acho que como tinhamos uma visão muito limitada e pequena, achando que só algumas pessoas liam nosso blog, nos sentiamos a vontade para falar da nossa intimidade. Com o tempo a gente vai pensando duas vezes e limitando a compartilhar coisas tipo viagens, compras e dicas. E quer saber? Tô curtindo essa nova fase. Acho que tudo fica mais real, mais próximo!

      E to feliz que todas as amigue linda tão gostando \o/

      =*

  20. Vito às 11:41

    Falou e disse xará!

  21. Giovana às 11:40

    Sem dúvida um dos melhores textos que li a esse respeito!!! Ultimamente tenho visto muita gente “inflamada” com o assunto que vc abordou neste post… Tem gente dando suas opiniões e crendo nelas como verdade absoluta, e apartir disso, se acham no direito de “atacar” e destratar quem pensa diferente… A pessoas estão esquecendo coisas básica em matéria de blog… como começou o blog??!!? Nada mais do que um “diario aberto” certo? Eu me lembro qdo era essa a definição dada.. eu mesma ficava longe disso!!! Jamais imaginei ter um blog.. mas a partir do momento em que o tenho, como uma extensão de mim, como dito por você.. eu tenho responsabilidades… “Tu te tornar eternamente responsavel por aquilo que cativas..” certo? Está faltando muito discernimento, senso e acima de tudo, humildade. Principalmente na hora de desabafar e colocar os pontos de vista.. Vc o fez com muita dignidade, educação e clareza… com certeza ganhou minha adimiração por não achar que é a “sabichona” que manja de tudo e pode “agredir” pessoas com seu suposto conhecimento… vc mostrou ter conhecimento acima de tudo, em lidar com as pessoas… Um grande beijo a você e a sua integridade! E seu senso de parar, pensar e mudar!!! Gigi

    1. Victoria Siqueira às 22:40

      Eu acredito muito na opinião construtiva e em debater um assunto, mas acho uma pena que muitas vezes tudo isso parta para a grosseria e a ignorância. Fico feliz que vc tenha gostado :))))

      :*

  22. alaís às 11:17

    vic, faz um bom tempo que eu espero ler um texto desses. tudo que eu penso sobre os atuais blog está escrito aí.
    tive um desses blogs adolescentes , mas como todas resolvi apaga-lo e acabou que nunca mais tive um blog. mas como leitora eu so ótima! tinha mania de passar o dia todo lendo um blog atras do outro até perceber essa onda de jabas, o que me fez parar de ler vários blogs, eu tinha uma preguiça, um desanimo de ler centenas de propagandas. não vou mentir, isso chegou a me irritar tanto que quase abri um blog sem nenhum jaba, mas ficou só no plano das idealizações mesmo!! mas o que eu acho o pior de tudo é essa grande massa de blogs que não falam sobre NADA – ou quando falam eu consigo resumir o post em uma frase e eles conseguem fazer paragrafos e mais paragrafos de enrolação – se acharem formadores de opinião. formar opinião é uma coisa tão forte, acho que nem esses donos de blog tem essa noção !!
    Enfim, fico realmente feliz de ver que as pessoas estão pensando e percebendo o que a maioria dos blogs se tornou. espero que os donos de blog usem isso como uma critica construtiva e tentem melhorar, o que acho bem dificil, pois agora blog é meio de vida e o patrocionio é necessário.

    1. Victoria Siqueira às 22:39

      E você acha que isso não aconteceu comigo também? Eu amava vários blogs e me vi obrigada a deixar de ler. Acho que alguns atingiram outro nível como a Lia, que eu admiro, respeito e bato palmas pq vi a Lia crescer e evoluir, acho muito justo o reconhecimento dela. O problema é que em compensação outros blogs, perderam a mão e a noção, e olha que nem to falando só dos mega blogs, mas também dos pequenos. Espero que todo mundo leia este post e pense duas vezes antes de postar e principalmente, reclamar sobre a blogosfera.

      ;*

  23. Tess às 11:09

    Muito amor! <3

    1. Victoria Siqueira às 22:37

      tks sua linda <3

  24. Ericka Rocha às 10:45

    Gostei muito do texto, Vic, eu venho no seu blog deeeeeeeeeeesdeeee os primórdios, e comecei a entrar nesse mundinho influenciada pela minha vizinha, a Thaís (Tayxoca) e logicamente conheci vc e mais um monte de gente que hoje virou famosa mesmo na internetê… Enfim, tem muita coisa boa sendo escrita e sendo paga, acho justo que exista esse universo, mas também tem claro, o outro lado da moeda, pessoas que não estudam, não se dedicam, que só querem o jabá e coisa e tal… Eu tenho um blog (www.hipervitaminose.com.br) que de nada tem a ver com moda, maquiagem e afins, mas gosto mto de ler td q encontro… Cabe ao leitor selecionar, e LEGITIMAR aquilo que realmente é importante! Né? Se quem cria um blog anda sem critérios e motivações bacanas para tal, que quem leia saiba selecionar! Um bjão! (e continua fazendo as playlists, são Ó-TE-MAS.

    1. Thais às 11:01

      Você falando assim Elka vai parecer qe eu e a Vic somos do tempo em que blog era feito no Frontpage e hospedado no geocities! – o que pra muitos é verdade e mostra como era a vida de quem gostava de bloggar!

      1. Victoria Siqueira às 22:37

        1sdd: frontpage e fireworks

    2. Victoria Siqueira às 22:36

      Acho que o leitor que tem que selecionar. O problema é que como leitora, eu ando carente de conteúdo bom. Vejo muita gente reclamando e pouca gente fazendo, por isso a idéia do post: incentivar quem reclama a também mudar, assim como eu fiz, ouvir mais o que nosso coração quer.

      E pode deixa que tem mixtape dona Elka hahaha <3

  25. Rosália Cipriano às 09:32

    E como eu digo, “é preciso ter coragem”, tá de parabéns!

  26. Loma Sernaiotto às 09:22

    Perfeito! Eu já deixei a minha opinião sobre essa blogosfera sedenta por atenção num post da @barradead – eu sempre amei os blogs pessoais, com essa pitada (essencial!) de opinião, de cotidiano e de sinceridade. Mesmo no seu momento "impessoal" dava pra sacar a sua opinião, o seu gosto. Quem te acompanha há bastante tempo (eu, eu, mesmo que quietinha por alguns anos) sente que te conhece (aquela que acha que é a amiga, né? sorry) pois nos seus posts dá pra perceber o que te atrai e o que não te atrai. Música que vc gosta, tipo de filme, série, viagens, cultura. Tem coisas que vejo na web e digo: poxa, isso é tão borboletando. Vc imprimiu sua essência no blog ao longo dos anos e isso, minha cara, não há jabá que pague! Eu blogo (e leio MUITOS blogs) desde 2004. Só consegui me achar no sernaiotto.com em 2011 que foi, na verdade, quando ele começou a crescer – naquelas, né? caminhando e cantando e seguindo a canção lol. Mas eu me achei. E mesmo que ninguém lesse, eu falo dos meus temas, dos meus gostos. Meu amor por Japão, pronto. É alí que visualizo meus sonhos, e quando to pra baixo, entro no meu blog e me animo. Me inspiro a continuar com meus ideais. Acho que blog é isso. Essa ambição das novatas em crescer, em lucrar, em ser famosa em 2 meses, meio que tá me cansando tb. Todo mundo quer sair ganhando mas ninguem tem paciência pra amadurecer, força de vontade pra trabalhar duro e bom senso pra não poluir a blogosfera de coisas non sense. Ai, desabafei também. Desculpa. Eu até poderia responder em um post, mas to com preguicinha de reclamar HAHAHAHAHA parabéns pelo excelente desabafo e me desculpa se ofendi alguém no comentário =(

    1. Victoria Siqueira às 22:34

      HAHAHA Lominha linda!

      Então, mas sabe que a intenção sempre foi me sentir próxima das meninas, mesmo nos momentos impessoais né? Outro dia uma menina disse que lia meu blog e se sentia batendo papo comigo num bar tomando caipirinha. Achei essa definição tão fofa, pq é essa a intenção. Meu blog é igual eu, menininha mas sem firulas e frescuras.

      Minha implicância no post é justamente sobre isso. Vejo muita gente criticando quem ficou ai anos bancando as coisas sozinho, fazendo tudo depois com mega dedicação e responsabilidade, mas ninguém dá corretivo nessas meninas que pegam e acham que só o fato de criar um blog já qualifica pra alguma coisa. Não sei se eu que sou desencanada disso, mas acho que quanto mais você calcula as coisas mais elas ficam distantes. Por isso que eu deixo as coisas rolarem com o tempo e o coração.

      :*

  27. Bruna às 09:08

    Adorei seu texto, Vic! Muito coerente e diz muito do que penso também! Comecei a blogar há muito tempo também, mas tinha um blog apenas com meus textos. Depois inventei de blog de moda e acabei sem saco pra ele. E concordo com o que você disse, muita gente faz o blog pensando apenas no retorno que ele vai dar e não coloca o coração ali, não faz dele uma extensão de si mesmo…

    parabéns e continue assim! Beijo grande

    1. Victoria Siqueira às 22:28

      Quando a gente faz de coração as coisas acontecem. Parece que quando mais medimos e calculamos as coisas, menos elas acontecem.

      :*

  28. Michelli às 08:12

    Maravilhoso texto! Eu sempre escutei pra focar em um assunto pro meu blog “ir pra frente”, mesmo em consultorias que ganhei em promoção, sempre falaram isso, exceto uma pessoa: Sr. Alexandre Otoni, o Jovem Nerd. Ele me disse pra fazer o que eu gosto, e dar vida do meu jeito ao blog, e eu acho que é bem isso que falta hoje. É muita coisa do mesmo. Adorei muito seu post, e assino embaixo.

    1. Victoria Siqueira às 09:35

      Mi, acho que é isso mesmo. Vira e mexe twittam pedindo dicas ou pedem entrevistas, e eu sempre digo: faça por amor, faça o que você gosta e se sinta a vontade. Acho que o lado coxinha da social media e essa ganância por views, jabás e dinheiro está matando algo que deveria ser legal pra todo mundo. Todo mundo faz mais do mesmo porque viu que a receita do bolo deu certo para 3, 4 e acha que tem que dar pra todo mundo. Desse jeito, todo mundo sai perdendo: quem inovou com o formato, quem copia a receita. Saudades das pessoas, do blog com identidade própria, da opinião e do respeito ao leitor.

  29. tamara às 07:09

    Vivi, você tocou em um ponto que eu sempre achei que fazia muito sentido, mas até agora não tinha visto ninguém falar sobre o assunto: a grande maioria das pessoas que reclamam da qualidade dos blogs atuais, não tem um blog e não se propõe a ter um e realmente fazer a diferença. Como você disse, é muito fácil reclamar e não fazer nada para mudar o que acha que está errado. Concordo que existem muitos blogs sobre o mesmo assunto, especialmente beleza, moda, maquiagem. Mas graças as resenhas e a vários desses blogs, eu já comprei produtos indicados que adorei, conheci marcas que não conhecia e mais que isso, passei a ser mais vaidosa. Então, apesar de ser blogueira old school eu curto esse tipo de conteúdo. Claro que não estou falando dos absurdos tipo “primer rollon”, mas sobre isso eu tenho apenas uma opinião: só permanece em evidência quem tem qualidade. Um blog para ser pessoal não precisa ter posts com a rotina diária. Acho que um blog pessoal é um blogs cujo os posts são sobre as coisas que você gosta e tem a ver com você. Gostei muito do post!

    1. Victoria Siqueira às 09:24

      Tá, é exatamente isso que eu questiono e proponho. Eu mudei muito por causa dos blogs: aprendi a comprar melhor, perder um pouco do discurso "nossa que caro" e entendi que qualidade vale o que custa. Hj n me importo de pagar mais caro numa base, num shampoo… e tudo isso aprendi lendo blogs e testando produtos. Por isso, quando gosto muito de alguma coisa, falo no blog -e isso pretendo continuar fazendo pq acho que meus leitores gostam e é algo que eu adoro conversar até com as minhas amigas em mesa de bar. Acho que o maior problema é que no desespero, o povo perdeu a mão, e ai veio as coisas que não representam o que o blogueiro gosta, as dicas absurdas e as resenhas vazias derramando elogio mesmo que a pessoa não goste do produto, por isso que eu acho que falta um pouco de critério. Eu valorizo muito a opinião, a experiência, o que a pessoa achou/sentiu usando aquele produto, indo naquele lugar, e acho que é isso que fez a social media dar certo: a gente quer saber opinião de gente como a gente. Prova disso é que vira e mexe, a gente googla um produto antes de comprar, seja shampoo, seja uma tv ou um carro. A gente quer saber a opinião de gente como a gente.

      E fiquei feliz que não to sozinha nesse pensamento <33

  30. @nathcazola às 01:43

    finalmente uma blogueira dos velhos e bons tempos falando de toda essa realidade forçada q estamos vendo. é lamentável o q certas blogueiras andam fazendo.. confesso q n tenho interesse em nenhuma das viagens q fazem, do q ganham, n é isso q me interessa. parece q td é feito pra humilhar, sim, humilhar: "OLHA, EU GANHEI ESSA VIAGEM, EU GANHEI ESSES PRODUTOS, MINHA VIDA É MARAVILHOSA E A SUA NÃO, VC N PODE TER ISSO", n sei se deu pra me entender.. me sinto submissa, pq sei q mtas coisas dali n vou nunca poder ter, antes acessava pelo conteúdo, e não pra ter um catalogo de coisas que não são minha realidade..

    1. Victoria Siqueira às 22:27

      Eu gosto de ler coisas que vão me acrescentar. Ler sobre viagem é bacana, principalmente se vc vai pro destino, saber os detalhes, aonde ir, o que comer… mas gosto de tudo bem leve, divertido, dica mesmo sabe? Bem pé no chão. Acho que a graça de blog é compartilhar a opinião e a experiência, se não tem nenhum dos 2, não vale manter.

      <3

  31. @febiazetto às 23:08

    Vic, um aninho atrás vim aqui, porque a senhorita divulgava um cãozinho abandonado precisando de ajuda… ACHEI ISSO LINDO…Comecei a revirar páginas e páginas do teu blog e fui me APAIXONANDO perdidamente… desde textos fodas, as músicas do meu tempo… SIM, sou um pouquinho mais velha que tu, então acompanhei todos lançamentos (snif) musicais. Me admirei o quanto tu escrevia com vontade, determinação e sem encheção…

    Com o conhecimento do teu blog, fui catando outros, de moda, de makes, e afins… e eu achei, opinião própria, tudo muito vazio e fútil. Sou maquiadora profissional, acredito que eu entenda um pouco sobre o assunto, por exemplo, e leio cada m#### por ai, que é DE CHORAR MONANGE!
    Tu lembras também quando manifestei a intenção de montar um blog, mas não fiz porque acreditei que não sairia no mesmo tom que o teu, então preferia calar-me? Pois é..tai a resposta! Pedi teu e-mail esses dias pra dizer exatamente isso, a nojeira, como LEITORA DE BLOGS, que dá sucesso pra quem faz, sinto e vejo.
    Engraçado que, depois do teu post de bichinho vi vários outros blogs usando essa causa por exemplo, como se fosse MODA. Não é, amar um bicho e abrir seu espaço de divulgação aqui, É AMOR. Conheci blogueiras que hoje tão famosas, que até ontem me chamavam de Fê, hoje me respondem como FERNANDA TAL, só porque recebe produtinhos, ou frequenta eventos que eu, PROFISSIONAL DA ÁREA, não sou convidada? Olha, mas diante de tanta coisa ruim que eu, como leitora vejo, olha a esperança ai… ainda tem uma Victoria Siqueira falando a verdade, sendo honesta, principalmente consigo própria… que não tá afim de ludibriar leitores, ou virar a bambambam virtual.
    Infelizmente, o EGO tá tomando conta dos corpos e trabalhos bacanas tem se tornado chatos, repetitivos e enjoativos.

    PS: Gata, tô "paganu 60 reaus" por um café contigo pra discutirmos tudo.

    1. Victoria Siqueira às 22:26

      Fê, sua linda! Mas sabia que eu já fui acusada de defender bichos pro marketing? Pois é, já ouvi falarem que eu ajudo bichos pra aumentar a audiência do blog. Foda e triste. Por isso que eu não conto abertamente o que eu faço pelos bichos além de ajudar na divulgação de adoção pq sempre tem algum infeliz que vai ficar de mimimi. O bom que quem me conhece sabe que essa paixão por bicho é verdadeira, e fico muito feliz em saber de leitores que adotaram um dog por influência minha <3

      E quero logo vc aqui pra gente fofocar e se divertir juntas!

  32. mariwatanabe às 23:03

    Adorei que conseguiu colocar para fora a sua angústia em um ótimo post.
    Isso aqui é quase utilidade pública.
    Sabe? Eu acharia bem bonito se as pessoas fossem mais pessoais nas idéias de blogs. Você pode falar daquilo que quiser, que sentir, mas desde que seja você, sabe? Acho que, de alguma forma, as pessoas acabaram se perdendo nessa coisa de blogar ter se tornado uma profissão. E concordo contigo: acho ótimo que isso aconteça, desde que as pessoas tenham responsabilidade sobre o ser formador de opinião.

    Beijos.

    1. Victoria Siqueira às 23:42

      Esse é o ponto Mari! Você pode falar dos alces do Afeganistão, mas que seja real, que seja de verdade, que seja aquilo que você acredita. É como eu disse: é justo as pessoas que fizeram um trabalho bacana serem reconhecidas e recompensadas, mas acho que perderam a noção e o limite de tudo. E o povo vê quem se deu bem e fica querendo almejar ser a mesma coisa. Triste.

      :*

  33. @uaba às 22:48

    Ameeeeeeeeeeeeeei o post! Eu também tinha blog na época do weblogger, fazia template com código html na marra, participava de concursos. Passei pelas mesmas crises que você, e até tentei fazer posts mais impessoais, mas não consegui!
    O que eu vejo hoje são centenas de blogueiras fazendo de tudo pra ganhar jabá e ir pras semanas de moda, dando até motivo para existir um blog como o shame. Como leitora, posso selecionar os blogs que acredito serem sérios. Sempre desconfio das que dizem que uma coisa é ma-ra-vi-lho-sa, mas nunca vejo usando. Sei lá, parece que essas meninas querem ser levadas à sério, mas não mostram seriedade com as coisas.
    O que vejo por aí são mesmo meninas deslumbradas, jovens e com muito sucesso. Porém, foi um negócio tão rápido que às vezes eu paro e penso: "peraí, essa fulana que tá usando chanel, louboutin, etc. não era aquela fulana que tava fazendo post de dicas da c&a há um ano…?" E aí tem gente que vai além e pensa "pq eu não posso ser igual à ela?". E sai por aí enchendo a blogosfera de blogs com conteúdo repetido, implorando por jabá, e, claro, virando piada!
    Adorei o post, Vic! Queria que o povo levasse essa blogosfera um pouco menos à sério. Sei lá, que voltasse a ser um lugar livre de jabás e tal. Porém, sei que é muito utópico, então só posso mesmo desejar que o povo volte a blogar e se divertir!
    (Pelo menos na internet a gente tem a opção do x no canto da tela, né?!)
    Bjsssssss :D

  34. Emi às 22:14

    Muito bom o post, Vivi! :)) Concordo super com você.
    Acho que a maioria das pessoas é movida pela "receita do sucesso". Porque, agora mais do que nunca, parece que ela existe, né. Ficou aparentemente mais fácil ter retorno – financeiro, "social", o que seja… Grande parte desses blogs são mesmo cópias uns dos outros. Só que há o disfarce, porque mudam as fotos, as "inspirações", as imagens de referência. A fórmula é sempre a mesma, ainda que o conteúdo varie. Às vezes a gente se identifica, às vezes não. Ou seja, de alguns a gente gosta (porque, sim, tem aqueles que mesmo sendo mais do mesmo, a gente curte), dos outros a gente já se cansou antes mesmo de conhecer.
    No fim, eu vivo num eterno garimpo: em busca de blogs bacanas e que me agradam. O legal é que por mais que existam tantos chatos e repetitivos, existem vários que fazem os nossos cliques valerem a pena.

    1. Victoria Siqueira às 23:45

      Pois é Emi. A gente vê tudo isso pq somos de uma outra época, de uma outra fase. Mas a maioria vê quem se deu bem e reproduz, e por aí vai… vira uma metástase. O maior problema é que as pessoas não tem bom senso e noção de que essas coisas não acontecem do dia pra noite.

      Eu também ando nessa fase de garimpar blogs bons e bacanas, e sempre fico feliz qnd encontro um assim <33

  35. KaH às 21:56

    Achei muito bacana o seu texto Vi, com muitas verdades, também acho que um pouco desse "boom" que se deu de blogs femininos (porque todo essas discussões e rivalidades acontecem em grande quantidade nos blogs femininos – moda, beleza, etc – com certeza tem discussões em outros nichos, mas nunca vi nada repercutir como está acontecendo com os blogs femininos, a cada dia mais surgem desavenças descabidas e rivalidades desnecessárias) como comentei em um tópico do facebook falta companheirismo, poxa o que custa ajudar uma "colega" que faz um blog também.

    Poxa, já vi blogueira metida a "estrelinha" dizer, que independente se seu blog é bom ou não, sendo novo ou pequeno ela não dá pageviews, caramba para quê isso?! Vai levar a algum lugar? E como você comentou sobre blogueiras que só pedem coisas, realmente tem gente que não tem bom senso nenhum, mas aí ter algumas blogueiras que se recusam fortemente a passar contatos de assessorias como se fossem um tesouro guardado a sete chaves? Juro que não entendo!

    Tenho um blog (novidade né) mas nunca pedi nada a nenhuma blogueira (contato, ajuda) porque acredito que não seja o momento, mas tem o twitter que nos mostra diversas coisas e fico assustada com cada coisa que vejo.

    Desculpe-me pelo texto (também gosto de escrever e quando o assunto interessa a coisa flui hehe)

    Beijo grande!

    1. Victoria Siqueira às 00:00

      A blogosfera nova se fechou num individualismo e numa egotrip de dar medo. Nos resta é fazer as coisas por nós mesmos, sermos um pouco dessa mudança que a gente quer ver pq depender dos outros é foda :(

      :***

  36. brunoernica às 21:48

    Gata,
    Tá certíssima!
    "Blogo" faz uns 7 anos pelo menos, embora sempre canse e comece um novo, rs.
    Com esse boom dos blogs como veículo, o que mais tem é gente oportunista, que por qualquer coisa tá soltando um publieditorial. Você tá certíssima em falar só do que gosta e como gosta! A gente não pode esquecer que além da internet existe vida, e com certeza priorizar a realidade ao invés da virtualidade é o melhor a se fazer.
    Escreva por gostar. Acredito que esse é o segredo.
    Parabéns, sua linda! ;)

    1. Victoria Siqueira às 23:51

      Nhoim seu lindo! Acho que o maior problema são os oportunistas, e é isso que está matando o meio. O que era pra ser algo legal e bacana pra todo mundo, se tornou chato. Queria muito que as pessoas tivessem a mesma noção que a gente.

      <3

  37. Luisa Neves às 21:16

    Eu adorei ler seu desabafo de verdade. Isso me ajudou muito porque eu to querendo fazer um blog e já sei por onde começar.
    Beijos

    1. Victoria Siqueira às 21:29

      <333

  38. Giovanna às 21:13

    Adoro o modo como vc pensa e expoe isso!
    Sou uma curiosa quanto a blogs, e poucos hoje em dia estão fazendo a diferença, é mais aquela coisa de o hobby tá virando job .. e essas blogueiras estão chatas,querem tanto status mas não sabem seu lugar.. D:

    Ps.: se a polícia estiver na sua porta, pode tratar de sambar na cara deles! RS

    1. Victoria Siqueira às 21:32

      Aproveitar que é Carnaval e vou sambar na cara deles, aquelas HAHAHAHA

      Mas então, como eu disse no post e em alguns comentários, eu sou super a favor da galera ganhar dinheiro com o blog, mas acho que precisa de bom senso e noção também. De que adianta vc ser pago pra falar de uma coisa que vc não gosta? Não comentei no post, mas já recusei muito publi pq achava que não tinha a ver com o posicionamento do blog nem comigo. E não, nessas horas não tem dinheiro que compre minha opinião e um espaço no meu blog. Se a marca é bacana, eu gosto, conheço, aprovo, não vejo problemas. Mas nunca faria uma resenha paga, por exemplo. Só faço quando é divulgação de alguma ação/campanha.

      =*

  39. Nathy Santos às 21:12

    Olá
    adorei o texto, li tudo e concordo com você
    Ter blog virou uma coisa tao generalizada, todo mundo tem, e quando você vai entrar nos blogs a maioria com os mesmos conteúdos, hoje mesmo , eu vi uns 4 blogs considerados famosos ensinando como usar tal sapato, ve se pode ?!
    Mas enfim..
    Se pudesse voltar no tempo, amaria a época em que tinha os lay shops, as meninas faziam blogs para ajudar as outras, tinha concursos legais de blog mais legal, mais bonito, enfim…E não só promoções para ganhar leitores,
    tenho esperança que um dia essa época volte,
    tenho saudades <3

    Beijos

    1. Victoria Siqueira às 21:33

      Saudades dessa época. Eramos felizes e não sabiamos! HAHAHA

  40. Ann Sundrani às 21:12

    Adorei esse post! Sério, foi um desabafo em tanto, rs.

    Eu amo o seu blog e concordo que o principal atrativo da blogosfera (inclusive para empresas anunciantes) é a proximidade entre leitor e autor, não apenas no botãozinho "comentários" como também o fato de as postagens serem realmente pessoais, sem aquela imparcialidade da imprensa. O blogueiro ideal é aquele que fala o que pensa (e sabemos que não é preciso ser grosso pra isso). Eu recebo muitos livros para resenhar, e devo ter uns 30 esperando, mas acabei lendo um que eu comprei.

    Acho que o blog, por mais que seja levado como coisa séria e profissional, é antes de tudo uma diversão, tanto para quem escreve quanto para quem lê. Já cansei de ler resenhas imparciais (o que é completamente contraditório ao termo), gente que parece que apenas copiou e colou o release do produto, sem opinião! Não é esse o objetivo do blogueiro. Acho que falta personalidade, autenticidade e verdade na blogosfera atualmente. Falta a consciência do poder que temos. Já dizia o tio Ben "com grandes poderes vêm grandes responsabilidades", e eu não estou vendo muita responsabilidade agora…

    Mals ae, desabafei também. hahaha
    Beijos!!

    Ann;
    Vinte & Poucos

    1. Victoria Siqueira às 21:36

      Você resumiu um pouco da minha idéia do post. Acho que o problema não é "ser vendido" pq vc faz publieditorial, mas é uma questão de bom senso e responsabilidade, compromisso com o leitor. Eu como social media por exemplo, sou bem chata na seleção de blogs por conta disso. E fico triste pq nesse balaio tem muita gente boa que acaba se queimando por tabela, e olha que nem to falando de blogs grandes, mas de gente que criou blog ontem e hoje já se diz formador de opinião.

      :*

      1. Ann Sundrani às 23:16

        Pois é, blogs ganharam muito espaço. Não digo que isso seja ruim, mas é preciso bom senso, com certeza! Não há problema em fazer publieditoriais, o problema é fazer de produtos em que você não acredita. Se eu odeio uma marca de shampoo por que deixa o meu cabelo seco e quebradiço não vou fazer um post no meu blog falando o quanto ele é maravilhoso, nem que me paguem! O que eu sinto é uma falta de valores as vezes, entende?
        Acho que você não precisa amar um produto para fazer um publieditorial, até por que vejo muitos bem impessoais, o meu problema mesmo é com as resenhas (seja o produto que for). Resenhas de livros por exemplo – que são as que eu mais acompanho – que acabam só fazendo um resumo da história não me dizem NADA! Eu quero saber o que você gostou ou não. Quero saber se a narrativa foi boa, se os personagens foram bem desenvolvidos, se foi surpreendente ou se você já sabia o final desde a página 5.
        É MUITO fácil fazer um blog. Isso me preocupa um pouco às vezes. Acho ótimo, por que é uma forma de expressão, mas muita gente mal começa a blogar e já acha que precisa ganhar dinheiro, fechar parcerias, conseguir anunciantes… Acho que esse é o problema. Blogar não é emprego e ganhar dinheiro com isso não deveria ser um fim, é uma consequência.
        Acho que falta paixão na blogosfera, e falta de paixão resulta em falta de conteúdo e personalidade. O que é uma pena.

        Beijos!

        Ann;
        Vinte & Poucos

  41. @planetamahara às 21:09

    Você tocou num ponto muito importante: esta faltando opinião, é sempre mais do mesmo… a blogosfera está chata! Tem blogs de pessoas legais e fofas que eu não suporto mais e deletei dos feeds, pq não tem mais conteúdo, só propaganda velada! A questão não é não rentabilizar o blog, mas perder a autenticidade por uns trocados…

    1. Victoria Siqueira às 23:57

      Mah é foda. Pra gente que viveu a época de ouro, é de chorar no cantinho de ver essas coisas :(

  42. Manu Sampaio às 21:04

    Eu sou como você, levo a sério o blog mas não de um modo profissional. Muita gente só entra na internet quando não tem nada pra fazer, mas eu sempre separo umas horinhas do meu dia para blogar. Pessoas chatas que vivem dizendo que eu sou viciada, acham que eu vivo acessando Facebook e Orkut, mas eu faço coisa mais produtiva e prazerosa, que é publicar textos sinceros no blog.

  43. Amanda Rodrigues às 21:02

    Acredito que vive o mesmo começo da blogsfera que você, lá por 2004 também tinha um blog cheio de gifs, cores e efeitos de cursor, bem adolescente. Quando percebi que aquilo não tinha mais nada a ver comigo, decidi abandonar.

    E no ano passado comecei o caminho de volta e fui fazendo experiências. Ao final desse mês terei a nova versão do blog e nessa volta, trabalhando com Social Media e Marketing Online, tenho tido outra visão de blogar que a um ano atrás. Seu post fala do que eu realmente estava sentindo.

    Faça por amor além de tudo!

    1. Victoria Siqueira às 23:57

      Que fofa <3 fico feliz que vc se identificou com o post!

  44. Iris às 20:58

    Oi Vivi!

    Aqui é a menina que lembra do Borboletando desde os tempos do layout da Aguilera, haha
    Pois bem… Eu comecei a blogar com onze anos – são nove anos blogando, mesmo que nesse caminho, vários anos tenham sido bem "negros", com gifs cor-de-rosa e outras coisinhas mais. Mas aquilo era o que eu era na época. Em 2007, eu abandonei os blogs, porque eu perdi a paixão e foi uma época que eu senti que as coisas estavam mudando aos poucos e eu não estava mais gostando. Continuei acompanhando alguns blogs que gostava, mas depois eles foram se perdendo, virando um espaço diferente daquele que me interessava e larguei de vez. Em 2009 resolvi que queria voltar a blogar, simplesmente porque eu gosto de blogar. Fui blogar sobre livros porque é a coisa que mais amo. Eles são meu lazer e também meu trabalho. Li muito nesses quase três anos de Literalmente Falando, me magoei bastante com a blogosfera de livros (que tem tantas confusões quanto a blogosfera de moda, só que nenhuma das confusões são porque alguém viajou pra Nova York).
    Eu trabalho em editora e recebo muitos livros para resenhar. Diferente dos blogs de moda, quando o assunto é literatura, a gente posta sobre todos os livros que lê – bons ou ruins -, mas cabe a nós dizer o que nós achamos do livro. E dizer os problemas também e as qualidades e qualquer outra coisa, porque estamos ali para resenhar livros (e livros tem a ver com opinião e experiências pessoais, além de uma boa trama, uma boa escrita, etc). Mas, infelizmente, tem gente que se vende por um livro de 10 reais e posta qualquer coisa e fala bem de tudo, quando todo mundo sabe que aquilo é uma porcaria. Cadê a credibilidade? Não, eu não sou formadora de opinião. Se quisesse isso, não teria abandonado a faculdade de Jornalismo para me formar em Produção Editorial. Eu sou blogueira e alguém que ama os livros, meu blog tem minha cara (porque, para quem me conhece, nada me define mais como uma pilha de livros) e eu digo: "amei esse por isso e não gostei desse por aquilo". Nunca perdi nada por ser sincera, por ME RESPEITAR e respeitar os leitores. Pelo contrário, só ganhei. Eu tava perdendo o rumo no caminho que escolhi, mas depois de reavaliar meu comportamento como blogueira, eu resolvi que, assim como você, I'm back to basics.
    Não importa se a gente bloga sobre livros, filmes, moda, tecnologia ou sobre a gente. Aquilo é sua cara? Leve pro seu blog. Mas só leve se você é daquele jeito, não finja ser o que você não é. Como eu disse, eu gosto de ver que vc tá voltando para seu jeitinho de antes, porque eu abandonei o Borboletando por um bom tempo por causa dessas coisas que você apontou no post. Fico triste de ver blogs que eu amava perderem a identidade por causa de jabás…

    Beijos!

    1. Victoria Siqueira às 21:18

      Iris <3 Fiquei tão feliz que vc disse que lembra do primeiro post no Borboletando! HAHAHA morro de fofura qnd dizem isso ou que liam desde a época do So Like a Rose… muito amor no coração!

      Então. Eu acho que o importante é trazer aquilo que você acredita de verdade para o blog, não importa sobre o que. Eu tentei, juro, mas não é pra mim. Respeito quem faça e esteja feliz, mas acho que tem muita gente fazendo e infeliz, mas insiste no erro por comodismo. Eu só voltei a ser feliz quando resolvi me criticar e reconhecer que eu estava errando e infeliz. O maior problema é que as pessoas se deslumbraram, perderam a mão e a identidade. E como você disse: a gente só ganhou sendo sincera com a gente e com nossos leitores.

      E fico feliz em saber que você acha que eu to no caminho certo <33333

  45. Mylla às 20:55

    Olha, Vic, parabéns pela análise. Acompanhei via Twitter tu se debatendo pra postar e, no final das contas, acho que é o tipo de texto que deviam imprimir pra ser colado em todo canto! HAHAHA. Queria te dar parabéns por toda essa auto-crítica que tu demonstra ter – e que, infelizmente, acho que falta sim pra boa parte dos blogueiros. Te admiro por isso e acho que é uma atitude pra muita gente se espelhar, tanto os novatos quanto os veteranos. Eu sou meio auto-crítica de berço, e acho que isso contribui bastante pras coisas que eu produzo. O blog que eu mantenho hoje em dia é uma delas.

    O principal problema que eu vejo na ~blogosfera~ (além desse termo feio pra caramba, meu, HAHAHA) é que falta pesquisa, estudo e aprimoramento. Acho que até um aprofundamento em ética iria bem para a maioria. E aquela coisa, né? Empatia e respeito pelos leitores em primeiro lugar. Já fico com o pé atrás quando o blogueiro juuura que é formador de opinião e/ou que tem fãs. Peraí, cara pálida, blog serve justamente pra ser uma coisa mais horizontal, pra pessoa escrever e as outras contribuírem nos comentários. Discutir e tal. Quer dizer que tu realmente acha que tá acima de mim?

    Bem, divaguei horrores aqui, HAHAHA. Espero que esse post gere um bom debate. :)

    :*
    http://hey-london.net

    1. Victoria Siqueira às 23:56

      Mylla! Eu sou super auto-critica e isso ás vezes acaba comigo pq tudo eu acho ruim e mal feito HAHAHA. Mas por um lado é bom né? A gente sabe que estamos nos esforçando pra conseguir produzir algo bacana e de qualidade.

      Sobre essa relação blogueira-leitora é bem por ai: infelizmente tem gente que se coloca acima de todos e esquece que no fundo, o leitor é a razão do blog existir. Bizarro, mas infelizmente é vdd.

      :*

  46. Anna Vitória às 20:52

    Vic, concordo muito contigo.
    Tô na blogosfera há uns 8 anos, blogando sério há 4, e sinto uma saudade enorme da blogosfera moleque. Enorme! As coisas eram muito mais legais, despretenciosas e divertidas. No entanto, acho que é um tanto quanto difícil querer que aquilo volte por inteiro, porque os tempos são outros e, como você disse, o conceito de blog cresceu, ganhou proporções inimagináveis há alguns anos atrás.
    Acho que é possível sim que blogs pessoais coexistam com blogs mais "comerciais". Na minha visão, o que aconteceu é que todo mundo quer ter blog profissional e largar o emprego pra viver de anúncio e jabá. Todo mundo acha que basta ir lá na Renner fotografar a coleção nova e pronto, virou blogueira de modas, cadê credencial pro sp fashion week? E acho também que os blogs de moda que "chegaram lá", em sua maioria, perderam a identidade. Não sou ninguém pra julgar quem larga tudo pra viver de blog, mas acho que a partir do momento que vira o ganha pão da pessoa, ele perde a proposta inicial de ser informal e não se levar a sério. A gente vive pra poder postar, mas não pode postar pra viver. Entende?
    Tô falando do universo de #modas porque é o que eu mais conheço, e acho que é ao que você se refere, mas se aplica a praticamente qualquer outro segmento.
    E assino embaixo, principalmente, da tua proposta de ação. Vejo muita gente reclamando por aí que sente falta dos blogs pessoais, e essas pessoas bem que podiam fazer alguma coisa. Abrir o blog pra contar os planos do carnaval ou qualquer coisa assim, porque é falando sobre nada (ou sobre tudo) que a gente descobre do que gosta de falar, o que acha bacana compartilhar. Galera precisa entender que a blogosfera precisa de iniciativas criativas, desencanadas, porque começar uma coisa já pensando no que aquilo pode virar, mirando na lua, é pedir pra terminar fazendo a alquimista inventando receita de primer.
    Enfim, espero que tenha entendido meu ponto de vista, acho que esse comentário ficou confuso, rs.
    Beijo!

    1. Victoria Siqueira às 21:04

      Então, o que eu acho é que tem que ter um meio termo. Acho lindo todo mundo se dar bem, trazer referências do seu universo para dentro do blog. O problema é que as pessoas erraram a mão e o que era pra ser uma coisa supimpa virou chato. Chato e repetitivo. Não quero que as coisas voltem aos anos atrás pq acho que as coisas amadureceram, até pq todo mundo cresceu, começou a ver outras coisas. Mas gostaria de ver mais noção e mais pé no chão. E sim, acho que sim, dá pra ser comercial e sem perder a essência do blog. Claro que com isso, provavelmente vc pederá alguns dinheiros (eu mesma já perdi várias oportunidades pq achava que o produto n se enquadrava com meu perfil e dos leitores), mas ao menos é honesto.

  47. Thais às 20:50

    Adorei o post, ultimamente blog virou emprego! Da medo na maioria das vezes né!? Bjus pra todo mundo da old school!

    1. Victoria Siqueira às 21:07

      Tha, eu acho perfeitamente possível casar blog e comercial, mas acho que para isso, é preciso ter noção, bom senso e responsabilidade. É como eu disse ali: se vc faz um trabalho bacana, honesto e respeita o leitor a ponto de selecionar publis que vc acha que se enquadra no perfil do seu blog/leitores, porque não? Claro, desde que deixe transparente para o leitor que aquilo é uma publicidade.

      De qq forma, saudades de quando as pessoas levavam tudo menos a sério e não arrumavam picuinha por qualquer coisa :(

      1. Thais às 21:14

        Por isso que amo vc, a gente ja bateu muito nessa tecla em conversas de gtalk. Só essa semana meu reader teve uns 5 blogs com post totalmente comerciais… E alguns sem nenhum relacionamento ao publico do blog! Lembra daquele do coletor menstrual? Hehe

  48. Nicollas às 20:50

    Amei , o conteúdo e super certo, o que você deu destaque! Temos tantas coisas pra fazer, pra que levar tudo tão a sério né?! Parabéns! ;)

  49. Lola às 20:48

    Tudo seria mais leve e fácil, se as pessoas (blogueiros e leitores) se levassem menos a sério. Parece simples, mas isso é difícil demais pra maioria.
    A questão não é voltar a ser 2006. A questão é ser só um 2012 mais light, menos obrigatório e mais divertido.

    1. Victoria Siqueira às 21:05

      Exato. Não quero que a blogosfera volte, até pq acho que colhemos bons frutos até agora e todo mundo cresceu, amadureceu. O que eu sonho é uma blogosfera menos séria, mais leve, mais divertida, em que as pessoas parem de se acreditar e julgar o outro. Só espero que não seja um sonho utópico HAHAHA

  50. Mariane às 20:46

    Ótimo texto! ;)

    1. Victoria Siqueira às 22:50

      <3

Deixe seu comentário!