Para Ouvir: Kiesza

postado em  •  5 comentários

kiezsa

Tem um bom tempo que eu ando com preguiça do mundo pop e acredito que para muitos de vocês, o sentimento seja o mesmo: parece que todo mundo segue a mesma fórmula e segue a risca. Daí alguém inova, bomba e o que era novo vira carne de vaca. Não consigo ouvir nenhuma dessas músicas de hoje e sentir que daqui 5, 10 anos ouvirei com o mesmo sentimento de nostalgia que eu tenho quando escuto Backstreet Boys, Spice ou Britney das antigas, por exemplo.

Outro dia estava pensando sobre o revival dos anos 90 e no tanto de coisas que ele tem trazido de volta para nossas vidas 20 anos depois -só olhar as últimas tendências de moda para ver que boa parte das “novidades” são na verdade, uma releitura do que a gente já viu em algum momento. E apesar do revival do grunge e da pegada pop-Mariah da mini Mariah Ariana Grande na música, estava faltando um toque mais dance de algo que a gente pudesse identificar facilmente estas referências.

Bem, faltava. Não falta mais. E o nome da responsável por isso atende pelo nome de Kiesza. Se você nunca ouviu, faça este favor a si mesmo e dê um play aqui embaixo:


Kiesza é canadense e tem 25 anos, ou seja, é filha dos anos 90 e gente como a gente, que viveu essa época. Uma prova disso é o visual da moça, cheio de referência à moda noventista, com suspensórios, jeans e peças esportivas (beijão Mel C!). A outra prova é musicalmente: impossível não ouvir qualquer música da moça e não lembrar dos hits da Euro Dance e do pop da primeira parte da década de 90 -ouça “All Around The World” da Lisa Stansfield + “Deeper and Deepper” da Madonna e tire suas próprias conclusões.

Manda mais referência aos anos 90 que tá poco? Então tá. Não bastava ser maravilhosa, cantar bem, ter estilo, tirar foto com mozão Brandon Flowers e fazer músicas recheadas de influências desta década mágica: tem que fazer uma versão ~samba-enredo~ para o clássico emblemâtico da dance music “What Is Love” do Haddaway.


Gostou? Não deixe de ouvir o debut da moça, “Sound Of a Woman” na Deezer ou no Spotify. Além de “Hideway” e “What Is Love”, recomendo fortemente “No Enemiesz”, “Vietnam”, “Gigant In My Heart” e “The Love” <3.

O inacreditável Pão de Mandioqueijinho (ou pão de queijo sem queijo!)

postado em  •  33 comentários

mandioquieijinho4

Quando conto que sou intolerante a lactose e, mais recentemente, alérgica a proteína do leite, uma das coisas mais me perguntam é: “como você consegue ficar sem leite e derivados?”

A resposta é simples: vivendo. E digo que, ao contrário do que muitos acham, continuo vivendo e muito bem, obrigada. Já contei aqui no blog em outras ocasiões que, apesar de saber da minha intolerância desde pequenininha, sempre fui um pouco negligente com relação à isso, já que só o leite ou derivados com muita concentração de lactose me faziam mal. Mas com o diagnóstico da APLV, a coisa mudou de figura e hoje, o quanto eu puder evitar, melhor para mim e para minha saúde. Desde que eu eliminei o leite por completo da minha dieta, minha vida melhorou em muitos aspectos e percebi o quanto o consumo dele afetava no meu dia-a-dia, desde uma redução drástica nas urticárias e crises de sinusite, até disposição e concentração.

Porém, apesar de viver super bem sem o leite e derivados, confesso que sinto falta de várias coisas e que, aos poucos, tenho buscado adaptações possíveis e gostosas das minhas coisas favoritas. Uma destas coisas era o pão de queijo, que sempre foi minha opção de café da manhã ou lanche da tarde em dias corridos e amô-vdd ao lado da coxinha. Daí que, num dia desses fuçando na Internet, encontrei uma receita que tinha como base a mandioquinha (ou batata salsa/baroa, como é conhecida em outros lugares do país), e nenhum resquício de queijo ou derivado de leite. Confesso que quando eu vi, achei que fosse ficar com gosto de qualquer coisa e que a última coisa que pareceria era um pão de queijo mas, felizmente, me encanei redondamente: o resultado ficou incrível em todos os sentidos.

O melhor desta receita é que ela é muito fácil de fazer, pode ser consumida todo mundo, inclusive quem tem intolerância ou alergia ao glúten e também por veganos, já que a receita não leva ovos nem qualquer outro tipo de proteína animal. Tanto a textura quanto o gosto ficam muito próximos à receita tradicional tanto que, se você não contar que não queijo na massa, ninguém vai perceber nenhuma diferença. Aqui em casa a receita é sucesso e até meus pais que não tem alergia, aprovaram e sempre devoram quando eu faço.

Ingredientes:

500g de mandioquinha cozinha e amassada (até virar um purê)
1 xícara de polvilho doce
1 xícara de polvilho azedo
1/4 de óleo vegetal (usei azeite, mas pode ser qualquer óleo que você tenha em casa!)
1/2 de água quente
Sal a gosto

Modo de Preparo:

Em uma vasilha, misture todos os ingredientes até virar uma massa uniforme e bem consistente. Caso seja necessário, acrescente um pouco mais de polvilho para deixar no ponto. Faça bolinhas no tamanho desejado e coloque numa forma untada com óleo. Leve para assar em fogo médio-alto por 35-40 minutos, ou até as bolinhas “estourarem” e ficarem crocantes.

Essa é uma massa básica, mas você pode turbinar para deixá-la mais nutritiva e/ou saborosa. Para quem é diabético ou está de dieta, pode acrescentar farinha de linhaça ou chia à massa, já que estas fibras ajudam a reduzir o índice glicêmico, presente no polvilho e na mandioquinha. Também pode incluir ervas e especiarias como alecrim (a-m-o!), orégano ou pimenta, para variar o sabor ou dar um toque diferente à receita.

Testou? Amou? Volta aqui pra contar para mim nos comentários ou me marca no Instagram, @borboletando. Vou amar saber sua opinião e ver o resultado <3.

D.I.Y.: a fabulosa Caveirinha Purpurinada

postado em  •  28 comentários

caveira

Não faz muito tempo que eu tenho me apaixonado por decoração e por itens decorativos. Na verdade, comecei a gostar disso quando consegui dar uma personalidade para meu quarto e para o meu home office, que até então eram com móveis de quando eu era pequena e não tinha um estilo/personalidade definidos. E é muito legal e prazeroso quando você começa a transferir um pouco da sua personalidade e estilo em outros lances da vida, como sua casa ou no meu caso, um determinado cômodo.

Se eu tivesse que definir meu estilo, diria que ele transita pelo gótico suave glam-rocker. Amo preto, couro, coisas de paetê/glitter, spikes, tachas e claro, caveiras. Muitas caveirinhas. E apesar do meu guarda-roupa estar repleto de peças com estas inspirações, achei que meu estilo também merecia um lugar especial na decoração do meu novo home-office. Durante algumas semanas, encontrar uma caveira de glitter virou uma obsessão para mim. Quando encontrava, ou não era da cor que eu queria ou o preço não me convencia. Dai que um belo dia, encontrei crânios de gesso numa loja de artesanato no centro de Santo André e resolvi fazer um momento art attack. E não é que deu super certo? Prova disso é que toda vez que eu coloco fotos delas no Instagram, faz o maior sucesso e sempre me perguntam aonde eu comprei!

Por isso, resolvi compartilhar o passo-a-passo da fabulosa e glamourosa caveirinha de glitter e também, inaugurar a tag de D.I.Y., que vai trazer tutoriais de “faça você mesmo”, ideias e inspirações para decorar a casa ou um momento especial, como uma mini-festinha descompromissada ou temática em casa.

Vamos aprender a fazer? É fácil, relativamente rápido e mega barato -devo ter gasto em torno de R$15 em todos os materiais, sendo que a tinta e o pincel poderei usar outras vezes :D

Material

01 crânio de gesso (vende em lojas de produtos para artesanato)
01 potinho de glitter fino
01 tinta acrílica na cor + próxima do glitter (usei dourado, mas você pode combinar um pink para glitter pink, azul para glitter azul, preto para glitter prata escuro)
01 cola branca
01 pincel

Como fazer?

caveira-passoapasso

1. Antes de começar, verifique se a caveira está lisinha, sem ondulações e sujeirinhas. Caso esteja, basta dar uma lixadinha e limpar com um pano limpo ou borracha (no caso de lápis, que é bem comum). Com ela limpa, comece a pintura com a tinta acrílica. Passe 2 demãos para garantir que ela fique bem pintadinha e deixe secar. Nesse processo ela já fica bem bonita e pode ser uma alternativa para quem não gosta de coisas “purpurinadas”.
2. Com ela seca, passe a cola branca com a ajuda do pincel e salpique glitter. Minha sugestão é fazer isso aos poucos e deixando secar completamente antes de repetir o processo. Atenção para os olhos e maxilares, que geralmente tem “buraquinhos” mais chatos de aplicar.
3. Espere secar completamente de um dia para o outro. Depois, assopre para tirar o excesso de glitter ou dê batidinhas na peça.

caveira4 caveira5

Por uns dias, o glitter vai cair, ainda que você bata e passe um espanador para ir mais rápido. Mas não é nada assustador e que vá deixar sua casa brilhante, ok? Pode ficar tranquila!

As fotos não ficaram tão legais e ainda tive editar para deixar mais nítido, mas se você ama caveiras e glitter, pode fazer que é sucesso. E quem fizer, volta aqui pra contar ou me marca no Instagram, @borboletando. Vou adorar ver o resultado das caveirinhas fabulosas de vocês <3.

Tag: Know Your Blogger

postado em  •  19 comentários

Durante minha ausência, vários amigos participaram da “Know Your Blogger”, uma TAG que consistia em convidar blogueiros a apresentarem 11 fatos sobre eles mesmos + responder 11 perguntas feitas pelo blogueiro que o desafiou. No meu caso, a rainha das abelhas tudo, dona Babee, para participar da brincadeira e responder as perguntas elaboradas por ela.

knowyourblogger

Apesar de fazer muito tempo que eu não participava destas TAGS, achei legal participar desta vez para falar um pouco mais sobre mim e de coisas que eu não costumo falar aqui normalmente -o que inclui curiosidades tão relevantes quanto saber que Caetano Veloso estacionou o carro e foi dar uma volta no Leblon.

Vamos as minhas respostas do desafio? :)

11 fatos sobre mim

#1 Dizem que eu tenho sotaque e sempre me perguntam se eu sou do Sul. Mas como todo mundo sabe, paulistano não tem sotaque né meeeeeeeo *ler com sotaque de paulistano da Mooca*.
#2 A primeira vez que eu pintei meu cabelo foi de vermelho, por causa da Geri das Spice Girls, quando eu tinha 11 anos. Foi tão traumatizante que a última cor que eu penso em pintar hoje é vermelho/acobreado.
#3 “Ter uma banda” está entre minhas frustrações de adolescência, junto com aprender a tocar guitarra. Ou seja: a solidão e a frustração me fizeram roqueira.
#4 Antes de ser publicitária, me formei em Hotelaria, mas nunca exerci a profissão diretamente. E antes de fazer Hotelaria, quis ser veterinária ou produtora de moda. Também já quis ser Paquita e Spice Girl (quem nunca, né?).
#5 Parei de crescer com 11 anos e 1m70. Quando as pessoas me conhecem sempre comentam que me imaginavam “mais baixinha”. E as pessoas que estudaram comigo nessa época sempre dizem “achei que você tivesse ficado mais alta”.
#6 Tenho 5 piercings, sendo 4 nas orelhas e 1 no nariz, e nenhuma tatuagem (ainda).
#7 Sou muito urbana, não sou louca por praia muito menos campo. Gosto para passar um tempo, mas nada como o cheiro de asfalto e poluição (ok, exagerei!). Só trocaria SP por Porto Alegre ou Londres.
#8 Sou muito medrosa. Tenho pavor de altura, de sapos, baratas e de ficar doente. Esse último é tanto medo que eu já perdi a conta de quantas vezes fui no PS achando que estava morrendo.
#9 Não conseguia usar batom escuro até uns 4 anos atrás. Comecei a ter coragem de usar quando fui para Londres, vi várias meninas usando durante o dia e resolvi arriscar para dar uma colorida no visual quase sempre preto e cinza. Desde então, dificilmente uso batom cor-de-boca, inclusive no dia-a-dia. Meus favoritos são o Ruby Woo e Flat Out Fabulous da MAC, o Red Velvetine da Lime Crime e claro, o Borboletando do Tracta Blogs.
#10 Acredite se quiser, mas eu sou extremamente tímida. Até eu me acostumar com o ambiente ou com as pessoas, sou completamente travada e muda. Conforme me deixam a vontade, eu me solto. Ainda assim, tenho uma certa dificuldade de me expressar em público, como em sala de aula. Jamais seria professora.
#11 Odeio gelatina, mamão e abacate. São 3 coisas que não me descem de jeito nenhum. E além de intolerante a lactose e da alergia a proteína do leite, ODEIO cheiro de leite.
Extra: me identifico muito com a Britney em muitos sentidos, mas o principal deles é nas caretas e o fato de não saber disfarçar as coisas. Quem convive comigo já está até acostumado com as minhas caras e bocas, principalmente quando eu estou prevendo alguma merda. Certeza que é coisa de sagitarianos <3.

giphy

Perguntas da Babee

1. Se você pudesse escutar somente uma música em loop infinito durante sua vida, qual seria?
Eu acredito muito no poder da música e o quanto ela pode transformar um dia. Tenho uma lista de músicas corretoras de bad vibes, mas uma delas tem um significado especial para mim: “Sweet Talk”, dos mozões The Killers.


Acho que se um dia eu ouvir essa música ao vivo, certamente serei a pessoa mais feliz e realizada do mundo.

2. Melhor fatality
O da Inês Brasil, só por este GIF maravilhoso!

FLAAAAAAAAWLESS!

3. Na Rua, na chuva, na fazenda ou na casinha de sapê?
Considerando o tempo seco que anda fazendo em SP, com certeza na rua, tomando um banho de chuva. Casinha de sapê dispenso.

4. Que rede social você criaria?
Uma rede social nos moldes do Facebook porém com a galera ~ousadia ft. alegria~ do Twitter, em que comentários sobre políticas, barracos e chorumes seriam barrados e substituídos por fotos de bichinhos fofos e dos mozões Brandon e Karnezis.

5. Qual sua cor favorita?
Não importa quantos anos passem, rosa sempre será minha cor favorita ao lado de preto. De preferência os dois juntos.

6. Por que feriu meus sentimentos?
Essa pergunta merece uma como resposta o hino das mágoas pagodeiras noventistas:


7. Dica de sobrevivência pós-seca de São Paulo.
Com certeza assistir “Acquária” de Sandy & Junior para pegar algumas dicas de sobrevivência pós seca.

8. Qual lugar você já visitou e não voltaria nunca mais?
O Subway da frente do meu trabalho. A última vez que eu comi lá tive uma intoxicação alimentar e fiquei 1 semana ruim

9. Qual é sua comida preferida? Favor postar receita.
Brigadeiro, porém ainda não aprendi a fazer a versão sem leite, só compro pronto. Também amo Temaki, mas a única vez que eu tentei fazer ficou horrível. Então indico minha receita favorita: Nutella e Pasta de Amendoim caseiras.

10. Qual presente você sempre sonhou, porém nunca ganhou de dia das crianças?
Sempre quis ganhar uma Polaroid, e o sonho só aumentou quando as Spice Girls lançaram aquela edição especial -inclusive disse neste post aqui. A boa notícia é que eu consegui realizar meu sonho depois de mais de 16 anos e comprei uma usada no OLX de uma ex-fã.

11. Amostra sua cara depois de responder minhas perguntas.
Respondi depois do trabalho, quando ainda tava maquiada e testando o batom da miga Maraísa Fidelis para o Tracta Blogs, sendo meio gótica suave.

FullSizeRender

11 perguntas para 11 bloggers

1. Drinks frist, question later. Tá, qual o drink?
2. Se a sua vida tivesse uma trilha sonora, qual seria?
3.Qual celebridade seria sua melhor amiga?
4. Qual música você ouviria para chorar no chão gelado?
5. Monte o lineup dos seus sonhos de um festival de música com até 8 atrações.
6. Um clássico das entrevistas dos anos 90: quem e o que você levaria para uma ilha deserta?
7. Neste Brasil dividido, de que lado você fica: bolacha ou biscoito?
8. Se sua vida virasse um filme, quem faria seu papel?
9. Supondo que você seja uma celebridade: o que você faria da vida (atriz? cantora? personalidade da mídia?)
e qual look usaria em um red carpet?
10. Britney Spears, Christina Aguilera ou Jessica Simpson?
11. Supondo que o Orkut ainda exista e que você tenha um álbum chamado “Momentos”, publique qual seria sua foto de capa deste álbum.

Paula, Adrika, Cris, Pri, Cinthya, Ana Flávia, Phellipe, Raquel, Clau e quem mais quiser! :D