25 anos

1009 coisas para fazer antes dos 30

postado em  •  14 comentários

Quando completei 25 anos, eu fiz um post sobre as delí­cias e os medos de estar envelhecendo e principalmente, sobre minha visão desta fase da minha vida. Para mim, para grande parte dos meus amigos e acredito que para vocês que estão na mesma faixa de idade, os 25 são os novos 18. Não que a gente tenha aquele espí­rito teen e falta de maturidade, mas acho que nós estamos prolongando a nossa juventude e deixando as coisas acontecerem no ritmo certo, sem nenhuma encanação. Como eu disse no post, se antes eu pensava em casar aos 25, hoje pra mim é um desejo distante que eu só pretendo concretizar depois dos 30. O mesmo vale sobre ter filhos. Até lá, quero viver experiências inesquecí­veis, conhecer gente nova, sair, viajar pelo mundo, enfim, viver a vida e aproveitar as oportunidades que eu não vivi aos 18.

Raramente falo sobre os presentes que eu ganho, mas dessa vez eu fiquei tão encantada com o conceito da ação que foi um pouco inevitável não postar. O isotí´nico i9 da Coca Cola montou o projeto 1009 coisas para fazer antes dos 30, que conta com um hotsite com as 1009 coisas para você fazer entre comportamento, gastronomia, tendências, aventura, trabalho, cultura e claro, viagens.

Dei uma olhadela em cada categoria e por incrí­vel que pareça, já fiz muitas das 1009 coisas como:

Andar nos í´nibus de 2 andares em Londres, ver a troca da guarda da Rainha e passar por cima das joias da Coroa: preciso relembrar? Clica aqui e acompanhe minha saga pela terra da Rainha e agora, da princesa Kate!

Ir a Itu, a cidade dos exageros: já fui algumas vezes a Itu em vários momentos da minha vida. A última vez foi no SWU para assistir o show do Kings Of Leon e confesso que nunca senti tanto frio na minha vida quanto aquele dia. Coisa sureal.

Rechear o quarto com fotos suas felizes: depois de ficar anos com as mesmas fotos no mural, inclusive de pessoas que nem sequer fazem mais parte da minha vida (ex amigos dos tempos de colégio, conhecidos…) imprimi fotos da viagem e com amigos e troquei tudo. Terminei de arrumar esse final de semana.

Tentar ficar pelo menos um dia sem Internet: ficar sem Internet é quase um luxo para uma pessoa como eu, que fica praticamente 16 horas conectada a Internet e nem é por opção, mas porque meu trabalho exige que eu esteja sempre conectada. Mas a vida off é legal e tenho procurado me manter off pelo menos aos finais de semana. No último feriado, me dei ao luxo de ficar sem Internet mesmo com o iPhone por perto. E sobrevivi :)

Ir a um show super concorrido: para falar a verdade, fui em 2. Primeiro o da Madonna em 2008 e mais recentemente, do U2 mês passado. Realização de 2 grandes sonhos musicais que valeram todo o esforço e espera.

Lotar seu quarto com pí´sters de bandas: na verdade isso foi uma coisa que eu fiz quando eu tinha lá pelos meus 12 anos e uma das paredes do quarto era forrada com posters do BSB, do Nick e das Spice. Não me olhe assim, você provavelmente fez o mesmo ou conhece alguém que tenha feito.

Aprender a tricotar: minha mãe é super prendada, mas eu não tenho vocação nenhuma para tricot, crochê ou qualquer outro trabalho manual. Alguns anos atrás eu tentei fazer um cachecol para mim, que começou com 30 pontos e acabou com quase 90 :(

Fazer uma coleção temática para os amigos: já brinquei de montar cds temáticos para meus amigos e agora brinco de fazer mixtape aqui no blog. Tá valendo né? :p

E graças ao i9, já vou reduzir mais um item da minha lista: eles me presentearam com um curso básico de sommelier na Personal Sommelier, que por acaso, foi uma das poucas matérias que eu realmente gostava na época que eu estudei Adm Hoteleira, e um vinho tinto seco francês chiquéééérrimo. Quando eu fizer o curso conto para vocês como me saí­ e quem sabe, compartilho algumas dicas de como harmonizar comida com bebida (NOT!). Tí´ ansiosa para começar!

Vou contabilizar quantas coisas eu fiz até os 25 e tentar cumprir o que falta até os 30. Ainda tem 5 anos, será que eu consigo cumprir toda a lista? Vamos acompanhar!

E vocês, o que já fizeram dessa lista? Compartilha aqui comigo, vamos brincar de meme nos comentários!

1/4 de século

postado em

Hoje é meu aniversário e confesso que é estranho, por muitos motivos. O primeiro deles é que o ano passou tão rápido que eu fui me dar conta que ele estava se aproximando há mais ou menos 2 semanas -e daí­ sai correndo entre um trabalho e outro para tentar armar alguma festinha. O outro motivo e talvez o principal dele é a idade: estou completando 25 anos. Sei que muitos de vocês vão me responder “mas você é tão jovem” e bla bla bla, mas é assustador pensar o quanto tempo passa rápido e sem que a gente perceba. Parece que foi ontem, e não 10 anos atrás, que eu completei 15 anos. O tempo passa rápido, a gente não percebe e de repente, fica aquela confusão mental. Passei o dia numa vibe reflexiva, repensando na minha vida até aqui, no que eu melhorei, no que eu piorei e o que eu preciso mudar.

Completo 25 com espirito de adolecente, o que não é necessariamente tão bom assim. Para ser sincera, chegou num ponto preocupante, principalmente quando eu paro para pensar nos meus planos aos 12: quero casar aos 25 e ter filhos com 27. Bizarro pensar que hoje, aos 25, nem namorado eu tenho e mesmo se tivesse, provavelmente não estaria pensando nisso. Filhos então é um sonho extremamente distante. Definitivamente, não consigo sentir o peso da idade e as responsabilidades que vem junto com ela. Parece meio sindrome de Peter Pan sabe? Me dá agústia saber que estou mais perto dos 30 do que dos 15. Não sei, mas parece que aos 12, as pessoas de 25 pareciam aos nossos olhos tão maduras, tão adultas. Ao mesmo tempo, não acho isso ruim. Ainda quero aproveitar a vida, as oportunidades, conhecer pessoas e lugares diferentes…

Meus 24 anos assim como meu 2010, foram intensos e tão decisivos como se eu tivesse 17 anos. Vivi experiências novas, consegui me encontrar profissionalmente (quem acompanha o blog desde o começo sabe o quão isso foi tenso qnd eu tinha meus 20, 21), conheci pessoas que me fizeram me abrir para o mundo, quebrei tabus e preconceitos… consegui me libertar e ser a Victoria de verdade, sem máscaras ou pudores. C’est la vie no melhor sentido da palavra. Por isso, considero meus 25 como meu novo 18. Acho que estou no caminho do amadurecimento, de encontrar um meio termo entre ser a eterna menina e a mulher.

Música que embalou meu dia reflexivo de hoje. Já pode chorar em Londres ouvindo essa música?

E espero que neste meus novos “18”, eu tome vergonha na cara para dirigir -já disse que eu tenho carta, carro e não dirijo? Pois é rs.

Feliz aniversário para mim \o/

PS: o blog anda com atualizaçíµes reduzidas mas espero voltar a um rí­tmo digno em um futuro próximo. Assim espero, amém.