bandas

Mulheres no vocal: 6 novas artistas para você ouvir e amar!

postado em  •  6 comentários

Sempre tive uma forte tendência a ser fãzoca de vocais femininos. De Xuxa í  Garbage, passando por Britney e Hole, mulheres no vocal sempre despertou meu interesse e meu amor pela música. Devo grande parte disso í  minha adolescência regada í  Spice Girls, do lema do Girl Power e do meu desejo (não realizado) de ter uma banda. E se por um lado rola todo um gruppie feelings com os vocalistas, com as meninas é todo um sentimento de inspiração de estilo e admiração.

Para minha alegria, nos últimos tempos tem surgido várias novas artistas femininas cheias de poder e com músicas incrí­veis. Por isso, fiz a seleção das 6 bandas e cantoras que eu tenho escutado com mais frequência nos últimos tempos para indicar para vocês amarem também. Vamos a minha lista de queridinhas do momento?

Haim

haim

Sabe quando você sabe que precisa ouvir uma coisa, fica enrolando para ouvir e depois se pergunta porque não tinha escutado antes? Foi exatamente assim que eu me senti com o Haim. Perdi a conta de quantos amigos me falaram que era para eu ouvir, mas acabava que eu esquecia. Até um dia que eu peguei para ouvir na Deezer e… viciei.

O Haim é banda norte-americana é formada pelas irmãs Este, Alana e Danielle, que assume os vocais, e pode ser comparado com uma versão anos 2000 dos irmãos Hanson (só que mais legal). O Haim faz um som que mistura indie rock, folk e pop, resultando numa música com jeito de trilha sonora de picnic no sábado a tarde com os amigues.

Não deixe de ouvir: Failling, Forever, If I Could Change Your Mind e The Wire.

Foxes

foxes

Sabe quando você ouve uma música e sente vontade de sair ouvindo tudo relacionado ao artista? Foi assim que eu me senti quando ouvi a Foxes pela primeira vez.

A moça é inglesa, tem 24 anos, usa uma maquiagem super marcante e faz um pop delicioso, bem diferente das músicas pasteurizadas que temos ouvido nos últimos 4 anos.

Não deixe de ouvir: Youth, Let It Go For Tonight, Beauty Queen.
Continue lendo →

Killers sambando sem prometer em “Shot At The Night”

postado em  •  3 comentários

Esse final de semana estava pensando o quanto algumas coisas me fazem mais feliz e uma delas, é ainda ter meus í­dolos. Sou fanática por música, movida por ela, continuo consumindo CDs fí­sicos (e mais recentemente, vinis), e uma das coisas que me fazem uma pessoa mais feliz é ter meus artistas favoritos. Gente que eu admiro, gosto de saber novidades, de acompanhar a carreira e tudo mais. E confesso que a cada novidade de algum artista que eu gosto muito, sinto aquela euforia fangirling, não muito diferente do que eu sentia na adolescência pelas Spice e os Backstreet Boys, HAHAHA. Sei lá, tem gente que é fanático por futebol. Eu sou pelas bandas e cantores que eu gosto. E quer saber? Não me envergonho disso.

shotat

E é nenhuma novidade para os leitores do blog o tamanho do meu amor pelo The Killers e pelo mozão Brandon Flowers, e que eles disputam o topo com o Garbage e a Britney. Com a era Battle Born chegando ao fim, estava começando a me sentir órfã da banda até o próximo álbum (ou o ~Flamingo 2~, aka o trabalho solo do Brandon) quando eles anunciaram, sem maiores detalhes, que grandes novidades estavam por vir.

COMO EU ME SINTO QUANDO MINHA BANDA FAVORITA ANUNCIA NOVIDADES

COMO EU ME SINTO QUANDO MINHA BANDA FAVORITA ANUNCIA NOVIDADES

Daí­ em diante, foram dias juntando peças de um quebra-cabeça que a banda soltou nos últimos meses. Da entrevista para a NME em junho, em que a banda apresentou para o jornalista um trecho de uma nova música produzida em parceria com Anthony Gonzalez do M83 (aliás, se você ainda não conhece, corre pra ouvir que também é coisa linda de Deus!), aos tweets misteriosos que eram misteriosamente apagados dias depois, tudo se encaixou perfeitamente na semana passada, quando foi publicado nos canais oficiais uma imagem em código Morse, anunciando o nome do novo single, “Shot At The Night”, previsto para o dia 16. Ou seja, fiquei esperando o final de semana inteiro aguardando o vazamento, fazendo uma varredura na Internet inteira e nenhum indí­cio -apenas que a faixa estaria disponí­vel em breve no Rdio.

Por incrí­vel que pareça, em pleno 2013, a faixa conseguiu a proeza de não vazar antes do lançamento oficial na Radio BBC1 do Reino Unido, e eu me senti praticamente nos tempos que eu ficava com a boa e velha fita K7 com o play+rec+pause pressionados só aguardando o lançamento da nova música dos Backstreet Boys nos áureos tempos pré-Internet. Como não estou no UK e também não tenho mais meu toca-fitas, o jeito foi acompanhar ligadinha o lançamento pelo stream enquanto trabalhava e…

"AI ME DEUS VAZOU E í‰ MARAVILHOSA, SOCORRRRRRR CHAMA O SAMU!!!!!!111 #EARGASM"

“AI ME DEUS VAZOU E í‰ MARAVILHOSA, SOCORRRRRRR CHAMA O SAMU!!!!!!111 #EARGASM”

A faixa, que foi exatamente a produzida por Anthony Gonzalez, traz alguma das caracterí­sticas que fizeram com que eu me apaixonasse pela banda anos atrás: a forte influência do synthpop dos anos 80. Ou seja, a música é puro luz, raio, estrela e luar, o mais puro creme do amor, entre outros adjetivos que eu poderia citar por horas. Se você ainda não ouviu, se dê a este luxo e escute esse primor:

Carregada por <3 sintetizadores <3 e uma melodia quase lúdica, a música é tão viciante que eu criei uma teoria de usaram samples de I-Doser (alguém mais lembrava disso? HAHAHA) no single. Outro ponto que eu gostei é porque achei que a faixa lembra, mesmo que de longe, a vibe ~~~~música de consultório odontológico~~~ de “Deadlines and Commitments”, uma das minhas favoritas do Battle Born.

SAMBANDO NO RECALQUE E NA CARA DOS HATERS

SAMBANDO NO RECALQUE E NA CARA DOS HATERS

“Shot At The Night” faz parte do “Direct Hits: 2003-2013”, primeira coletí¢nea da banda que celebra os 10 anos de carreira desses lindos e dá um tapa na cara da sociedade que acha que eles são one hit wonder por causa de Mr. Brightside, e será lançada no dia 11 de novembro. Além do single, o álbum terá mais uma música inédita, “Just Another Girl” e eu já estou aqui de boní­ssima fazendo os paranaués todos para que essa faixa seja tão maravilhosa quando “Shot At The Night”.

Para quem é ansioso/obcecado pela banda tipo euzinha, fica a dica: dá para comprar o álbum na pré-venda do Amazon UK , que eu super recomendo (e inclusive prometo fazer um post em breve sobre esse achado que tem feito minha alegria enquanto consumidora de CDs HAHAHA).

Anos 90: 10 álbuns de rock para amar hoje e sempre

postado em  •  21 comentários

Ok, não é definitivamente nenhuma novidade para quem acompanha o blog do quanto eu amo/sou anos 90, sobretudo quando o assunto é música. Costumo, inclusive, brincar que meu goto musical parou na metade da década passada, porque a última banda que realmente me conquistou a ponto de ser fã foi o Killers, porque o resto acaba ficando na década de 80 e principalmente, a de 90.

FAZENDO DO RÁDIO MINHA MAQUINA DO TEMPO

Aproveitei essa vibe maravilhosa noventista e o “Dia do Rock” para fazer um post que já estava sambando na minha pasta de rascunhos há tempos: álbuns de rock anos 90 para você amar ontem, hoje e sempre e atualizar a sua biblioteca de músicas.

#01 Hole, Celebrity Skin (1998)

hole

Os fãs mais xiitas provavelmente dirão que este é um dos piores álbuns da banda liderada pela deusa/rainha/diva do grunge, Courtney Love. Mas eu, que também sou fã da banda, direi que é o melhor. Bem diferente de seu antecessor, o aclamado pela crí­tica “Live Through This” (1994), Celebrity Skin mostra uma faceta mais pop e divertida da banda ”“embora seja muito subestimado. í‰ de longe um dos meus álbuns favoritos dos anos 90.

Singles para você amar: Celebrity Skin, Awful e Malibu.
í“timas surpresas: Northen Star, Boys On The Radio, Heaven Tonight e Petals.

#02 Garbage, 2.0 Version (1998)

garbage1

Assim como os fãs do Hole, alguns darklings vão falar que o o primeiro álbum do Garbage é melhor, mas euzinha levanto o dedinho e faço isso na cara do underground:

NíƒO *TSC TSC TSC*

NíƒO *TSC TSC TSC*

O segundo álbum do Garbage é, na minha opinião, o melhor da banda. Uma mistura perfeita de rock alternativo com elementos eletrí´nicos resulta em um daqueles CDs que você larga tocando sem pular nenhuma faixa. Tanto é que depois dele, virei fã incondicional da banda -e esse amor perdura desde 1998 <3.

Singles para você amar: Push It, I Think I”™m a Paranoid, Special, When I Grow Up e You Look So Fine.
í“timas Surpresas: Medication, Sleep Together, Hammering In My Head e The Trick Is Keep Breathing.

Continue lendo →

Top 5: minhas bandas favoritas dos anos 90

postado em  •  17 comentários

Sou aquele tipo de pessoa que tem um gosto musical bem eclético, daquelas que tem arquivos e cds de tudo que é gênero. Para mim música boa é aquela que agrada meus ouvidos ou que ao menos me divirta de alguma maneira (e talvez isso justifique o porque eu adoro ouvir uma música tosca quando eu estou “sozinha”). Porém, apesar de ser uma pessoa bem open-minded musicalmente, existem dois estilos que ganham meu coração facilmente e andam sempre juntos comigo no meu iPod: o pop e o bom e velho rock’n’roll.

Eu lembro que no final da década de 90, comecei a ter meus primeiros í­dolos musicais. Como grande parte das adolescentes daquela época Spice Girls, Backstreet Boys, Britney, Aguilera, N’Sync e 5ive estavam entre minhas bandas favoritas, com direito a compra de cd no dia do lançamento na Americanas (quase sempre acompanhado de um brinde cedido pela gravadora), pastas com várias fotos de revistas nacionais e gringas (que adolescente fã dessas bandas nunca comprou a Super Pop de Portugal ou a Smash Hits americana?), posteres espalhados pelo quarto, o sonho de ter uma girl band e o amor platí´nico por um dos musos das boybands. Nessa mesma época, entre um clipe e outro de alguma banda pop em programas como Disk MTV e TOP 10 EUA, comecei a flertar com meus primeiros í­dolos do rock e que acabaram se tornando minhas bandas favoritas até hoje.

Por isso, para não deixar passar em branco esse Dia Mundial do Rock, resolvi brincar de puxar na minha memória minhas 5 bandas favoritas da década de 90 ”“poucas perto da quantidade de coisas que eu escuto dessa década. Vem comigo!

01- Hole

Amor a primeira ouvida. Enquanto o mundo descia a lenha na sra. Courtney Love, eu garrei um amor enorme por ela desde a primeira vez que eu ouvi Doll Parts. Talvez porque até então eu nunca havia visto nenhuma mulher realmente poderosa, linda (sim, a Courtney já foi bem bonita!) e super feminina a frente de uma banda de rock. Depois veio a era Celebrity Skin e o que era paixão virou amor eterno. A banda ainda existe com uma outra formação, mantendo apenas Courtney nos vocais, e lançou no ano passado o álbum Nobody’s Daughter.

Melhores Músicas: Celebrity Skin
Melhor CD: Celebrity Skin (1999)

02- Garbage

Não é porque é minha banda favorita, mas considero o Garbage como uma das melhores bandas não só da década de 90 mas de todos os tempos. í‰ a mistura perfeita de sonoridades com os vocais incrí­veis da Shirley Manson e letras bem bacanas. E parece que depois de um hiatus de quase 6 anos (o último álbum de inéditas, Bleed Like Me, saiu em 2005), vem álbum novo por ái :D

Música Favorita: Only Happy When It Rains
Melhor CD: Version 2.0 (1998)

03- Foo Fighters

Outra banda que foi amor a primeira ouvida. Lembro que a primeira música que eu ouvi deles foi a Everlong durante um TOP 10 EUA. Continua sendo pra mim uma das melhores músicas deles, pau-a-pau com Walking After You. E já tí´ na torcida pelo show deles no Brasil!

Melhor música: Everlong
Melhor álbum: The Colour and the Shape (1997)

04-Smashing Pumpkins

Comecei a ouvir um pouco depois do boom, já na época do Adore, mas fui me apaixonar de vez quando escutei o álbum anterior, o Mellon Collie and the Infinite Sadness. Apesar de ser uma das minhas bandas favoritas, confesso que prefiro as músicas antigas í s novas.

Melhor Música: Tonight, Tonight
Melhor ílbum: Mellon Collie and the Infinite Sadness (1995)

05- silverchair

Comecei a gostar de silverchair de verdade na época do Neon Ballroom, junto com toda a galera que entrou na modinha do Ana’s Song e Miss You Love. No fim, acabou virando uma das minhas bandas favoritas de acompanhar carreira, comprar os cds (inclusive os anteriores) e ir ao show em 2003. A banda anunciou um hiatus sem previsão de volta esse ano para tocarem projetos paralelos :(

Melhor Música: Anthem For The Year 2000
Melhor ílbum: Neon Ballroom (1999)

Ainda sobre rock anos 90, já fiz uma mixtape com alguns hits épicos dessa década. Para quem ainda não ouviu, clica aqui para ouvir e baixar!

Agora quero saber de você: qual banda marcou sua adolescência e está na sua lista de favoritas até hoje? ;)