ciclos

Sobre ciclos, desapegos e recomeços

postado em  •  32 comentários

Eu sou o tipo de pessoa que acredita em começo, meio e fim. E acredito que uma vida é feita de muitos começos, meios e fins. Pense em quantos amigos entraram e saí­ram da sua vida, quantos namorados e peguetes você teve ao longo da sua vida e a maneira com que eles apareceram e depois desapareceram delas. Isso sem falar naquela cor de esmalte que você usa exaustivamente durante um perí­odo e depois desencana dela. Pois é. A gente com a gente mesmo é a mesma coisa.

Acredito que tudo na nossa vida é formada por mini ciclos que quando agrupados, tornam-se um grande ciclo, uma coisa única. São como bolhas de sabão: assopramos, elas surgem e depois vão estourando pouco a pouco até desaparecerem, até assoprarmos novamente e a história se repetir. Nossas primeiras vezes tentando fazer bolhinhas de sabão quase sempre são desastrosas mas pouco a pouco vamos ganhando habilidade e aprendemos a fazer bolhinhas mais bonitas, grandes e duradouras. í€s vezes, precisamos deixar aquela bolha pequena tão bonita desaparecer para que ela abra caminho para outra nova. E sim, os minis e grandes ciclos, bem como as bolhas, também tem seu fim, o desapego quando necessário e também seu recomeço, com direito a bagagem extra de experiências com erros, acertos e tentativas.

E assim como as bolhas, aqui se encerra um desses grandes ciclos e começa um novo. Depois de alguns meses conturbados, resolvi praticar o desapego e encerrar um ciclo que mesmo com tantos saldos positivos, precisava dar lugar a algo novo. Desapeguei de sentimentos que me faziam mal, repensei sobre minha vida, tomei decisíµes que vinha adiando há meses, cortei o cabelo. Estou aprendendo a levar a vida com mais leveza, sem tantas auto-cobranças, sem neuras, sem ansiedade e sem antecipar desfechos de mini-ciclos que poderiam ser diferentes, sem roteiros. Ficam as coisas boas, o que aprendemos com as ruins e enfim, um novo ciclo com mais maturidade e experiência, como as nossas várias tentativas de fazer nossas bolhas de sabão perfeitas. E sim, o fim de um ciclo inclui o blog.

O Borboletando nasceu em maio de 2006 em um desses momentos de transição. Para muitos, o nome é só uma neologia fofinha, mas para mim, ele traz um significado muito forte: traduz um pouco do meu espí­rito, dessa minha intensidade e necessidade de sempre mudar, começar, viver e finalizar ciclos, assim como a metamorfose da borboleta. Nos últimos meses, diminui o ritmo de atualizaçíµes, analisei com olhos crí­ticos enquanto leitora, e achei que era encerrar um ciclo. Não, este não é o fim do blog, mas um recomeço.

Hoje, 11/07, ele começa um novo ciclo, que segue a mesma forma com que eu estou vivendo minha vida: sem roteiros. Não vou fazer promessas, nem falar sobre mudanças ou sobre como serão as coisas daqui para frente. A nova regra é não ter regras, estar longe do que muitas vezes parece óbvio para mim. Prefiro que elas aconteçam de forma espontí¢nea e da maneira que eu desejo.

Para celebrar esse novo ciclo, layout novo feito pela linda e talentosí­ssima Iemai, com tudo que eu gosto e como a vida deve ser: colorida, divertida e com uma pitada de ternura <3. Sejam bem vindos ao novo ciclo.