Divas

Looking Hot, o novo e delicioso single do No Doubt

postado em  •  6 comentários

ETA FERIADO PROLONGADO MARAVILHOSO! Depois do The Killers disponibilizar o ví­deo de “Miss Atomic Bomb”, chegou a hora de outra banda que eu amo apresentar seu novo clipe para o mundo.

NO DOUBT, MOSTRANDO QUE NEM ELES NEM SUA MíšSICA ENVELHECEM <3[/caption] Como terceiro single do álbum “Push and Shove”, o No Doubt escolheu a maravilhosa “Looking Hot”, faixa que lembra em alguns momentos os primeiros hits da banda que estourou em meados dos anos 90 como Spiderwebs e Sunday Morning do álbum Tragic Kingdom de 1995, e tem tudo para estourar e emplacar nas rádios e pistas de dança. Diga-se de passagem, é a minha favorita do álbum.

O clipe também se inspira no próprio passado, fazendo mais um clipe com fotografia e arte impecáveis, mas sempre com uma dose de diversão e humor. No melhor clima de faroeste norte-americano, a banda encarna í­ndios que promovem uma “guerra” contra os cowboys foras da lei no ví­deo dirigido por Melina Matsoukas, a mesma dos incrí­veis “We Found Love” da Riri e “Your Body” da Xtina.

E como a Gwen tá linda né? Sério, queria muito saber o que essa mulher toma e faz para não só envelhecer nunca, como ficar cada vez mais deslumbrante. Aliás, gostaria muito de estender esta pergunta para outras musas dos anos 90 como a Shirley Manson, Avril Lavigne, Alicia Silverstone e Emma Button.

Já estou na torcida para que a nova tour passe pelo Brasil no ano que vem, já que quando eles vieram em 1997 eu não consegui ir porque não tinha idade muito menos companhia! hahah :)

Moda, as divas pop e a evolução do estilo

postado em  •  2 comentários

Com certeza, você já reparou o quanto a moda e música andam juntos. Além do estilo musical quase sempre definir a forma com que aquela pessoa se veste ou a tribo que ela pertence, algumas bandas e cantores também influenciam não só o guarda-roupa de seus admiradores mas também a moda como um todo. E isso também serve para alguns dos personagens mais icí´nicos do cinema.

Para celebrar o estilo de alguns í­cones pop ao longo dos anos e divulgar a linha de styling para cabelos, a Garnier francesa lançou o ví­deo “Evolution Of Style”, que mostra em um pouco mais de 1 minuto, os visuais mais marcantes da música ”“e também do cinema.

O resultado? Dá o play no ví­deo:

Consegui, de primeira, acertar todos os visuais icí´nicos. E você, quantos identificou? :D

(via Don’t Skip)

Mixtape #19: Hashtag Chatiada

postado em  •  12 comentários

Essa mixtape, como o próprio nome já diz, é para você amiguinho e amiguinha que tomou um pé na bunda, ficou escolhendo demais e vai passar o Dia dos Namorados solteira(o). í‰ para você que podia estar colecionando amores, mas está colecionando mágoas.

Esconda sua faquinha de rocambole, pegue seu Hí¤agen-Dazs, dê o play e chore suas pitangas com esta seleção porque se é pra sofrer, que seja com dignidade e música boa:


Quer baixar e levar para aonde quer que você vá? Clica com o botão direito neste link aqui >> salvar link como. Para ver todas as mixtapes que já rolaram aqui no blog, clica aqui.

Se você tá apaixonada(o) ou é uma solteira(o) bem resolvido, vale a pena ouvir de novo as mixtapes especiais do ano passado. E para quem vai aproveitar a data ao lado do boy/girl, também tem mixtape para vocês.

PFVR CHATIADA

PS: antes que algum Pasqualete corrija, sim, eu sei que é CHATEADA com E. E sim, chatiada com I é meme.

Whitney e a carência de divas e músicas para a eternidade

postado em  •  5 comentários

MAIS UMA DIVA DEIXANDO O Cí‰U MAIS ESTRELADO

Algumas das coisas boas que eu aprendi a apreciar musicalmente foram ouvindo o que meus pais costumavam ouvir em casa. Madonna por exemplo, foi a minha primeira artista “adulta” favorita e olha que eu tinha lá pelos meus 6 anos quando comecei a gostar, no ápice da sua fase bitch. E também sempre teve espaço para as grandes divas. Cresci ouvindo alguns dos clássicos das grandes divas dos anos 90 em alto em bom som por influência dos meus pais, mas despertei minha paixão por elas lá pelos meus 13, 14 anos. Nessa época, era bem fã da Mariah Carey, que me levou a ouvir outras coisas no mesmo estilo que ela, como a Whitney.

Quem tem lá pelos seus vinte e poucos anos deve lembrar das mães se acabarem de tanto chorar assistindo O Guarda Costas, dos grandes duetos e especiais como o Divas Live. E com certeza deve ter entrado na valsa de 15 anos de uma das suas melhores amigas com seu par embalada por alguma dessas vozes. Na minha festa, apesar de não ter sido nos moldes tradicionais, Whitney estava lá com It’s Not Right But It’s Ok, um dos hits do comecinho dos anos 2000, mas perdi a conta de quantas amigas e conhecidas vi entrarem ao som de I Will Always Love You ou Greatest Love Of All.

Confesso que não sou fã da Whitney como fui da Mariah por exemplo, mas é impossí­vel não lamentar a perda de mais uma voz que fez parte das nossas vidas em algum momento delas. E tão triste como a perda de vozes poderosas como a da Amy no ano passado e este ano da Etta James e agora Whitney, é ver que estamos ficando cada vez mais carente de grandes í­cones da música, de hinos e de músicas para a eternidade. Músicas como essas que passam de pai para filho, assim como meus pais passaram para mim o gosto por artistas como Whitney.

PS: esse não era o comeback que eu gostaria de fazer no blog depois de semanas sem atualizar, mas como fã da boa música pop e de uma “velhinha”, me dei este direito. E sim, amanhã as atualizaçíµes voltam ao ritmo normal, amém.