hole

03/52 Álbuns: para curtir um dia de sol

postado em  •  10 comentários

celebrityskin

Este post faz parte do desafio “52 Álbuns em 2015”, que consiste na indicação de um álbum por semana até a primeira semana de 2016. Para saber sobre o desafio e como participar, clique aqui. Acompanhe as resenhas do blog lendo a TAG “52 álbuns”. Para acompanhar as indicações dos outros participantes, entre no grupo do blog no Facebook.

O terceiro desafio do 52 Álbuns foi o mais difícil até agora. No começo foi por falta de sugestões e depois, por várias, entre indicações de amigos (que inclusive uma delas virou pauta para outro post), preferências pessoais e coisas que eu nunca tinha falado no blog. No fim, rolou quase um uni-duni-tê e decidi analisar, entre os finalistas, quais eu conseguiria indicar em outros momentos do desafio. E foi assim que eu cheguei na escolha do terceiro álbum para ouvir em 2015 com um pequeno atraso, confesso.

Celebrity Skin (1998) é o terceiro álbum de estúdio da banda norte-americana de rock alternativo liderada por Courtney Love, a viúva do Kurt Cobain. E antes que comecem o mimimi, importante dizer que: 1) Nirvana está entre minhas bandas favoritas desde a adolescência 2) reconheço que Courtney não vale o donut que come no café da manhã, mas se tem uma coisa que ela soube fazer bem nessa vida foi música e principalmente, este álbum.

Hole foi uma das primeiras bandas de rock que eu comecei a gostar a ponto de colecionar cds. Polêmicas de Miss Love a parte, sempre simpatizei pela banda pelo fato da formação ser composta por uma maioria esmagadora de mulheres, tendo apenas o guitarrista Eric Erlandson como homem da parada -provavelmente uma forte influência do meu amor pelas Spice Girls e pelo lema do “girl power”.

Courtney Love de coroa de flores before it was cool

Courtney Love usando coroa de flores before it was cool

Se em “Pretty On The Inside” (1990) e “Live Through This” (1994) o Hole mostrava uma sonoridade mais puxada para o grunge, em Celebrity Skin a banda parte para um lado menos “a solidão me fez roqueira” com gritos e distorções, e mais pop com um toque de California, sob a co-produção de Billy Corgan, vocalista do não menos maravilhoso Smashing Pumpkins. O resultado desta mistura do Brasil com o Egito foi um álbum completamente diferente dos trabalhos anteriores da banda, com menos gritos de Love e muitos #1 nas paradas de sucesso em todo o mundo -inclusive no extinto Disk MTV *sdds*.

Essa transformação fica evidente logo na primeira faixa do álbum, “Celebrity Skin”, escolhida também para ser o primeiro single da era. A letra satiriza o glamour dos famosos e os altos e baixos da vida de celebridade. Algo que, diga-se de passagem, Courtney entende como ninguém, principalmente quando remetemos às polêmicas sobre a vida privada da cantora que vão do uso de drogas durante à gravidez aos boatos em torno de um suposto envolvimento na morte de Kurt Cobain (o que, até que nos provem ao contrário, é pura lenda urbana).

A segunda faixa e terceiro single do álbum, “Awful” continua com a vibe rock-pop-divertido proposto pela banda na primeira faixa, inclusive na letra, que pode ser considerada uma “continuação” da desconstrução do glamour das celebridades.

A surpresa, no entanto, está reservada na quarta faixa do álbum e segundo single da era. “Malibu” é uma baladinha deliciosa, com cara de verão, de música para descer a serra e para cantar em luau na praia, só na voz e violão. A inspiração para a canção e para o clipe não poderia ser outra: a icônica praia de Los Angeles e cenário de um dos seriados mais famoso dos anos 90, Baywatch (ou SOS Malibu). Certamente uma das (para não dizer a melhor) música do Hole e do rock 90’s, coisa linda de Deus <3.

As duas faixas seguintes, “Reasons To Be Beautiful” e “Dying” soam como uma DR de Courtney e seus relacionamentos após a morte de Kurt. Já a triste (e linda!) “Northen Star” remete claramente sobre a dor da perda de Kurt e a falta que ela sentia dele apesar de seus novos relacionamentos nos 4 anos seguinte à morte do lider do Nirvana (“And blackest night and I wait for you / It’s cold in here, there’s no one left / And I wait for you / And nothing stops it happening / And I knew I’d cherish all my misery alone”). Mais uma música para sacar o violão e cantar num luau.

Depois de um bloco deprê, a vibe divertida proposta no álbum volta com um super combo, começando com a deliciosa “Boys On The Radio”, que novamente nos remete a um rock californiano, daqueles que dá vontade de ouvir enquanto toma um solzinho na praia. Ainda nesta mesma vibe cremosa, vem a excelente “Heaven Tonight”, seguida da também ótima “Playing Your Song”.

O álbum é encerrado de forma magnífica com a maravilhosa “Petals”, que lembra um pouco daquilo que foi apresentado em “Malibu”, com uma combinação de instrumentais em sincronia perfeita com a voz marcante de Courtney Love. Uma das melhores faixas do álbum e também, uma das favoritas da minha vida toda <3.

Embora o Hole não seja uma unaminidade por conta da impopularidade de Courtney, podemos dizer que Celebrity Skin levou Love a um novo nível, fazendo com parte das pessoas conhecessem o trabalho dela além do título de “viúva do vocalista do Nirvana”. É uma faceta mais pop, divertida e descompromissada de um dos principais ícones do rock alternativo da década de 90.

Ficha Técnica
Celebrity Skin (1998)Spotify | Deezer
Melhores músicas: “Celebrity Skin”, “Malibu” e “Boys On The Radio”
Pior música: “Hit So Hard”
Não deixe de ouvir: “Northen Star”, “Heaven Tonight” e “Petals”
Por que você deveria ouvir?: porque apesar dos pesares, Courtney pode fazer algo bom e esse algo bom se chama música. Dê uma chance ao Hole e ouça o Celebrity Skin.
Numa escala de 1 a 5 Courtneys, quantos likes merece esta princesinha do grunge?

courtneyprincesinha

Clique aqui para acompanhar todos os posts do “52 álbuns para ouvir em 2015”. Tem algum álbum para indicar para as próximas fases do desafio? Então deixa nos comentários ou sugere no grupo do blog no Facebook. Para acompanhar as indicações de outros blogueiros este tema do desafio, vemk. :)

Top 5: minhas bandas favoritas dos anos 90

postado em  •  17 comentários

Sou aquele tipo de pessoa que tem um gosto musical bem eclético, daquelas que tem arquivos e cds de tudo que é gênero. Para mim música boa é aquela que agrada meus ouvidos ou que ao menos me divirta de alguma maneira (e talvez isso justifique o porque eu adoro ouvir uma música tosca quando eu estou “sozinha”). Porém, apesar de ser uma pessoa bem open-minded musicalmente, existem dois estilos que ganham meu coração facilmente e andam sempre juntos comigo no meu iPod: o pop e o bom e velho rock’n’roll.

Eu lembro que no final da década de 90, comecei a ter meus primeiros í­dolos musicais. Como grande parte das adolescentes daquela época Spice Girls, Backstreet Boys, Britney, Aguilera, N’Sync e 5ive estavam entre minhas bandas favoritas, com direito a compra de cd no dia do lançamento na Americanas (quase sempre acompanhado de um brinde cedido pela gravadora), pastas com várias fotos de revistas nacionais e gringas (que adolescente fã dessas bandas nunca comprou a Super Pop de Portugal ou a Smash Hits americana?), posteres espalhados pelo quarto, o sonho de ter uma girl band e o amor platí´nico por um dos musos das boybands. Nessa mesma época, entre um clipe e outro de alguma banda pop em programas como Disk MTV e TOP 10 EUA, comecei a flertar com meus primeiros í­dolos do rock e que acabaram se tornando minhas bandas favoritas até hoje.

Por isso, para não deixar passar em branco esse Dia Mundial do Rock, resolvi brincar de puxar na minha memória minhas 5 bandas favoritas da década de 90 ”“poucas perto da quantidade de coisas que eu escuto dessa década. Vem comigo!

01- Hole

Amor a primeira ouvida. Enquanto o mundo descia a lenha na sra. Courtney Love, eu garrei um amor enorme por ela desde a primeira vez que eu ouvi Doll Parts. Talvez porque até então eu nunca havia visto nenhuma mulher realmente poderosa, linda (sim, a Courtney já foi bem bonita!) e super feminina a frente de uma banda de rock. Depois veio a era Celebrity Skin e o que era paixão virou amor eterno. A banda ainda existe com uma outra formação, mantendo apenas Courtney nos vocais, e lançou no ano passado o álbum Nobody’s Daughter.

Melhores Músicas: Celebrity Skin
Melhor CD: Celebrity Skin (1999)

02- Garbage

Não é porque é minha banda favorita, mas considero o Garbage como uma das melhores bandas não só da década de 90 mas de todos os tempos. í‰ a mistura perfeita de sonoridades com os vocais incrí­veis da Shirley Manson e letras bem bacanas. E parece que depois de um hiatus de quase 6 anos (o último álbum de inéditas, Bleed Like Me, saiu em 2005), vem álbum novo por ái :D

Música Favorita: Only Happy When It Rains
Melhor CD: Version 2.0 (1998)

03- Foo Fighters

Outra banda que foi amor a primeira ouvida. Lembro que a primeira música que eu ouvi deles foi a Everlong durante um TOP 10 EUA. Continua sendo pra mim uma das melhores músicas deles, pau-a-pau com Walking After You. E já tí´ na torcida pelo show deles no Brasil!

Melhor música: Everlong
Melhor álbum: The Colour and the Shape (1997)

04-Smashing Pumpkins

Comecei a ouvir um pouco depois do boom, já na época do Adore, mas fui me apaixonar de vez quando escutei o álbum anterior, o Mellon Collie and the Infinite Sadness. Apesar de ser uma das minhas bandas favoritas, confesso que prefiro as músicas antigas í s novas.

Melhor Música: Tonight, Tonight
Melhor ílbum: Mellon Collie and the Infinite Sadness (1995)

05- silverchair

Comecei a gostar de silverchair de verdade na época do Neon Ballroom, junto com toda a galera que entrou na modinha do Ana’s Song e Miss You Love. No fim, acabou virando uma das minhas bandas favoritas de acompanhar carreira, comprar os cds (inclusive os anteriores) e ir ao show em 2003. A banda anunciou um hiatus sem previsão de volta esse ano para tocarem projetos paralelos :(

Melhor Música: Anthem For The Year 2000
Melhor ílbum: Neon Ballroom (1999)

Ainda sobre rock anos 90, já fiz uma mixtape com alguns hits épicos dessa década. Para quem ainda não ouviu, clica aqui para ouvir e baixar!

Agora quero saber de você: qual banda marcou sua adolescência e está na sua lista de favoritas até hoje? ;)