o que usar

O Guia Definitivo da Dignidade em Festivais

postado em  •  25 comentários

Faltando pouco mais de uma semana para o Lollapalooza (VEMNIMIM BRANDON!), começam a pipocar várias matérias e posts com dicas do que vestir nos eventos. O problema é que a maior parte destes looks inspiradores são pautados em escolhas das celebridades (ou não) gringas em festivais como Coachella e Glastonbury.

ESSE DIA FOI FODA!

ESSE DIA FOI FODA!

Os looks são lindos e inspiradores, mas vamos combinar que não dá para copiar. Na hora de citar como inspiração, muitos se esquecem que as celebridades ficam em camarotes ou em áreas limitadas destinada aos VIPs, com direito a comidinhas, bebidas e bons puffs e sofás para relaxar quando o cansaço bater.

Em outras palavras, as celebridades e VIPs podem se dar ao luxo de irem com vestidos e saias longas, botinhas de salto médio, mini-saias e outras peças que seriam pouco funcionais e confortáveis em circunstâncias de pessoas normais. Claro que isso não significa que você vai vestir sua pior roupa e ir cagadí­ssima para o festival, mas garanto para você que dá pra manter o estilo e principalmente a dignidade, sem abrir mão do conforto depois de algumas horas em pé.

Baseado em fatos reais e por pessoas normais como euzinha e meus amigos, fiz um compilado de dicas que podem ser boas alternativas para você curtir horas de show arrasando no modelão e sem maiores transtornos.

#01- Vá de shorts jeans

É confortável, é básico e ao mesmo tempo, cheio de estilo. Mesmo com as peças de outono/inverno invadindo vitrines e araras, é fácil encontrar a peça inclusive em grandes redes de fast fashion como Renner e C&A, que estão apostando numa linha mais rocker. Portanto, aproveite a tendência para se jogar nas opções com spikes, pirâmides e tachas. Em algumas lojas, ainda dá para encontrar versões tie-dye, que são bem bonitinhas e divertidas.

guia-festivais-shorts

Tá sem grana? Não encontra um shorts do jeito que você quer? Não tem problema: pega aquela calça jeans velhinha que está encostada no armário e transforme em um belí­ssimo shorts. E a customização não para por aí­: dá para aplicar spikes e studs, ou ainda, fazer o efeito tie dye em casa.

#02- Usando saias e vestidos

Quer usar saia ou vestido curto? Se garanta com um shorts por baixo, de jeans ou desses tipo de ginástica. Assim, você evita o constrangimento de no meio da multidão, seu vestido subir e você pagar um mico daqueles.

Já sobre os vestidos e saias longas, não recomendo por motivos de: você pode tropeçar neles no meio da muvuca e acabar caindo.

#03- Legging para os dias frios

Você foi, pensou no look, mas bem no dia do show esfriou? Vá de legging. E nem precisa ser aquelas pretas sem gracinhas: as araras de lojas estão cheias delas com estampas e texturas bem bacanas como as listradas, galaxy, desenhos e a já clássica wet. Daí­ é só escolher uma camiseta mais compridinha para tampar o popó + ~camel toe~, um tênis bacana e pronto!

guia-festivais-legging

Não curte legging? Vá com uma boa e velha calça skinny jeans, de preferência, a mais confortável delas.

#04- Camisetas divertidas ou de banda

Sei que algumas pessoas acham cafona ir à algum show e usar a camiseta do artista que estará se apresentando -mas fuck the police, eu amo. E não só adoro essa moda das camisetas de banda, como tenho algumas que eu uso inclusive no dia-a-dia. Minhas lojas favoritas de camiseta de banda são a Fock (já vem tudo surradinho, coisa linda <3), Conto do Vigário (para quem curte mais larguinha, a unissex é amor!) e a Reverb City, que tem camisetas de algumas bandas que vão se apresentar no Lolla, com estampas ilustradas e bem lindas.

AS CAMISETAS LINDONAS DA REVERBCITY

AS CAMISETAS LINDONAS DA REVERBCITY

Para quem não curte camisetas de banda, outra opção são camisetas com frases e estampas divertidas. Se você não sabe aonde encontrá-las, recomendo dar uma olhadinha na Korova, que tem camisetas com estampas bem bacanas, malha das boas e modelagem mais compridinha e um preço bem OK (nem caro, nem super barato).

#05- Abuse das Camisas

Usar xadrez em festivais de rock é outro clichê, mas vamos combinar que a estampa ajuda a garantir um visual mais descolado e descontraído. Dá para combinar com um shorts + camiseta ou regata mais larguinha e usar desabotoada. Esquentou? É só tirar e amarrar na cintura.

Não é muito chegada ao xadrez? Batas, e camisas soltinhas ou jeans também são boas opçíµes. Mas, por via das dúvidas, vá com uma outra blusinha mais fresca por baixo.
Continue lendo →

Dossiê do Cabelo Loiro: recuperando o picumã

postado em  •  31 comentários

Quem acompanha o blog desde o comecinho (ou ainda, desde os tempos de 2004/2005, nos tempos de slar.net) já deve ter percebido que eu vivo “borboletando” o cabelo. Como eu já disse em algumas oportunidades, não suporto mesmice e tenho uma certa necessidade de mudar sempre que o marasmo bate em minha porta.

Desde a primeira vez que eu clareei o cabelo, em 2004, venho alternando entre o cabelo loiro e o castanho. Em 2009, depois de 2 anos e meio loira (um recorde!), fiquei morena novamente, mas não durou muito tempo: foi só ver o cabelo da Drew Barrymore que eu enfiei na cabeça que eu ficaria loira a qualquer custo, e só sairia daquela cadeira com AQUELE cabelo. Mas é claro que este “a qualquer custo” teria digamos, seu preço.


Drew Barrymore: minha musa capilar desde 2010

Aí­ começou meu drama capilar. Já tinha ficado loiras outras vezes, mas essa foi a primeira vez que meu cabelo ficou extremamente ressecado. Se nas outras vezes minha preocupação era apenas eliminar os fios amarelados que apareciam após algumas semanas, desta vez era driblar o ressecamento e devolver a maciez e o brilho tirados pela descoloração nas pontas que costumam ser, por natureza, a parte menos favorecida dos cabelos.

Desde então, comecei uma busca incessante por produtos que deixassem meu picumã macio macio (como se eu tivesse passado Monange #NOT). Ao contrário dos outros tempos, que eu caia no papo das vendedoras super solí­citas (cof cof) das perfumarias ou saia comprando tudo que eu via pela frente, resolvi investir meus dinheirinhos em produtos certos, que realmente resolvessem meu problema ao invês de acumular frascos e potinhos no meu banheiro, mesmo que eles custassem mais caros do que eu costumava pagar. m outras palavras, resolvi tirar o escorpião do bolso e começar a comprar, sem medo, produtos de linhas profissionais. í‰ caro? Relativamente sim. Mas ao menos trazem algum resultado e rendem muito mais. Como diz a Loo, caro é pagar R$15 numa coisa que deixa seu cabelo ruim e depois vai ficar enconstado sem uso.

Como sei que eu também não tí´ sozinha nessa (alí´ Bruna, Alyce e Mandy!), resolvi compartilhar um pouco do que eu tenho feito e investido para ajudar azamiga que estão na mesma situação. Ah, e as dicas compartilhadas a seguir servem para todas as cores de cabelo e principalmente, para minhasamiga (sic) que fazem procedimentos quí­micos com frequência como progressiva. VEM COMEEEEEGO!

Continue lendo →