ouvir

Anos 90: 10 álbuns de rock para amar hoje e sempre

postado em  •  21 comentários

Ok, não é definitivamente nenhuma novidade para quem acompanha o blog do quanto eu amo/sou anos 90, sobretudo quando o assunto é música. Costumo, inclusive, brincar que meu goto musical parou na metade da década passada, porque a última banda que realmente me conquistou a ponto de ser fã foi o Killers, porque o resto acaba ficando na década de 80 e principalmente, a de 90.

FAZENDO DO RÁDIO MINHA MAQUINA DO TEMPO

Aproveitei essa vibe maravilhosa noventista e o “Dia do Rock” para fazer um post que já estava sambando na minha pasta de rascunhos há tempos: álbuns de rock anos 90 para você amar ontem, hoje e sempre e atualizar a sua biblioteca de músicas.

#01 Hole, Celebrity Skin (1998)

hole

Os fãs mais xiitas provavelmente dirão que este é um dos piores álbuns da banda liderada pela deusa/rainha/diva do grunge, Courtney Love. Mas eu, que também sou fã da banda, direi que é o melhor. Bem diferente de seu antecessor, o aclamado pela crí­tica “Live Through This” (1994), Celebrity Skin mostra uma faceta mais pop e divertida da banda ”“embora seja muito subestimado. í‰ de longe um dos meus álbuns favoritos dos anos 90.

Singles para você amar: Celebrity Skin, Awful e Malibu.
í“timas surpresas: Northen Star, Boys On The Radio, Heaven Tonight e Petals.

#02 Garbage, 2.0 Version (1998)

garbage1

Assim como os fãs do Hole, alguns darklings vão falar que o o primeiro álbum do Garbage é melhor, mas euzinha levanto o dedinho e faço isso na cara do underground:

NíƒO *TSC TSC TSC*

NíƒO *TSC TSC TSC*

O segundo álbum do Garbage é, na minha opinião, o melhor da banda. Uma mistura perfeita de rock alternativo com elementos eletrí´nicos resulta em um daqueles CDs que você larga tocando sem pular nenhuma faixa. Tanto é que depois dele, virei fã incondicional da banda -e esse amor perdura desde 1998 <3.

Singles para você amar: Push It, I Think I”™m a Paranoid, Special, When I Grow Up e You Look So Fine.
í“timas Surpresas: Medication, Sleep Together, Hammering In My Head e The Trick Is Keep Breathing.

Continue lendo →

No Doubt e seu comeback direto da Terra do Nunca

postado em  •  5 comentários

Confesso: todos os comebacks das minhas bandas favoritas previstos para este ano, o que eu estava menos empolgada era com o No Doubt. Junto com Shirley Manson e Courtney Love, Gwen foi minha musa inspiradora da adolescência, responsável por influenciar meu guarda-roupa (terceiro olho com batom vermelho, quem nunca?) e voz de algumas das trilhas sonoras da minha vida como Just a Girl ”“que diga-se de passagem, ainda é uma das minhas músicas favoritas, super me identifico. Lembro como se fosse hoje quando meu crush me deu de presente de aniversário de 15 anos o Tragic Kingdom, porque eu disse em algum momento que eu adorava Don”™t Speak.

O TEMPO PASSA, O TEMPO VOA? NíƒO PARA GWEN STEFANI E PARA O NO DOUBT

E nem todas as boas lembranças boas foram suficientes para me deixar ansiosa pelo comeback, mesmo porque as músicas antigas eram o suficiente para saciar meu desejo de ouvir a banda. Mas esse meu sentimento de desprezo passou quando ouvi “Settle Down”, o primeiro single de “Push and Shove”, novo álbum da banda depois de 11 anos de hiatus, hoje a tarde.

Ouvindo e assistindo o clipe que foi disponibilizado agora pouco no canal da banda no YouTube, tive a sensação que Gwen e toda a banda descobriram a fórmula da juventude eterna e vieram diretamente da Terra do Nunca, mostrando o que eles sabem fazer de melhor: um pop/rock/ ska despretensioso e divertido, como aquele que fez a banda despontar nos anos 90, bem como o visual despojado dos integrantes. Me senti de novo com 15 anos <3

Não é exagero dizer que esse está sendo meu single de comeback favorito e que já estou ansiosissí­ma para o álbum completo que deve ser lançado em setembro. Agora é só torcer para que eles aproveitem o embalo do Garbage e também deem uma passadinha em breve por aqui!

PS: e o que a Gwen continua linda né? Apenas quero envelhecer divando desse jeito!